Publicidade

quinta-feira, 13 de novembro de 2014 Análises, Diretores | 19:11

Para onde vai o cinema de Christopher Nolan depois de “Interestelar”?

Compartilhe: Twitter
Foto: Total Film

Foto: Total Film

A bilheteria de “Interestelar” em seu primeiro final de semana nos cinemas foi vultosa. Mas não tão impactante como os estúdios que bancaram o filme (Warner e Paramount) esperavam. A crítica se dividiu quanto ao filme. Estes são fatores adversos que são, também, estranhos a Nolan. O cineasta britânico desde que caiu nas graças da Warner, estúdio para o qual rodou todos os seus filmes desde “Insônia” (2002), não sabe o que é amealhar reação adversa a seus trabalhos. Mesmo “Batman- o cavaleiro das trevas ressurge”, bastante criticado por segmentos da crítica e da cinefilia, se beneficiava do saldo positivo da trilogia do Batman.  Mas “Interestelar” é outro papo.

Estamos falando de um diretor ímpar na indústria. Um cara que, em plena ditadura do 3D, consegue demover o estúdio de lançar seus filmes no formato. A liberdade de Nolan é tamanha que ele conta com orçamentos acima de U$ 150 milhões para rodar filmes totalmente originais, difíceis de vender nos termos publicitários vigentes em Hollywood, e ainda atrai os melhores e mais disputados astros do momento.

Christopher Nolan é o triunfo da Hollywood criativa, inventiva e sem amarras. Uma Hollywood que está desaparecendo em meio à segurança das franquias multimidiáticas e dos conglomerados de comunicação. Mas Christopher Nolan não é infalível.

Depois do excelente, atemporal e surpreendentemente existencialista “O cavaleiro das trevas” (2008), Nolan chocou o mundo do cinema com “A origem”, um misto de ficção com filme de ação inventivo, incrivelmente original e inteligente, além de apresentar um refinamento estético e visual entusiasmante.

“O cavaleiro das trevas ressurge” era um filme recheado de fragilidades. Um vilão ruim logo depois do filme com o melhor vilão adensava a maior das fraquezas da fita. O fato de Nolan repisa conflitos já esgotados em “O cavaleiro das trevas”. A solução do filme era outro golpe fatal. Nolan resgatava algumas ideias trabalhadas no final de “A origem” e destinava um desfecho risível para a personagem de Marion Cotillard.

“Interestelar” era a oportunidade de não só prestar homenagem a um de seus ídolos definidores, Stanley Kubrick,

O diretor orienta a badalada, e desperdiçada em 'Interestelar", Jessica Chastain  (Foto: divulgação)

O diretor orienta a badalada, e desperdiçada em ‘Interestelar”, Jessica Chastain
(Foto: divulgação)

mas de adentrar mais a fundo a um gênero muito receptivo a cineastas criativos e talentosos como Nolan. Mas esse namoro com a ficção científica desandou. Se “Interestelar” traz todos os vícios do cinema de Nolan (diálogos expositivos em excesso, personagens emocionalmente aleijados, falta de humor, solenidade desproporcional, entre outros), não traz os méritos (fé no poder da imagem, alijamento dos clichês, sofisticação narrativa, esmiuçamento dos conflitos que movem os personagens, entre outros).

“Interestelar” não deve ser um fracasso retumbante, mas contribuirá para um agigantamento da polarização já manifesta em torno de Nolan. Trata-se, afinal, de um visionário ou de um embuste? A paixão desvia o foco do problema que a recepção taciturna ao filme enseja. Nolan pode estar em face de ver alguns de seus privilégios contraídos. O que é má notícia para quem preza a liberdade criativa no cinema.

O cineasta ainda não anunciou seu próximo projeto, mas tem se dedicado nos últimos dias à estranha rotina de defender seu filme dos muitos detratores que rapidamente a produção tem acumulado. A dica é Nolan maneirar na ambição e voltar ao básico. Talvez um filme mais barato. Mas o caminho mais provável é que ele insista na grandiloquência. Um retorno ao universo dos super-heróis (vale lembrar que um novo filme do Batman ainda não foi confirmado em meio a tantos anúncios feitos pela Warner/DC) pode estar no horizonte. A Warner compreensivelmente irá cobrar mais caro pela manutenção da liberdade usufruída por Nolan até aqui.

