Publicidade

segunda-feira, 13 de abril de 2015 Atores, Filmes, Listas | 19:04

Os melhores filmes de atores ruins

Compartilhe: Twitter

Não há lista sem polêmica e todo apreciador de listas, e de polêmicas, sabe disso. O Cineclube eleva as apostas ao atrelar em uma mesma lista o rótulo de pior ao melhor. A lista em destaque tem como objetivo reconhecer os melhores filmes de atores ruins. Alguns atores são conhecidos do grande público, outros não. Em comum, todos têm o fato de serem constantemente questionados pela crítica. Os filmes pelos quais são lembrados aqui não só representam o ponto alto em matéria de interpretação alcançado por esses atores, como também são filmes bons em grande parte pelo trabalho deles. Um aparente paradoxo que, como toda lista, dá pano para manga.

 

“O advogado do Diabo” (EUA, 1997) – Keanu Reeves

Fotos: divulgação

Fotos: divulgação

Keanu Reeves é um mau ator que conseguiu disfarçar suas deficiências dramáticas se refugiando na ação. Incensado a astro, tentou diversificar no cinema independente, mas jamais alcançou o êxito de outros atores desacreditados como Matthew McConaughey. No entanto, antes de “Matrix”, Reeves teve seus (bons) espasmos e o melhor deles é “O advogado do Diabo”. No filme que também é o melhor do irregular cineasta Taylor Hackford, Reeves convence como um advogado arrogante e brilhante que é assediado por ninguém menos que o Diabo. Al Pacino reclama nosso olhar para si, mas quem se predispuser a observar Reeves verá ali uma chama que infelizmente não se alastrou.

 

 “A vida é bela” (ITA, 1997) – Roberto Benigni 

A vida é bela

Roberto Benigni é um ator tão ruim que, em perspectiva, o Oscar conquistado pelo trabalho nesse belíssimo drama torna-se plenamente justificado. Emocionante e sensível, o registro de um pai que faz de tudo para maquiar os horrores da guerra para seu filho, mostra que no cinema como no futebol, todo perna de pau tem seu dia de artilheiro.

 

“Mata-me de prazer” (EUA, 2002) – Joseph Fiennes

mata-me de prazer

Não é fácil arranjar um filme bom estrelado por Joseph Fiennes, o irmão mais bonito, mas menos talentoso de Ralph Fiennes, que seja bom por causa dele. “Elizabeth”, “Círculo de fogo” e “Correndo com tesouras” são bons apesar dele. Mas esse thriller erótico que brinca com o prazer do sexo com asfixia, Fiennes faz um homem misterioso adepto da prática que vira do avesso a vida de uma mulher bem resolvida vivida por Heather Graham. Trata-se de uma boa atuação e muito do clima do filme se deve ao trabalho do ator.

 

 “Paranoia” (EUA, 2007) – Shia LaBeouf

Paranoia

Steven Spielberg certa vez disse que LaBeouf seria o próximo Tom Hanks e essa impressão veio logo depois do lançamento deste filme, um suspense despretensioso de ótima bilheteria lançado no mesmo ano do primeiro “Transformers”, que elevara LaBeouf ao status de astro. Foi, também, o primeiro filme protagonizado por ele que já vinha de pequenos papeis em “Constantine” (2005) e “Bobby” (2006). Aqui, o ator demonstra carisma e capacidade de trafegar entre os registros cômico e dramático com facilidade. Pena que o sucesso subiu à cabeça e LaBeouf jamais seria tão eficaz em cena novamente.

 

“A fúria” (EUA, 2007) – Christian Slater

A fúria

Veterano, Christian Slater esteve em ótimos filmes, mas todos eles independiam de sua presença. Em “A fúria” não é bem assim. Aqui Slater tem a chance de brilhar e o faz deixando toda a canastrice de lado. Na pele de um sujeito pacato que é ridicularizado pelos colegas de trabalho, o ator impressiona. Um belo dia seu personagem resolve levar uma arma para o trabalho para matar todo mundo, só que outra pessoa tem a mesma ideia e a põe em prática antes. Ele acaba salvando alguns colegas e passa a ser um herói. Promovido e paparicado, o sentimento de inadequação permanece. Grande filme e grande atuação.

