Publicidade

Arquivo da Categoria Curiosidades

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015 Curiosidades, Listas | 20:43

E se os pôsteres dos filmes indicados ao Oscar fossem sinceros?

Compartilhe: Twitter

A brincadeira é anual. Todo ano, religiosamente, o site The shiznit promove uma desconstrução de algumas produções indicadas ao Oscar com muito cinismo e humor negro. O Cineclube apresenta a safra deste ano que traz “sinceridade” aos cartazes dos filmes que pleiteiam o Oscar.

"A crise do cavaleiro das trevas" na chamada de "Birdman" abre para a provocação: "você capturou o gancho do Batman"?

“A crise do cavaleiro das trevas” na chamada de “Birdman” abre para a provocação: “você capturou o gancho do Batman”?

"A teoria de tudo" seria vendido como "o desafio da deficiência motora" pois, afinal, o amor é a maior ciência de todas...

“A teoria de tudo” seria vendido como “o desafio da deficiência motora” pois, afinal, o amor é a maior ciência de todas…

"A biografia do desafio racial" renomearia o filme "Selma" porque se você não gostar do filme, você basicamente odeia os negros...

“A biografia do desafio racial” renomearia o filme “Selma” porque se você não gostar do filme, você basicamente odeia os negros…

Não poderia faltar, claro, a "desafiadora biografia gay", como seria rebatizado "O jogo da imitação", cujo principal predicado seria "o melhor momento de Benedict Cumberbatch como ator"

Não poderia faltar, claro, a “desafiadora biografia gay”, como seria rebatizado “O jogo da imitação”, cujo principal predicado seria “o melhor momento de Benedict Cumberbatch como ator”

 

"Steve Carell interpretando Robin Williams em 'Retrato de uma obsessão" anuncia "Mania de wrestler", como "Foxcatcher" deveria se chamar

“Steve Carell interpretando Robin Williams em ‘Retrato de uma obsessão” anuncia “Mania de wrestler”, como “Foxcatcher” deveria se chamar

"Piranhas egoístas" anuncia o cartaz para "Garota exemplar". O slogan não faz cerimônia ao cravar que "esses dois idiotas se merecem"

“Piranhas egoístas” anuncia o cartaz para “Garota exemplar”. O slogan não faz cerimônia ao cravar que “esses dois idiotas se merecem”

"Sniper americano" deveria se chamar "Vídeo de recrutamento do exército"  com a devida aprovação do partido Republicano...

“Sniper americano” deveria se chamar “Vídeo de recrutamento do exército” com a devida aprovação do partido Republicano…

E se "O abutre" realmente se chamasse "TMZ: o filme"  teria melhor bilheteria? O slogan apavora: "Scarface para paparazzi"

E se “O abutre” realmente se chamasse “TMZ: o filme” teria melhor bilheteria? O slogan apavora: “Scarface para paparazzi”

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015 Curiosidades, Listas | 05:00

Você sabia? Confira dados e estatísticas do Oscar 2015

Compartilhe: Twitter

“Selma” é o concorrente a melhor filme com menos indicações; apenas duas

 

Alejandro González Iñarritu, Richard Linklater e Wes Anderson concorrem aos mesmos três Oscars. Eles foram indicados à direção, roteiro original e produção do ano. Haja rivalidade!

 

Além da indicação para melhor ator, Bradley Cooper também está indicado como produtor por “Sniper americano”

 

“Birdman” é o filme com mais indicações para elenco. São três. Edward Norton e Emma Stone, como coadjuvantes, e Michael Keaton, como melhor ator

 

Duas atrizes naturalmente ruivas concorrem ao Oscar. Além de Emma Stone, Julianne Moore

 

Julianne Moore, favorita entre as atrizes: o ano das ruivas?  (foto: reprodução/Instyle)

Julianne Moore, favorita entre as atrizes: o ano das ruivas?
(foto: reprodução/Instyle)

O braço independente da Fox, a Fox Searchlight, é o estúdio com mais indicações no ano. São 20 no total. Nove de “O Grande Hotel Budapeste”, nove de “Birdman” e mais duas de “Livre”

 

26 anos tem Emma Stone, a mais jovem entre todos os atores indicados no ano

 

84 anos tem Robert Duvall, o mais velho entre todos os atores indicados em 2015

 

O diretor de fotografia Roger Deakins conquistou sua 12ª nomeação pelo trabalho realizado em “Invencível”. Ele se torna o profissional vivo de seu ofício com mais indicações ao Oscar. É, também, um dos maiores perdedores do Oscar em qualquer categoria que se analise

Roger Deakins no set de "007 - skyfall": será que este é o ano dele?  (Foto: divulgação)

Roger Deakins no set de “007 – skyfall”: será que este é o ano dele?
(Foto: divulgação)

 

Já o mexicano Emmanuel Lubezki pode ser tornar o primeiro diretor de fotografia a vencer o Oscar de maneira consecutiva desde os triunfos de John Toll em 1995, por “Lendas da paixão” e 1996, por “Coração valente”.  Ele concorre neste ano por “Birdman” e venceu em 2014 por “Gravidade”.