Autor: Tags: , , , ,

16 comentários | Comentar

  1. 66 Gilberto A G 13/09/2015 5:10

    Que crítica fraca e sem sentido. O filme queimou a língua de todos, Nolan simplesmente chegou ao ápice de sua carreira com Interstelar. Propôs um genero de ficção científica não visto a tempos, sem alienígenas ou disputa pelo “poder” no espaço. Trata-se da eterna luta do homem pela sobrevivência, avançando cada vez mais casas e descobrindo novos ambientes. Não é um enredo inovador, mas sem duvida alguma, o melhor dos últimos anos na categoria! Simplesmente genial.

    Responder
  2. 65 vitor 17/08/2015 11:00

    Reinaldo, entendo seu ponto de vista. Contudo, se você está defendendo a mediocridade com que se tornou a sétima arte, hoje em dia, creio que você se rende aos clichês hollywoodianos que estamos cansados de assistir. Nolan, na minha humilde opnião, tornou-se uma vertente de cineasta diferenciado, que coloca uma originalidade incomum ao gênero.

    Responder
  3. 64 Diego 13/08/2015 13:13

    Que critica mais ridícula.
    Acredito que este critico deva ser um cientista? Será???? Se fosse, teríamos uma critica mais plausível.
    Um bom estudante sabe muito bem que o filme foi muito preciso.
    O sucesso foi absoluto em bilheteria arrecadando três vezes mais, veja no wikipedia ou informações em geral.
    Assim como 2001 foi fortemente criticado e anos depois foi aclamado, de fato interestelar será o mesmo, um marco, tanto em efeitos como em precisão.
    Algumas coisas sem necessidade, sim, mas sem isso não seria Hollywood.
    Por fim, esta critica é completamente sem nexo, ridícula, caindo ao descuido de um possível bom observador.
    Nollan se supera em todos os sentidos, um gênio, espero que ele continue assim, enquanto a este critico, volte a escola de onde saiu….

    Responder
  4. 63 Bruno 31/05/2015 13:05

    O filme é sensacional, a forma que Nolan tem de embaralhar os acontecimentos do filme é incrivel, dessa critica prova que o Universo Hollywood é uma farsa onde bons filmes são criticados fortemente e filmes de super heróis são postos como superiores e melhores. Acho que esse tal critico mal assistiu ao filme e desconhece que Nolan fez pesquisas com cientistas para não colocar coisas falsas sobre a ciência no filme. Amei esse filme um dos meus preferidos, além de ter um elenco incrível. Mereceu o Oscar e merece continuação.♥

    Responder
  5. 62 Joseph 25/04/2015 19:38

    Não concordo com essa critica.
    Gostei muito do filme interestelar.
    E gostaria muito que tivesse continuação.
    é difícil ter um filme assim que faz a gente viajar.
    De ficar impressionado.
    E com certeza na minha opinião esse filme merecia um Oscar

    Responder
  6. 61 Atamar Chalub 14/04/2015 22:55

    600 milhões de dólares depois nos mostra como esse critico é fraco.

    Responder
  7. 60 Bruno 02/04/2015 21:21

    ““Interestelar” não deve ser um fracasso retumbante”, com certeza não amigo, você realmente assistiu o filme? Claro que o filme extrapola em alguns pontos da ficção, mas insinuar que o filme seria um ‘fracasso retumbante’ é chato de se ler, o filme usa e abusa dos efeitos, sem contar a teoria da relatividade que é brilhantemente explorada. O filme é ótimo do começo ao fim, digno de oscar, pela história, pelos efeitos e por ser de fato um filme de ficção científica excepcional que eu não via há anos. Recomendo a todos assistirem, apesar de longo, (quase 3 horas) o filme é muito bom.

    Responder
  8. 59 WALTER A. CARNEIRO 27/01/2015 8:10

    Eu não assisti ainda o curioso “!INTERESTELAR”. Agora que descobri que não existe a opção em 3D fiquei mais desapontado ainda. Sempre achei que um filme em 3D nativo bem feito, com alguns “pop outs” em pontos estratégicos dos filmes, ajuda a contar uma estória interessante de ação, e consegue até mesmo alavancar um filme considerado chato e medíocre pela crítica que não sabe o que o grande público quer. O 3D tem sido enlameado por aqueles críticos que não conseguem visualizar direito qualquer imagem em 3D, e por isso acham que os outros também não vão gostar da experiência de um filme bem elaborado em 3D, jogando muitas vezes a culpa nos tais óculos e outras desculpas absurdas, mas nenhum reclama do incômodo que é utilizar os pesadíssimos “OCULUS” de realidade virtual.

