Publicidade

Arquivo da Categoria Bastidores

segunda-feira, 25 de agosto de 2014 Bastidores, Filmes | 20:52

“Guardiões da galáxia” dissipa dúvidas sobre seu reinado na temporada de blockbusters

Compartilhe: Twitter

Guar“Guardiões da galáxia” é um dos filmes mais divertidos da temporada. Ponto final? Não necessariamente. O sucesso da Marvel parece se recusar a encerrar o capítulo que está escrevendo na história do cinema em 2014 e da Marvel enquanto estúdio. No último fim de semana algo raro aconteceu nas bilheterias dos EUA. Um filme já em cartaz há um mês retornou ao topo das bilheterias. Que filme é esse? Bem, o título deste texto já diz tudo. Nada de “Sin City : a dama fatal” ou o drama teen “Se eu ficar”, quem tirou “As tartarugas ninjas” da liderança do ranking foi “Guardiões da galáxia”. Mas não só! O filme dirigido por James Gunn está a poucos dias de ultrapassar “Capitão América: o soldado invernal”, também da Marvel, como o filme mais rentável do ano nos EUA. “Guardiões da galáxia” já arrecadou U$ 251 milhões nas bilheterias americanas enquanto que o segundo  “Capitão América” ostenta a marca de U$ 259 milhões. Analistas da indústria são ainda mais otimistas e projetam que o filme estrelado por Chris Pratt supere o patamar de U$ 300 milhões.

Leia a crítica do filme: “Guardiões da galáxia” é o 7×1 da Marvel no cinemão americano 

Outro indício da consistência do filme é que de todos os sucessos de bilheteria do ano (de “A culpa é das estrelas” a “Godzilla”) é o que menos perde público de uma semana para a outra. Dado este que, não só consolida essa liderança que se avizinha na mais concorrida temporada de lançamentos do cinema americano, como demonstra que o filme se comunica com um público muito mais diverso do que muitos supunham. Indo muito além daquela molecada cheia de espinhas que filmes de heróis como “O espetacular Homem-Aranha 2: a ameaça de Electro” miram em cheio.

Se a Marvel já estava rindo à toa, a notícia de que “Guardiões da galáxia”, em qualquer parâmetro adotado é o filme da temporada, é um alento para a ousadia e a criatividade que devem seguir norteando as escolhas do estúdio e, também, de quem quiser lhe fazer frente nas bilheterias.

Autor: Tags: ,

sábado, 9 de agosto de 2014 Atrizes, Bastidores | 12:41

A musa dos mercenários, Ronda Rousey

Compartilhe: Twitter
A lutadora, e agora atriz, na pesagem para sua última luta no UFC realizada no dia 6 de julho

A lutadora, e agora atriz, na pesagem para sua última luta no UFC realizada no dia 6 de julho

Ela é loira, linda, carismática, atlética, espontânea e pode te derrubar em um piscar de olhos. Estamos falando, é claro, de Ronda Rousey, a atual campeã da categoria peso galo feminino do UFC, que debuta no cinema em “Os mercenários 3”.

Antes de migrar para o MMA, Ronda foi exímia judoca – chegou a ganhar as medalhas de bronze nas olimpíadas de Pequim em 2008 e ouro no Pan-americano do Rio de Janeiro em 2007.

O cinema é uma consequência natural na carreira da já veterana atleta de 27 anos. O primeiro convite veio de Vin Diesel, que é seu fã, para participar do sétimo “Velozes e furiosos”. A morte de Paul Walker, no ano passado, fez o filme ser remanejado para 2015 e Sylvester Stallone, que já a assediava para engrossar o elenco da segunda continuação de “Os mercenários”, foi quem  se beneficiou. Não só Ronda topou o convite, como a agenda ficou livre pela necessidade da produção de “Velozes e furiosos 7” repensar os rumos do filme sem seu co-protagonista.

Ronda e sua cara de má em cena de "Os mercenários 3"

Ronda e sua cara de má em cena de “Os mercenários 3”

Exibindo todo o seu charme ao lado de Vin Diesel em cena de "Velozes e furiosos 7"

Exibindo todo o seu charme ao lado de Vin Diesel em cena de “Velozes e furiosos 7”

Mas por que Ronda? A pergunta deve rondar um ou outro leitor que ainda não conhece o repertório da moça. Ronda Rousey é o que podemos chamar de fenômeno. Ninguém se adaptou ao MMA de forma tão orgânica e vistosa como ela. Ela já é a campeã de vendas de pay-per-view do evento ao lado do também campeão dos meio-pesados Jon Jones. Em suas lutas sempre esbanja técnica e é uma figura proeminente nas redes sociais.