 

 “Match point –ponto final” (INGL/ 2005) – Jonathan Rhys Meyers

match

O inglês foi uma escolha incomum de Woody Allen para essa releitura muito mais tensa e elaborada de “Crimes e pecados”, sobre um alpinista social cheio de charme que não mede esforços para vencer na vida. Depois de brilhar em “Match point”, Rhys Meyers foi descoberto por Hollywood e, afora o trabalho na série “The Tudors”, só decepcionou no cinema com atuações entre o risível e o lamentável.

 

 “Piratas do Caribe: a maldição do Perola negra” (EUA, 2003) – Orlando Bloom

Piratas do caribe

Se o galã inglês tivesse metade de talento do que tem de sorte, talvez fosse o Laurence Olivier de sua geração.  Presente em duas das mais lucrativas e influentes franquias do novo século (“Piratas do Caribe” e “O senhor dos anéis”), Bloom costuma ser o elo fraco de bons filmes como “Troia”, “Falcão negro em perigo” e “Cruzada”. Todos filmes que, entre outros objetivos, visavam impulsionar uma carreira que jamais decolou. Isso porque Bloom é ruim. Demais. Contudo, no primeiro “Piratas do Caribe”, sua química com Johnny Depp é avassaladora e ajuda a mascarar sua falta de carisma. Não é exatamente por sua atuação que esse filme é destacado, mas pelo resultado da combinação de sua atuação com a de Depp. Uma tecnicalidade que se faz necessária quando nada se salva na filmografia de um ator tão ruim como Bloom.

 

“Garota exemplar” (EUA, 2014) – Ben Affleck

Ben Affleck em "Garota exemplar": um casamento devassado

Ben Affleck em “Garota exemplar”: um casamento devassado

Ok, Ben Affleck não é exatamente ruim. Ele é mais vítima de má vontade do que exatamente ruim e está muito bem em vários filmes como “Fora de controle”, “Gênio indomável”, “Argo” e “Atração perigosa”, uma pequena amostra de quantos bons filmes ele estrelou ao longo de sua carreira. Mas essa pecha de mau ator pegou e talvez “Garota exemplar” seja Ben Affleck começando a superar este estigma. No filme de David Fincher, a inexpressividade do ator é usada para dar os contornos necessários ao marido suspeito de matar a esposa. Como o homem comum tragado para um redemoinho de sensacionalismo, o ator entrega uma atuação calibrada e cheia de insuspeitas nuanças.

 

 “127 horas” (EUA, 2010) – James Franco

127 horas

James Franco é um artista interessante. Multimidiático e disposto a expandir as fronteiras da arte, é o tipo de ator, roteirista, escritor, diretor e outras coisinhas mais que convém ficar de olho. Isso posto, como ator, Franco (ainda) deixa a desejar. Há bons momentos como em “Milk – a voz da igualdade” e “Segurando as pontas”, mas no geral o ator é inconstante e deficiente. “127 horas”, no entanto, é um filme cujo todo impacto depende exclusivamente da performance de Franco. De como o ator alcança a audiência e Franco é não menos que brilhante. Uma atuação poderosa que foi justamente distinguida com uma indicação ao Oscar e que mostra que Franco pode ainda não ter maturado, mas está no caminho certo.