    Responder
    • Paulo Cesar 28/07/2015 16:06

      O filme ficou disponível em IMAX, e a experiência foi indiscutivelmente gratificante a mim, pelo menos.

      Responder
  9. 58 lucilesio 24/11/2014 20:23

    O filme interstellar está atingindo 400 milhões de dólares em bilheteria mundial, 2 vezes mais do que seu orçamento de 150 milhões, sem contar que Nolan foi responsável pela produção do Homem de aço ,e vem sendo o mentor criativo da liga da justiça . A crítica falar que Chris Nolan está com a reputação arranhada , é antever as coisas com a visão unilateral que o mercado americano ainda manda , sendo que hoje a China rende muita mais em bilheteria do que qualquer outro pais do mundo , onde interstellar por acaso foi muito bem aceito.Batman Begins , só rendeu 371 milhões dólares no mundo todo, se warner não acreditasse na inventividade de Nolan , não teria investido no Cavaleiro das trevas que rendeu 1 bilhão de dólares . Tendo explicitado todos fatores de credibilidade do formidável Chris Nolan , um arquiteto da originalidade, o alquimista da inventividade , pois não ouvi ninguém falar do filme Amnésia , para mim um dos melhores roteiros que já assisti na minha vida , quero dizer que o problema de interstellar é pela antipatia da crítica por conceitos astrofísicos, que muito das vezes por sua complexidade deixa o crítico perdido , e o mesmo dentro de sua não compreensão da temática , para justificar esta situação gosta de afirmar que o cineasta foi ambicioso demais , ou extremamente virtuoso – Vide os críticos de Blade Runner em 1982-
    Assistir interstellar é viajar pela imaginação humana do espaço e tempo , é imaginar nas possibilidades da tetra, penta , hexa … dimensionalidade , é sonhar com a possibilidade de haver um outro mundo habitável para nós humanos , é perceber que a teoria dos buracos de minhoca pode ser uma nova concepção física que vai além de Eistein e Newton , sem deixar de respeita – los , e que juntando isto tudo é uma excelente matéria – prima que Nolan para mim desenvolveu brilhantemente .

    Responder
    • francisco 14/02/2015 13:23

      Concordo

      Responder
    • Gledson Silva 06/02/2015 2:04

      Parabéns, belo comentário! Na minha opinião Interestelar foi um filmaço, digno de Oscar e ficção cientifica mais inteligente em anos. Nessa geração geek (em que o que mais rende é filmes sobre heróis) Nolan tem a improvável habilidade de nos fornecer filmes dessa magnitude que nos amarra do inicio ao fim! Um enredo plausível e extremamente ansioso!!

      Responder
      • ZéBedeu 23/03/2015 9:59

        Assisti ontem o Interestelar….. terminei o filme e eu estava de boca aberta e com olhos cheios de lágrimas! Magnífico, nunca uma ficção científica foi tão carregada de emoções e reviravoltas! Mesmo bem mais “mastigado” do que 2001 ainda é um filme que não é para todos!

        Responder
    • Rafael 03/01/2015 14:18

      Excelente comentário

      Responder
    • Ivson Leon 12/12/2014 11:07

      Hahaha, gostei quando você citou Blade Runner, cara. E vide 2001: Uma Odisseia no Espaço, que também teve críticas divididas e hoje é um clássico. Ainda preciso ver o filme mais uma vez para ter uma visão mais profunda do roteiro, que pela temática física complexa não consegui esmiuçar como gostaria. Diferentemente dos outros filmes do Nolan.
      Mas, sim. O filme é incrível. Uma viagem por todas as dimensões, de todos os universos. E sobre os críticos e defensores, ainda não somos visionários o suficiente para tentar dizer o quão grande o filme vai se tornar (mesmo eu amando o filme) aos olhos dos públicos. Isso, só o decorrer do tempo vai nos mostrar. Vide 2001: Uma Odisseia no Espaço e Blade Runner.

      Responder
    • Elaine 27/11/2014 10:39

      Brilhante seu comentário, o filme é uma obra prima, acredito que quem o critica não entendeu, esse filme leva o cinema a outro patamar, é uma genuína obra de arte. Assim como ” A árvore da vida”, as pessoas comuns não conseguem lidar com esse tipo de obra, não as entendem.

      Responder
  10. 57 Amanda Aouad 21/11/2014 23:41

    Concordo que Interestelar não é tudo isso, mas acho que a imagem de Nolan ainda não está abalada, até porque conquistou uma legião de fãs que o defende de maneira ardorosa. Acho que ele precisa mesmo se repensar para não cair em armadilhas, mas não sei se já está no ponto de se preocupar com seu futuro na indústria, rs.

