Publicidade

sexta-feira, 25 de julho de 2014 Análises, Filmes | 22:32

O que esperar do filme “50 tons de cinza”?

Compartilhe: Twitter
Foto: divulgação

Foto: divulgação

É difícil fazer prognósticos em cima de um trailer, mas a liberação do primeiro de “50 tons de cinza” marcou a semana. O fenômeno, sugere a comoção demonstrada com um material de marketing de pouco mais de dois minutos, ainda tem muita força para exibir. O sucesso é certo, ainda que seja precipitado apontar em que proporção, mas de que tipo de filme estamos falando exatamente? A recíproca do livro será verdadeira? Estamos diante de um “pornô para mamães”, uma história de princesa com algum sex appeal ou a imagem diluirá os efeitos da imaginação, que a obra de E.L James parece ter apimentado?

O trailer entrega algumas pistas. O tom, como sugere a data de lançamento nos cinemas americanos (no valentine´s day em fevereiro próximo) é de romance. Não se está diante de um filme com a disposição de investigar os labirintos do desejo sexual. As cenas de sexo e sadomasoquismo, todas mostradas de lampejo no trailer, aparentam bom gosto, mas não parecem especificamente inclinadas para a ousadia.

Este primeiro trailer busca essencialmente o diálogo com o fã do material original. É a este que a produção do filme deseja tranquilizar neste momento de ansiedade. É como se dissesse: este é o filme que você imaginou. Será mesmo?

Sam Taylor-Johnson, a diretora do longa-metragem, tem apenas um crédito como diretora. “O garoto de Liverpool” (2008), sobre os anos iniciais da parceria entre John Lennon e Paul McCartney, além da complexa relação do primeiro com sua mãe.

É um filme em que Johnson explora mais os personagens do que precisaria. Demonstrou saber trabalhar bem com ambiguidades do roteiro e eficácia em redimensionar sutilezas do texto na tela. São habilidades que podem ser úteis em um filme que pretende mais do que satisfazer apenas a base consolidada de fãs.

De qualquer maneira, apesar do barulho provocado por “50 tons de cinza”, e muito ainda está por vir, vivemos tempos francamente caretas no cinema mainstream. Seja o filme surpreendente ou não, parece certo que não teremos o “Instinto selvagem” (1992) desta geração. O que para quem gosta de bom cinema e sexo, por que não, não deixa de ser um tanto broxante.

Autor: Tags: ,

4 comentários | Comentar

  1. 54 Amanda Aouad 27/07/2014 23:07

    Li o primeiro livro, não tive ânimo para ler os outros dois. Não consigo entender como tantas mulheres amam tanto essa história. De qualquer maneira estou curiosa em relação ao filme, só achei que o ator Jamie Dornan não produz o impacto que deveria como Christian Grey. No livro ele é descrito como uma beleza fenomenal que as mulheres não conseguem tirar o olho dele. Definitivamente, não é o caso.

    Responder
  2. 53 Kamila Azevedo 27/07/2014 20:19

    Reinaldo, acho que o trailer de “50 Tons de Cinza” entrega aos fãs aquilo que eles esperavam da obra. Não li o livro, mas conheço o fenômeno em que ele se transformou. Por isso mesmo, acho uma boa estratégia lançar a obra em pleno Dia dos Namorados nos Estados Unidos. De toda maneira, até por causa de toda a mitologia por trás de Christian Grey, imaginava que o ator que o interpretaria teria que ser estonteante. O que não é o caso por trás de Jamie Dornan. Mas, veremos como será a química entre ele e Dakota Johnson. Isso será fundamental para o sucesso desse filme.

    Responder
  3. 52 Darc 26/07/2014 0:42

    Oh coisa mais besta que nao toma um segundo do meu tempo.

    Responder
    • Dark 31/07/2014 22:35

      Acabou de tomar, rs

      Responder
  4. 51 Daniel Bernardes 25/07/2014 23:32

    Pornografia apenas

    Responder
  1. ver todos os comentários
 

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

* Campos obrigatórios


 

Responder comentário


* Campos obrigatórios