Publicidade

sexta-feira, 9 de junho de 2017 Críticas, Filmes | 19:50

Vaca em crise existencial é trunfo do hermético “Animal Político”

Compartilhe: Twitter

 

“Animal Político” já recebeu prêmios em muitos festivais e é a melhor estreia das salas de cinema do Brasil neste final de semana

animal político

Existem filmes que investem na sutileza ao fazer um comentário político ou social. Não é o caso de “Animal Político”, estreia da vez da Sessão Vitrine Petrobras, que estreia em diversas capitais brasileiras. Dirigido por Tião e rodado entre 2010 e 2013 em Pernambuco e na Paraíba, o filme tem como protagonista uma vaca em crise existencial. A opção é legítima, corajosa e desestabilizadora, pois propõe um distanciamento do olhar do espectador para as banalidades de seu cotidiano. Do ponto de vista discursivo é um triunfo, narrativo nem tanto. Há certas barrigas que apenas um olhar lúdico pode contemporizar.

Leia também: “Mulher-Maravilha” é acerto da Warner em Hollywood, no cinema e na vida

A vida do protagonista é confortável. Infância feliz, quase nenhuma doença – um par de cáries aqui e ali – família participativa, um bom emprego, mas a sensação de vazio se agiganta. Não é uma trama estranha ao universo de quem se interessa por dramaturgia. Seja ela no cinema, na televisão, na literatura, etc. O que difere “Animal Político” é justamente a ousadia de colocar uma vaca como senhora de uma reflexão capaz de encontrar eco em todos os espectadores.

Leia também: “War Machine” desconstrói a mentalidade da guerra com humor e inteligência 

animal 11É uma diferença fundamental e que responde pelo que o filme tem de melhor a apresentar – e de mais ingênuo também. É preciso embarcar na viagem proposta pela obra – e o verniz filosófico é potente e bem calibrado. A narração do ator Rodrigo Bolzar para os pensamentos de Cerveja, o nome real da vaca protagonista, nada mais é do que um ensaio de reverberações filosóficas clamorosas.

Leia também: Robert De Niro volta a brilhar na pele de magnata fraudulento em “O Mago das Mentiras”

A outra presença no filme, humana, mas menos civilizada, que expande a sensorialidade proposta pelo projeto. Há também uma necessária referência a “2001: Uma Odisseia no Espaço”, filme que de certa maneira é precursor de todo o embate existencial encampado aqui. Aspecto interessante a se observar no longa é justamente quando a vaca parece desumanizar-se. Há tanto um componente anárquico – e a piada com o manual da ABNT é simplesmente antológica – como uma ode ao naturalismo do primeiro ato do filme. Valorizando essencialmente a busca pelo sentido da vida, “Animal Político” expõe a citação clássica de Buda em mais um dos grandes pequenos achados que estruturam a narrativa: “A vida não é uma pergunta a ser respondida, mas um mistério a ser vivido”.

Autor: Tags: , ,

5 comentários | Comentar

  1. 55 É um filme sobre a construção da intimidade, diz diretora de “Mulher do Pai? | URGENTE NEWS 18/07/2017 13:30

    […] Leia também: Vaca em crise existencial é trunfo do hermético “Animal Político” […]

    Responder
  2. 54 Tensões silenciosas movem o delicado e sugestivo “Mulher do Pai? | URGENTE NEWS 18/07/2017 7:00

    […] Leia também: Vaca em crise existencial é trunfo do hermético “Animal Político” […]

    Responder
  3. 53 É um filme sobre a construção da intimidade, diz diretora de “Mulher do Pai” | NOTÍCIAS CUIABÁ 04/07/2017 8:02

    […] Leia também: Vaca em crise existencial é trunfo do hermético “Animal Político” […]

    Responder
  4. 52 Tensões silenciosas movem o delicado e sugestivo “Mulher do Pai” | NOTÍCIAS CUIABÁ 04/07/2017 1:31

    […] Leia também: Vaca em crise existencial é trunfo do hermético “Animal Político” […]

    Responder
  1. ver todos os comentários
 

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

* Campos obrigatórios


 

Responder comentário


* Campos obrigatórios