Publicidade

quarta-feira, 10 de junho de 2015 Notícias | 20:56

Pesquisa indica que faturamento do On Demand vai superar cinemas em 2018

Compartilhe: Twitter
Foto: divulgação

Foto: divulgação

Que a maneira de se assistir TV está mudando todo mundo sabe. Passa por essa mudança o crescimento voraz do streaming, capitaneado pela Netflix, e pela popularização do vídeo on demand, conceito em que o espectador assiste o que quiser, quando quiser e como quiser – conceito adornado pela acesso à internet cada vez mais amplo. O que a pesquisa produzida e divulgada pela PrivewaterhouseCoopers projeta, no entanto, é uma mudança muito mais rápida e profunda do que analistas de mercado previam.

De acordo com o estudo, realizado em 54 países, inclusive o Brasil, os vídeos online vão superar os lucros das salas de cinema norte-americanas já em 2018, tornando-se a principal fonte de renda do mercado nos EUA. A tendência, defendem os responsáveis pela pesquisa, é que o mundo – ainda que mais lentamente – replique esse movimento.

Nessa categoria de vídeo online, incluem-se assinaturas, aluguéis e compras avulsas de títulos em serviços como Netflix e Hulu. Canais como HBO e Showtime já se movimentam para lançar no mercado americano sites de streaming com assinaturas independentes de seus canais a cabo. A expectativa é de que o setor cresça cerca de 14% ao ano. O mesmo estudo indica que o cinema deve crescer cerca de 4% ao ano. Uma diferença brutal aos olhos de investidores, o que poderia precipitar uma mudança na hierarquia de lançamentos de filmes. Nos EUA, muitos filmes independentes já estão sendo comercializados por streaming simultaneamente ao lançamento nos cinemas.

Leia também: 

Internet ganha força como plataforma de lançamento de filmes

Marasmo na produção dos estúdios redimensiona redimensiona produção de cinema independente dos EUA

Autor: Tags: , , ,

Nenhum comentário, seja o primeiro.

 

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

* Campos obrigatórios


 

Responder comentário


* Campos obrigatórios