De uns tempos para cá sua agenda social, no entanto, inchou. Para desespero dos donos do UFC, Ronda tem dado pistas de que pode seguir carreira no cinema. Ela acaba de confirmar presença no filme “Entourage”, adaptação da famosa série da HBO. Além disso, tem aparecido em capas de revista (masculinas, femininas, esportivas…) e ido a um sem número de programas de TV. A rotina de Ronda cada vez mais se parece com a de uma celebridade e menos com a de uma lutadora.

Sua estreia no cinema, no entanto, sugere que ela vai precisar da disciplina de lutadora para evoluir na carreira. Alguém disse para Ronda fazer cara de durona e ela manda sua “fight face” o filme todo. Seu carisma, no entanto, compensa a estreia modorrenta.  No meio daquele mar de músculos e testosterona, Ronda Rousey é hipnotizante. E isso é algo que não se aprende, Ronda já traz com ela. Além do mais, ela conseguiu se impor em um filme de ação com os maiores astros do cinema do gênero. Há de se respeitar, e temer, uma mulher que consegue tal proeza.

Fotos: divulgação, reprodução Instagram e divulgação/UFC

Autor: Tags:

segunda-feira, 4 de agosto de 2014 Bastidores, Curiosidades | 21:13

As várias versões femininas de “Os mercenários”

Compartilhe: Twitter
Nem Chuck Norris, que deu as caras em "Os mercenários 2" seria capaz de tirar Stallone dessa encrenca

Nem Chuck Norris, que deu as caras em “Os mercenários 2” seria capaz de tirar Stallone dessa encrenca

As vésperas do lançamento do terceiro filme, e lidando com o cada vez mais raro drama do filme vazar antes da estreia, é desnecessário dizer que Sylvester Stallone criou uma mina de ouro com a franquia de ação mais improvável do cinema contemporâneo.

Ele mesmo, ao lado do produtor Avi Lerner, articula uma versão feminina da franquia que estrela com Jason Statham, Jet Li e tantos outros.

Segundo Lerner, há negociações envolvendo Cameron Diaz, Milla Jovovich e ninguém menos do que Meryl Streep para estrelar o filme. Até mesmo diretor a produção já tem. Será Robert Luketic (de “Legalmente loira” e “A sogra”). Se tudo der certo, “ExpandBelles” terá Sigourney Weaver (a estrela da série “Alien”) fazendo as vezes de Sylvester Stallone. A ideia é lançar o filme pela Millennium Films, mesma empresa responsável pela distribuição dos três “Os mercenários”.

O que Stallone não esperava é que todo mundo quisesse tirar um lasco dessa ideia. No mês passado foi divulgado o trailer de “Mercanaries”, que coloca um grupo de elite composto só por mulheres para invadir uma prisão e resgatar uma diplomata. O filme tem Kristanna Loken, que foi um exterminador em “O Exterminador do futuro 3: a rebelião das máquinas” (2003), e Brigitte Nielsen, que é ex-mulher de Stallone na vida real. Além de Vivica A. Fox (“Kill Bill – vol I”).

 

Como se já não bastasse o clone chegar antes do original, Stallone vê a concorrência aumentar com a confirmação de que outro estúdio, Private Defense Contractors, está produzindo sua versão feminina dos mercenários e já contratou duas atrizes. A primeira é Gina Carano, ex-lutadora de MMA que esteve no elenco de “Velozes e furiosos 6”. A outra é Katee Sackhoff (“Battlestar Galactica”). O estúdio é especializado em produções B do cinema de ação, como a franquia “Riddick”, estrelada por Vin Diesel.

Stallone criou um monstro que já dá sinais de ser capaz de devorá-lo.

A bela Gina Carano é a protagonista de outra versão alternativa do filme com mercenárias que Stallone quer fazer

A bela Gina Carano é a protagonista de outra versão alternativa do filme com mercenárias que Stallone quer fazer

Se Chuck Norris não salva, Meryl Streep tem o poder de gerar buzz em um versão feminina do filme. Mas ela toparia?  (Fotos: divulgação e getty)

Se Chuck Norris não salva, Meryl Streep tem o poder de gerar buzz em uma
versão feminina do filme. Mas ela toparia? (Fotos: divulgação e getty)

Autor: Tags:

sexta-feira, 1 de agosto de 2014 Bastidores, Curiosidades | 21:18

Marvel divulga vídeo rememorando (e celebrando) suas fases 1 e 2 no cinema

Compartilhe: Twitter
Robert Downey Jr. em cena doo terceiro "Homem de ferro": ação, humor e um plano muito bem definido valem o sucesso da Marvel no cinema

Robert Downey Jr. em cena doo terceiro “Homem de ferro”: ação, humor
e um plano muito bem definido valem o sucesso da Marvel no cinema

Com o lançamento de “Guardiões da Galáxia”, a Marvel se despede do que chama de fase 2 de sua incursão pelo cinema.  A próxima produção do estúdio está programada para ser lançada em 30 de abril de 2015 e é um “filminho” chamado “Os vingadores 2: a era de Ultron”.