 

 “Tá rindo do quê?” (EUA, 2009) – Adam Slander

tá rindo

Sempre contestado, Adam Sandler habitou-se a responder seus críticos com vultosas bilheterias. Isso já não acontece mais. Decadente, Sandler parece não cativar mais nem mesmo seu público fiel. Em “Tá rindo do quê?”, excelente comédia dramática de Judd Apatow, ele faz um comediante que descobre só ter um ano de vida e precisa lidar com a ingrata tarefa de preparar seu legado. Algo que Sandler, estranhamente e não literalmente, vivencia atualmente. Profético ou não, o filme apresenta a melhor performance do ator que permite que a metalinguagem corra solta na sua interação com o então astro em ascensão Seth Rogen. Menos dramático do que em filmes como “Reine sobre mim”, Sandler fala sério sem deixar o humor de lado.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

23 comentários | Comentar

  1. 73 Maria 21/06/2016 11:56

    Eu não concordo. James Franco é um talentoso e um bom ator. Assistir ao filme o som ea Vagões ( http://filmesonline.video/3542-the-sound-and-the-fury-2014.html )

    Responder
  2. 72 silvana ferreira 04/08/2015 20:05

    Hollywood tá cheia de canastrões, e você nem sequer citou os piores: Silvester Stalone com aquela cara de tamanco velho , Nicolas Cage totalmente inexpressivo, e inúmeros outros.

    Responder
  3. 71 Luis Ramos 14/04/2015 8:31

    Concordo com tudo.
    Mas não poderia deixar de mencionar mais alguns como Brad Pitt, Sylvester Stallone ( para mim o pior de todos) Rob Schineider, Nicolas Cage, Vin Diesel, Kevin Costner…

    Responder
  4. 70 Miguel Carlos dos Santos 14/04/2015 7:57

    A Sandra Bullock é maravilhosa!
    Você está é com inveja.

    Responder
  5. 69 alvaro buhler 14/04/2015 4:22

    Cadê o trio maior do time dos canastrões: Arnold Schwarzeneger, Silvester Stallone e Dolph
    Lundgren.

    Responder
  6. 68 beto 14/04/2015 2:27

    O sr Roberto benini não é só um péssimo ator, como o filme também é de doer.Eu particularmente acho uma porcaria A Vida é Bela. Até porque ele não foi nada original.Já tinham feito isso antes. Agora, juntando todas essas coisas que vc chamou de canastroes,não dá um tatú, da ilha da fantasia. A América é campeã de filmes absurdos e atores tão absurdos quanto. A Propósito, eu nunca assisti nenhum filme com esses caras……..exceto com o Depp, que é passável.

    Responder
  7. 67 Glauco 14/04/2015 1:11

    Sinceramente falar que Keanu Reeves (diga-se de passagem para mim é um excelente ator) é mau ator, acho que esse crítico não sabe nada do assunto. Tem tanta merda de ator por aí: Nicolas Cage, Ben Affleck, o prórpio Robert Downey JR, Sylvester Stallone, Arnold schwarzenegger, Chris Evans. E o Ashton Kutcher esse então nem se fala, horrível. E ele vem falar do Reeves, sinceramente, acho melhor esse crítico mudar de profissão.

    Responder
  8. 66 Lubiashi Bublanski 13/04/2015 23:52

    Cara, vc esqueceu do Kevin Costner e do Nicolas Cage. Tirando “Dança com lobos”, do primeiro e “Despedida em Las Vegas”, do segundo, o talento desses dois cabe num dedal. Afff!!!!

    Responder
  9. 65 paula 13/04/2015 23:47

    CONFESSO QUE JÁ SABIA QUE EU IA PERDER MEU TEMPO NESSE SITE, E NESSA MATERIA, DISCORDO EM TUDO, DO TITULO DA REPORTAGEM, DOS ATORES MENCIONADOS, DAS CRITICAS AOS ATORES… DECEPCIONANTE,, VC REINALDO PARECE O TIPO DE PESSOAS QUE ASSISTIR OS FILMES PARA ACHAR ALGO RUIM, PORTANTO PRA MIM VC NÃO É AMANTE DE CINEMA… FAÇA UMA CRITICA RELEVANTE CONCEITUAL , NÃO COPIAS… NÃO ENGANE O ELEITOR, O ATOR É RUIM OU NÃO É…DECIDA-SE….

