Publicidade

Arquivo de novembro, 2015

quinta-feira, 5 de novembro de 2015 Críticas, Filmes | 15:34

Doce e cativante, “Ruth & Alex” fala de amor, Nova York e imóveis

Compartilhe: Twitter
Foto: divulgação

Foto: divulgação

“Ruth & Alex” (2014) é daquela estirpe que convencionamos chamar de “feel good movies”. Dirigido por Richard Loncraine (“Wimbledon – o jogo do amor”), o filme flagra um casal da melhor idade às voltas com a necessidade de se desfazer de seu apartamento no Brooklyn e imersos na nostalgia inerente a todo grande processo de mudança.

Alex (Morgan Freeman) é um pintor que apesar de relativo sucesso local, jamais despontou na carreira. Ruth (Diane Keaton) é a estudante progressista que se apaixonou pelo artista cheio de personalidade. Com flashbacks, o filme tangencia o passado da relação de Ruth e Alex em seus pontos-chave e aposta no carisma de Freeman e Keaton para seduzir a audiência.

Ruth e Alex tentam com a ajuda da sobrinha da primeira, vivida por Cynthia Nixon, vender seu apartamento, cujo prédio não tem elevador; o que pode acarretar futuros danos à saúde do casal. Empolgada, Ruth estimula Alex a procurar um novo apartamento enquanto tentam vender o seu.

O texto de Charlie Peters baseado na obra “Five Flights up” de Jill Ciment é leve e hábil em fazer da especulação imobiliária uma divertida gincana – pelo menos para o público.

Amor, preconceito, independência, cumplicidade, Nova York são temas muito bem abordados por “Ruth & Alex”, um filme que vai crescendo de tamanho à medida que se aproxima de seu desfecho.

Sem ser solene e apostando na simplicidade, Loncraine entrega um filme cheio de brilho, com muita personalidade e todo ele empoderado pela graciosidade de Freeman e Keaton como protagonistas.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 2 de novembro de 2015 Filmes | 14:01

Adaptação do game “Warcraft” para cinema ganha primeiro cartaz

Compartilhe: Twitter

Tranquilamente um dos filmes mais aguardados de 2016, “Warcraft”, adaptação do famoso game conduzida pelo filho de David BowieDuncan Jones dirigiu os excelentes “Contra o tempo” (2011) e “Lunar” (2009) – ganhou seu primeiro cartaz nesta segunda-feira. A divulgação dá o pontapé inicial em uma semana importante para a Legendary Pictures e Universal, produtora e distribuidora respectivamente da fita. Na sexta-feira (6) será lançado o primeiro trailer do filme e toda a internet vai ter uma real primeira impressão para discutir.

O pôster, pelo menos, é de ensejar boas expectativas. “Warcraft”, que promete ser um épico de fantasia para suprir a carência dos fãs da Terra-Média, tem estreia programada para 9 de junho de 2016 no Brasil e no mundo.

Warcraft

Autor: Tags: ,

Bastidores | 10:52

Bilheterias americanas têm outubro sangrento, mas o que isso significa?

Compartilhe: Twitter

Este último fim de semana, de Halloween, apresentou o pior desempenho de bilheteria no ano nos cinemas americanos. Três estreias com astros de peso, “Especialista em Crise”, com Sandra Bullock, “Pegando Fogo”, com Bradley Cooper, e “Truth”, com Robert Redford e Cate Blanchett, naufragaram no box office. Sandra Bullock, inclusive, teve o desprazer de registrar a pior bilheteria de estreia de sua carreira.

De maneira geral, o mês de outubro foi tenebroso para os estúdios. Repleto de lançamentos adultos, o box office americano se viu dominado por “Perdido em Marte” que fechou o mês no topo das bilheterias cinco fins de semanas depois de sua estreia. Apesar de ser bom entretenimento, o filme de Ridley Scott e distribuído pela Fox se beneficiou de projetos comerciais de outros estúdios como “A Colina Escarlate” (Universal) e “Pan” (Warner) não terem emplacado.

Sandra Bullock e Billy Bob Thorton em cena de "Especialista em Crise": Assim como "Argo", filme é produzido por George Clooney (Foto: divulgação)

Sandra Bullock e Billy Bob Thorton em cena de “Especialista em Crise”: Assim como “Argo”, filme
é produzido por George Clooney
(Foto: divulgação)

Lançamentos de cineastas prestigiados e com ambição de prêmios, como “Steve Jobs”, de Danny Boyle, e “A Travessia”, de Robert Zemeckis, também tombaram nas bilheterias acendendo a luz amarela nos estúdios.

Ninguém espera que a situação se prolongue, afinal, o novo 007 e o último “Jogos Vorazes” se avizinham, mas os estúdios podem reavaliar a política de concentrar filmes mais adultos no mês de outubro. Historicamente, produções com aspirações ao Oscar costumam ser lançados neste mês. A Warner, que já fizera isso com “Argo” em 2012, voltou à carga este ano com “Aliança do Crime”, que não fez barulho no box office. “Birdman”, vencedor do Oscar 2015, foi lançado em circuito reduzido em outubro e só teve lançamento expandido em dezembro. Analistas da indústria criticam a Universal por não ter replicado a estratégia com “Steve Jobs”.

Um analista da Rentrak ouvido pelo The Hollywood Reporter vê na alta concentração de filmes adultos uma razão para os flops no box office. “Perdido em Marte” e “Ponte dos Espiões”, o novo Spielberg, estão performando bem. Mas esse público não é tão ávido por lançamentos quanto os adolescentes, advoga, e, portanto, não garante bilheterias de estreia tão calorosas.

O outubro sangrento nas bilheterias américas não deve fazer com que os estúdios produzam menos filmes adultos. Eles já produzem bem pouco. Mas forçar uma reavaliação de estratégias de lançamento. Além de uma eventual desconcentração da janela de estreias.

Autor: Tags: , , ,

domingo, 1 de novembro de 2015 Curiosidades, Filmes | 07:48

Como seria o Tinder de James Bond?

Compartilhe: Twitter
Fonte: www.stylight.com.br

Fonte: www.stylight.com.br

Uma das principais características do espião britânico que volta aos cinemas nesta quinta-feira (5) em “007 contra Spectre” é seu fraco por mulheres. As famigeradas Bond girls compõem um elemento indissociável do universo Bond e em “Spectre” ganham a forma da francesa Léa Seydoux e da italiana Monica Bellucci, que se torna a atriz mais velha a interpretar uma Bond girl.

Na era Craig, Bond pode estar até menos mulherengo, mas continua espalhando seu charme por aí. Mas como seria a interação do personagem com as mulheres que o gravitam pelo Tinder? A brincadeira recupera todas as mulheres da fase de Daniel Craig nos filmes “Cassino Royale”, “Quantum of Solace”, “Operação Skyfall” e “Spectre” e até mesmo Angelina Jolie, que se recusou a ser Bond girl – ela e Craig já haviam trabalhado juntos no primeiro “Tomb Raider” (2001). Quando ele foi, digamos assim, uma espécie de Bond Girl, ou Croft boy, para a Lara Croft de Jolie.

Para conferir toda a brincadeira, além de oportuna, bem divertida, basta clicar aqui e curtir a desventuras do sexagenário agente a serviço de sua majestade pelo app de paquera.

Chat-James-Bond

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última