    Responder
  11. 56 Cristiane Costa (Madame Lumiere) 14/11/2014 19:18

    Olá Reinaldo,
    Como sempre um ótimo texto jornalístico.
    Com relação a Interstelar, temos visões bastante diferentes e a minha é mais otimista como já lhe disse brevemente.
    Vejo o filme como mais um momento de Nolan expor sua pesquisa sobre questões humanas e metafísicas. Aqui ele se arrisca bastante não só pelo tamanho da obra mas pelo roteiro de difícil amarração, além disso o filme ainda é um blockbuster e precisa ser digerido pela grande massa, sendo assim, vejo Interstelar como uma empreitada arriscada mas bem sucedida. Desta vez, ele optou por um filme extenso misturando um drama familiar e, não nego, o roteiro tem seus tropeços mas mesmo assim ele conseguiu unir a técnica audiovisual à narrativa de impacto dramático e reflexivo. Acho que os diálogos extensos eram necessários para falar sobre temas metafísicos e de física quântica (e duvido que as pessoas mais leigas no cinema entenderiam se ele não tornasse isso mais “friendly”), logo Interstelar é um filmaço apesar de seus gaps de roteiro. Também a atuação de Matthew McConaughey traz uma variável diferenciada à qualidade do filme. Concordo com você quando diz que Nolan deve voltar a algo mais básico. Acho que ele deveria tentar fazer um filme menos ambicioso mas igualmente envolvente. Tenho certeza que ele e o Jonathan Nolan serão capazes de continuar desafiando a reflexão da plateia mas de uma forma mais convencional.
    Abç, Madame

    Responder
  12. 55 Sergio 14/11/2014 7:42

    Não há como concordar com tantas críticas ao Interestelar.
    Mesmo não sendo um “crítico” de cinema penso que a voz dos desconhecidos devem ser ouvida, até porque somos nós, os anônimos, que agigantam as bilheterias.
    Na verdade, é um filme fantástico, com uma narrativa que prende a atenção e um final surpreendente. Penso que deixou muitos filmes do gênero pra trás e foi mais ousado que outros.
    Apesar de algumas críticas negativas, arrisco a dizer que ele estará nas listas de vencedores de prêmios pelo mundo afora.

    Responder
  13. 54 Marcos Davi 14/11/2014 2:41

    Descordo completamente quando o jornalista diz q falta de humor é um dos vícios do Nolan. Eu odeio comédia, em específico as de escape, que são feitas só para atrair povão. Gosto de comédia inteligente e negra se possível, mas não cabem nos filmes do Nolan. E nesse filme Interestelar tem sim algum humor escapista, partindo dos robôs. Eu amei Interestelar apesar de achar que o 3º ato não funcionou tão bem dramaticamente. Fora isso o texto do Glioche é muito bem escrito. Isso é que é jornalista.

    Responder
  14. 53 Paulo 13/11/2014 23:17

    Crítica mal feita, fico me perguntando se ele assistiu ao filme.

    Responder
  15. 52 Chuck 13/11/2014 20:46

    Enquanto isso a bilheteria mundial do filme esbarra nos 150 milhões de dólares antes de completar uma semana de exibição.

    Gostei do artigo, mas a verdade é que mesmo quem não gosta acaba indo ver para falar mau depois, e para os estúdios é somente isso que importa.

    Responder
  16. 51 João Marcelo Torres Lopes 13/11/2014 20:39

    O talento de Nolan é inquestionável!!!! Seus filmes, tem uma narrativa< um conteúdo impactante e surpreendente. Conseguiu transformar o personagem Batman no Batman que nós queríamos. O que ele fez em Origem foi algo totalmente desafiador e inimaginário. Não é a toa que atores disputam para estar nos seus filmes. E Interestelar é poético, é uma ficção que emociona, que nos coloca diante de nossos maiores medos e desfios sobre o futuro da humanidade, sem jamais perder a sombra do egoísmo atrelado a ciência ( personagem de Michael Caine). Um cara que consegue guardar a entrada de Matt Damon na estória, por si já é um gênio. E por fim, sair do cinema pensando, desconstruindo e construindo valores. Mr. Nolan, vc pode tudo!!!!!

    Responder
  1. ver todos os comentários
 

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

* Campos obrigatórios


 

Responder comentário


* Campos obrigatórios