    Responder
  10. 64 Rui Vagner 13/04/2015 23:27

    Criaremos também uma lista com os piores críticos de cinema da atualidade, acho que o que escreve para o ig deve encabeçar essa lista. Keanu Reeves no topo é uma piada desse cara…

    Responder
  11. 63 giovani 13/04/2015 22:35

    Nao tem como falar que keanu Reeves e ruim,so faz bons filnes,travalha super bem!!
    Nao sei o que e ser bom ator.

    Responder
    • Jon 14/04/2015 0:04

      Pelo jeito vc deve gostar muito Keanu OReeves e com certeza assistiu vários de seus filmes mas não tem como negar que no quesito inexpressividade ele deveria ganhar um oscar. Ele é do tipo de ator que faz comedia, drama e romance sempre com a mesma expressão no rosto.

      Responder
    • Carla Soares 13/04/2015 23:15

      Sério??? Vc chegou a ver 47 ronins???

      Responder
      • Glauco 14/04/2015 0:56

        Com certeza 47 ronins Reeves está perfeito, muio bom filme.

        Responder
  12. 62 Vicente 13/04/2015 21:57

    Excelente lista dos atores que amamos odiar, mas discordo dos elogios ao Ben Affleck porque este não merece nenhum. A essa lista, acrescentaria, sem sombra de dúvidas, os atores Seth Rogen, Vince Vaughn e Owen Wilson, canastrões que precisam ser lembrados.

    Responder
  13. 61 Alberto Rocha 13/04/2015 21:51

    Besouro Verde, eu concordo em gênero e número, um seriado excelente foi refilmado com um escracho digno do ator que o encenou, quando vi o filme saí na metade, emendo a lista com A Feiticeira, Will Ferrell não chega nem perto do bico de sapato do ótimo Dick York na primeira versão do seriado, é certo que o roteiro não ajudou mas o cara é um charlatão.

    Responder
  14. 60 Junior 13/04/2015 21:49

    VocÊ não conhece nada sobre arte meu amigo, vá falar sobre outras coisas pois como critico você deve ser um bom ator.

    Responder
  15. 59 Alex Bemsuper 13/04/2015 21:39

    Ben Affleck não é exatamente ruim?? Essa foi de gargalhar! O cara é não apenas ruim, como sofrível A inexpressividade dele nas cenas, sejam elas de qual filme forem, saltam da tela. Consegue transformar qualquer filme com potencial, em um filme com rótulo Ben Affleck: falta emoção, expressão, carga dramática, carisma – falta o ator!!

    Responder
  16. 58 Kamila Azevedo 13/04/2015 21:30

    Esse seu post é uma prova de que não existem atores ruins, e sim atores que ainda não trabalharam com boas histórias e bons diretores.

    Responder
  17. 57 zoar 13/04/2015 21:27

    Olha, eu tb não acho graça alguma naquela Sandra Bullock

    Responder
  18. 56 marcel 13/04/2015 21:09

    Cade o Dolph Lundgren nesta lista????????????????????

    Responder
  19. 55 Fernanda 13/04/2015 20:55

    Senti falta do Brad Pitt.

    Responder
  20. 54 Lucas 13/04/2015 20:36

    Até hoje não tinha me dado conta que Bloom é um charlatão…
    Sempre dei moral pra ele por causa do Légolas..

    Responder
  21. 53 Mineirim 13/04/2015 20:09

    Concordo com tudo.

    Responder
  22. 52 Adão de Moraes 13/04/2015 19:44

    Concordo com os péssimos atores citados,você só esqueceu do próprio Seth Rogen,é só assistir o Besouro Verde ,com o ator certo seria um filme dentro do razoável com o Seth Rogen ,ficou péssimo!
    Até o Besouro verde da década de 60 é melhor!

    Adão

    Responder
  23. 51 Orlando Deep 13/04/2015 19:21

    Você como crítico é um zero a esquerda kkkkkkkkkk

    Responder
  1. ver todos os comentários
 

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

* Campos obrigatórios


 

Responder comentário


* Campos obrigatórios