Publicidade

sexta-feira, 29 de agosto de 2014 Bastidores | 19:41

Nada de comemoração! Hollywood se despede do verão menos rentável em quase uma década

Compartilhe: Twitter
Foto (Montagem/divulgação)

Foto (Montagem/divulgação)

Neste fim de semana os EUA terão o tradicional feriado do dia do trabalho, comemorado por lá sempre na primeira segunda-feira do mês de setembro. A data encerra simbolicamente a temporada pipoca do cinemão. O verão se despede três semanas mais tarde, mas em termos de cinema este é o ponto final. Esta temporada, cuja janela se estende entre meados de abril e o fim de agosto, responde por 70% do faturamento dos grandes estúdios no ano e comporta todas as apostas de sucessos que eles têm na manga. Conforme o Cineclube destacou nesta postagem de 11 de julho, não há muito que se comemorar em 2014. Números divulgados pela Variety, revista especializada em entretenimento, mostram que a temporada é a menos rentável em uma década. Além desse dado negativo, Hollywood se assombra com o fato de que apenas “Guardiões da galáxia” conseguiu ultrapassar a fronteira dos U$ 300 milhões nas bilheterias domésticas. Em anos como 2010, por exemplo, quatro filmes (“Toy Story 3”, Alice no país das maravilhas”, “Homem de ferro 2” e “A saga Crepúsculo: Eclipse”) romperam esta marca e outros quatro filmes ficaram bem próximos de rompê-la. Em 2010, a temporada pipoca rendeu cerca de U$ 4,2 bilhões. Em 2014, a arrecadação não irá passar de U$ 3,8 bilhões.

A queda de 15% em relação à temporada de 2013 e o fato de que pela primeira vez desde 2006 o faturamento da temporada não excederá a marca de R$ 4 bilhões devem obrigar os estúdios a repensar as apostas nas intermináveis sequências que ditam o ritmo da temporada de blockbusters.

O bom rendimento de filmes como “A culpa é das estrelas” e “Malévola”, produtos atípicos da temporada, ensejam um novo caminho que deve ser experimentado a partir do verão americano de 2016.

Autor: Tags:

Nenhum comentário, seja o primeiro.

 

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

* Campos obrigatórios


 

Responder comentário


* Campos obrigatórios