A primeira fase foi iniciada com “Homem de ferro” em 2008. Fizeram parte desta etapa introdutória os filmes “O incrível Hulk” (2008), “Homem de ferro 2” (2010), “Thor” (2011), “Capitão América: o primeiro vingador” (2011) e “Avengers: os vingadores” (2012). A segunda fase, menor e menos empolgante, se deu com “Homem de ferro 3” (2013), “Thor: o mundo sombrio” (2013), “Capitão América: o soldado invernal” (2014) e “Guardiões da galáxia” (2014).

A sequência de “Os vingadores” dará continuidade aos planos para lá ambiciosos da Marvel. Na próxima fase, novos personagens devem ter filmes lançados, como “Homem- formiga” e o “Doutor Estranho”, o escudo do Capitão América deve mudar de mãos e séries com personagens menos conhecidos como Punhos de ferro e Luke Cage, além do Demolidor – que voltou aos domínios do estúdio, serão lançadas sob parceria com a Netflix.

Pensando bem, e o vídeo em tom épico demonstra isso, a Marvel tem muito o que comemorar mesmo.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 15 de julho de 2014 Bastidores, Curiosidades | 20:48

Os mercenários ficam chiques em ensaio para a Vanity Fair

Compartilhe: Twitter

Depois de reforçar seu elenco para a terceira aventura nos cinemas, Sylvester Stallone não poupa esforços para fazer deste terceiro capítulo da franquia mais improvável do cinema de ação um dos acontecimentos do ano nos cinemas. Depois de invadir o festival de Cannes com um tanque em maio, os mercenários posaram para um ensaio exclusivo da nova edição da prestigiada revista Vanity Fair.

Quem são todos os mercenários no terceiro filme

Nas fotos, Mel GibsonSylvester Stallone, Arnold Schwarzenegger, Antonio Banderas, Harrison Ford, a lutadora de MMA e atriz debutante Ronda Rousey, Jason Statham, Dolph Lundgren, Kellan LutzWesley Snipes e Kelsey Grammer surgem elegantes e brincalhões. Vale tudo pela atenção da plateia e Stallone e sua trupe realmente não brincam em serviço. Após as fotos, um belo pôster animado para aguçar ainda mais a curiosidade pelo filme.

“Os mercenários 3” estreia no dia 21 de agosto nos cinemas brasileiros

Fotos: Vanity fair

Fotos: Vanity fair

Vanity fair - mercenários (2)

Stallone, Schwarzenegger e seus punhos...

Stallone, Schwarzenegger e botox?

Schwarzenegger impressionado com a barba de Mel Gibson...

Schwarzenegger impressionado com a barba de Mel Gibson…

Antonio Banderas sempre se agarrando em algo...

Antonio Banderas sempre se agarrando em algo…

Stallone e "todo mundo olhando para cá..."

Stallone e “todo mundo olhando para cá…”

Stallone e o chapa Lundgren: "mas não conta para ninguém..."

Stallone e o chapa Lundgren: mas não conta para ninguém…

Apenas relaxe...

Apenas relaxe…

E para quem estava reclamando da ausência de mulher neste filme... Ronda Rousey

E para quem estava reclamando da ausência de mulher neste filme… Ronda Rousey

Autor: Tags:

sexta-feira, 11 de julho de 2014 Análises, Bastidores | 22:00

Sinal amarelo aceso em Hollywood

Compartilhe: Twitter
Angelina Jolie em "Malévola": uma das grandes sensações de uma temporada pouco vistosa

Angelina Jolie em “Malévola”: uma das grandes sensações de uma temporada pouco vistosa

Os meses que compõem o verão no hemisfério norte representam a temporada de ouro para os estúdios de cinema. Não à toa, eles programam para a janela entre maio e agosto seus principais lançamentos no ano. O congestionamento na temporada já dilatou esse concorrido calendário para os meses de abril e setembro.

Pois bem, em 2014 a arrecadação nas bilheterias americanas estão mais tímidas do que o projetado por analistas da indústria.  Já era esperada uma queda em relação a 2013, ano que registrou recorde de bilheteria, mas não se esperava uma queda na casa dos 20%, conforme alinhado pelo site Box Office Mojo, referência em matéria de bilheterias.

Até poucos dias, o filme mais visto nos EUA era uma produção lançada fora da temporada. “Uma aventura lego” com U$ 257 milhões foi ultrapassado por “Capitão América: o soldado invernal” que amealhou U$ 258 milhões. Apenas há duas semanas um filme conseguiu romper a barreira dos U$ 100 milhões no fim de semana de estreia. Este filme foi “Transformers: a era da extinção”.  Essa barreira, em outros anos, fora rompida por quatro ou cinco filmes.

Isso não é tudo. Em uma temporada de poucos fracassos retumbantes, mas sem nenhum grande hit, filmes como “Vizinhos” e “A culpa é das estrelas” chamam atenção. São os filmes mais bem sucedidos da temporada na medição que considera custo de produção e retorno financeiro. Eles ocupam, respectivamente, a sétima e a nona posições do ranking dos dez filmes mais vistos da temporada. Além de “A culpa é das estrelas”, outra produção protagonizada por uma mulher tem destaque na temporada. “Malévola” já faturou U$ 217 milhões nos EUA e pouco mais de U$ 600 milhões em todo o mundo. Trata-se de um dado curioso, já que a temporada raramente apresenta filmes com protagonistas femininas.

Cena de "Capitão América: o soldado invernal", o primeiro lançamento da temporada é o filme de maior bilheteria até o momento. Tendência verificada pelo quinto ano seguido

Cena de “Capitão América: o soldado invernal”, o primeiro lançamento da temporada é o filme de maior bilheteria
até o momento. Tendência verificada pelo quinto ano seguido

A vertiginosa queda no faturamento da temporada de blockbusters, no entanto, não deve repercutir gravemente no planejamento financeiro dos estúdios. Primeiro porque estes sabem que, nos tempos atuais, o grosso do faturamento vem de mercados internacionais como Brasil, China e Europa. Segundo porque o verão americano de 2015 promete ser um dos mais lucrativos da história. Filmes como “Star Wars: episódio VII”, “Os vingadores: a era de Ultron”, “Missão impossível 5”, um novo Exterminador do futuro e o 24º filme de 007  são superproduções que devem garantir o sono tranquilo dos executivos.

No entanto, os números de 2014 – que ainda tem filmes como “Planeta dos macacos: o confronto” e “Guardiões da galáxia” à espreita – sugerem que é preciso repensar o modelo vigente.

Autor: Tags: ,

sábado, 28 de junho de 2014 Bastidores, Filmes | 07:00

Os 25 anos de “Batman – o filme”

Compartilhe: Twitter
Fotos: divulgação

Fotos: divulgação

Adaptações de HQs são contumazes nos dias de hoje, mas nem sempre foi assim. Quando Tim Burton lançou “Batman – o filme” em 1989 foi como quando o homem foi à lua pela primeira vez. Ninguém sabia se daria certo. A excentricidade de Burton era questionada e sua escolha por Michael Keaton para viver Bruce Wayne/Batman era ridicularizada por fãs e indústria. Entre as preocupações da Warner figuravam ainda o temor de que como o programa de tv estrelado por Adam West, maior referência do personagem para o grande público, poderia afetar o filme.

Nesta última semana, comemoraram-se os 25 anos do lançamento do filme que teve ainda Jack Nicholson como o Coringa e Kim Basinger, no auge da beleza, como o interesse romântico de Bruce Wayne.

Jack Nicholson, a propósito, inaugurou na ocasião uma nova modalidade de cachê em Hollywood que hoje é praxe. Na contramão das desconfianças do estúdio, Nicholson resolveu apostar forte no filme. Aceitou o pagamento mínimo previsto pelo sindicato dos atores e colocou em contrato que o restante de seu cachê deveria ser pago com 15% da bilheteria total da produção. A Warner topou, crente que estaria barateando o passe de um dos maiores astros de Hollywood. “Batman – o filme”, no entanto, faturou U$ 412 milhões, recorde até então e uma monstruosidade de dinheiro para os padrões de 1989. As adaptações de HQs eram um sucesso e Batman, em particular, passava a ser o grande talismã da Warner. Foram mais seis filmes desde então. Para bem ou para o mal, nenhum reproduziu a perplexidade deste exemplar dirigido por Tim Burton. O segundo filme dirigido por Christopher Nolan, “Batman – o cavaleiro das trevas” (2008) amealhou relevância ímpar para uma adaptação de HQ, mas o próprio não existiria se Burton não tivesse surpreendido a todos em 1989.

Kim Basinger, também em cartaz com "9 e 1/2 semanas de amor", era mania no final dos anos 80

Kim Basinger, ainda na esteira de “9 e 1/2 semanas de amor”, era mania no final dos anos 80

Em “Batman – o filme”, ainda que soturno, o personagem não inflexiona as questões existenciais ensejadas por Chistopher Nolan em sua recém-encerrada trilogia. Mas o aspecto sombrio do personagem está lá, esmerado em uma complexidade que Burton expõe visualmente. Sua Gothan City é menos realista do que a de Nolan, mas mais intimidadora. Isso porque Burton trabalha na mesmo tom as sombras da cidade e dos personagens. A angústia de Wayne não é menos nociva do que a loucura do Coringa e a aparente falta de sobriedade na mise-en-scène reforça justamente o aspecto fantástico inerente aquele universo, mas que como em toda boa ficção fala à realidade com indefectível propriedade.

Dupla dinâmica: Nicholson riu por último em matéria de remuneração, mas perdeu o posto de "Coringa definitivo" para Heath Ledger

Dupla dinâmica: Nicholson riu por último em matéria de remuneração, mas perdeu o posto de “Coringa definitivo” para Heath Ledger

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 6 de junho de 2014 Bastidores, Curiosidades | 22:05

Reveladas primeiras fotos de Arnold Schwarzenegger no novo “Exterminador do futuro”

Compartilhe: Twitter

Ele voltou! Mas como indicam essas imagens divulgadas pelo Facebook de um fã clube do ator Arnold Schwarzenegger, esse T-800, se é que ele continuará sendo um T- 800 nesse quinto filme, também envelhece. E fuma! “Terminator: genesis”, que ainda não tem tradução no Brasil, irá reiniciar a franquia no cinema. Teremos um John Connor adulto, que será interpretado por Jason Clark (“A hora mais escura”), uma Sarah Connor marrenta (vivida por Emily Clarke, da série “Game of Thrones”) – não há nenhum parentesco entre eles fora das telas – e Jay Courtney (“Divergente”) como Kyle Resse, o pai de John.

A direção do filme compete a Alan Taylor, que além da experiência em “Game of Thrones”, dirigiu “Thor – o mundo sombrio” (2013). A estreia está programada para 2015 e marcará o retorno de Schwarzenegger à franquia que o consagrou.

Schwarzenegger 2

Fotos: Schwarzenegger for president facebook page

Fotos: Schwarzenegger for president facebook page

Autor: Tags: ,

terça-feira, 13 de maio de 2014 Bastidores, Filmes, Fotografia | 22:16

Veja como seria o visual do novo Godzilla

Compartilhe: Twitter

O site Comic Book Movie divulgou quatro imagens conceituais do novo “Godzilla”. Os desenhos de produção permitem vislumbrar como seria o visual do monstro no filme que estreia nos cinemas na próxima quinta-feira (15). Todas as concepções visuais foram descartadas. O iG já viu o filme e é possível conferir as impressões sobre a produção aqui.

God 1

God 2

God 3

God 4

God oficial

O Godzilla oficial em imagem de divulgação do filme

Autor: Tags:

segunda-feira, 5 de maio de 2014 Bastidores | 20:36

Matt Damon como Jason Bourne novamente? É muito possível!

Compartilhe: Twitter
O diretor Paul Greengrass e Matt Damon no set de "O ultimato Bourne"  (Foto: divulgação)

O diretor Paul Greengrass e Matt Damon no set de “O ultimato Bourne” (Foto: divulgação)

“Se algum dos telespectadores tiver uma boa história, por favor, submeta-a à Universal”. A frase foi dita pelo ator Matt Damon durante um programa matinal na tv americana nesta segunda-feira, o CNBC. Ele se referia à possibilidade de voltar a viver o espião Jason Bourne no cinema. Damon reiterou que só volta à franquia que redefiniu o cinema de ação se o roteiro for bom e o diretor for Paul Greengrass, o homem por trás de “A supremacia Bourne” (2004) e “O ultimato Bourne” (2007).

O ator disse que segue aberto a voltar à franquia, mas dá a entender que não vai abrir mão de suas condições. De qualquer modo, a fala de Damon em um momento que ele precisa emplacar um sucesso de bilheteria é a senha para o estúdio, que já havia anunciado o interesse em realizar um quinto filme, reinstaurar a rodada de negociações. Paul Greengrass, que no ano passado fez “Capitão Phillips” e amealhou seis indicações ao Oscar, segue sem projetos em vista. Pode ser daqueles casos em que sai todo mundo ganhando.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 8
  3. 9
  4. 10
  5. 11
  6. 12
  7. Última