 

No momento em que os indicados ao Oscar foram conhecidos, a bilheteria somada dos concorrentes nos EUA é de U$ 201 milhões. É a menor desde que a categoria passou a ter mais de cinco filmes em 2010

 

A última vez que um ator foi indicado ao Oscar  na categoria de melhor ator sem ser lembrado em nenhuma premiação periférica, tal como Bradley Cooper por “Sniper americano” também foi por um filme dirigido por Clint Eastwood. Foi o próprio Eastwood por “Menina de ouro” em 2005

 

Jennifer Aniston foi esnobada pelo Oscar depois de emplacar indicações nos termômetros Globo de Ouro, SAG e Critic´s Choice Awards. A última atriz a experimentar esse gosto amargo foi Angelina Jolie (quem diria!) por “O preço da coragem” (2008). Naquele ano, a vaga também fora roubada por Marion Cottilard que venceria por “Piaf – um hino ao amor”

Angie e Jen: o destino insiste em aproximá-las (Foto: reprodução/Eonline)

Angie e Jen: o destino insiste em aproximá-las
(Foto: reprodução/Eonline)

O diretor Bennett Miller mantém acesa uma tocha no Oscar. Pelos três filmes que dirigiu, ele conseguiu indicações para as categorias de atuação principal e coadjuvante. Em 2006 para Phillip Seymour Hoffman e Catherine Keener por “Capote”; em 2012 para Brad Pitt e Jonah Hill por “O homem que mudou o jogo” e agora para Steve Carell e Mark Ruffalo por “Foxcatcher”

 

E Bennett Miller é o primeiro diretor nomeado ao Oscar que não tem seu filme indicado a melhor filme desde que a categoria passou a receber mais de cinco indicados e este título “honroso” é irreversível

 

“Virunga” tornou-se o segundo documentário produzido pela Netflix indicado ao Oscar. Em 2014 “The square” concorreu ao prêmio

 

Mark Ruffalo e Edward Norton, rivais na categoria de ator coadjuvante, se notabilizaram por terem interpretado o personagem Hulk no cinema. Norton em “O incrível Hulk” e Ruffalo em “Os vingadores” e na sequência programada para abril deste ano

 

Os festivais ditam o Oscar. “Birdman” estreou em Veneza; “O Grande hotel Budapeste” em Berlim; “Whiplash e “Boyhood” em Sundance; “O jogo da imitação” e “A teoria de tudo” em Toronto; apenas “Selma” e “Sniper americano” não estrearam em festivais de cinema

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015 Curiosidades | 18:15

As apostas da coluna para as indicações ao Oscar 2015

Compartilhe: Twitter

Prever os indicados ao Oscar é um misto de atenção ao retrospecto do prêmio, intuição e observação do cenário delineado ao longo da sempre movimentada temporada de premiações. Não é, porém, uma equação tão simples quanto o raciocínio aí exposto faz parecer. De qualquer modo, a coluna gosta de um desafio e apresenta abaixo as apostas nas principais categorias para as indicações à 87ª edição do Oscar. O anúncio será feito nesta quinta-feira (15) a partir das 11h.

Oscar

Melhor filme

“Birdman”

“Boyhood: da infância à juventude”

“O Grande Hotel Budapeste”

“A teoria de tudo”

“O jogo da imitação”

“Garota exemplar”

“Selma”

“Sniper americano”

“O abutre”

“Whiplash”

Diretor

Clint Eastwood (“Sniper americano”)

Richard Linklater (“Boyhood”)

Damien Chazelle (“Whiplash”)

Alejandro González Iñarritu (“Birdman”)

Ava DuVernay (“Selma”)

Roteiro original

“Birdman”

“O Grande Hotel Budapeste”

“Boyhood”

“O abutre”

“Foxcatcher”

Roteiro adaptado

“Garota exemplar”

“O jogo da imitação”

“Whiplash”

“American sniper”

“A teoria de tudo”

Filme estrangeiro

“Relatos selvagens” (Argentina)

“Tangerines” (Estônia”)

“Ida” (Polônia)

“Leviatã” (Rússia)

“Força maior” (Suécia)

Ator

Michael Keaton (“Birdman”)

Eddie Redmayne (“A teoria de tudo)

David Oyelowo (“Selma”)

Benedict Cumberbatch (“O jogo da imitação”)

Jake Gyllenhaal (“O abutre”)

Atriz

Julianne Moore (“Para sempre Alice”)

Rosamund Pike (“Garota exemplar”)

Reese Witherspoon (“Livre”)

Felicity Jones (“A teoria de tudo”)

Jennifer Aniston (“Cake – uma razão para viver”)

Ator coadjuvante

Steve Carell (“Foxcatcher”)

Mark Ruffalo (“Foxcatcher”)

Ethan Hawke (“Boyhood”)

Edward Norton (“Birdman”)

J.K. Simmons (“Whiplash”)

Atriz coadjuvante

Keira Knightley (“O jogo da imitação”)

Patricia Arquette (“Boyhood”)

Rene Russo (“O abutre”)

Emma Stone (“Birdman”)

Laura Dern (“Livre”)

Documentário

“Citizenfour”

“O sal da terra”

“Life itself – a vida de Roger Ebert”

“The case against 8”

“Last days in Vietnam”

Fotografia

“Birdman”

“O Grande hotel Budapeste”

“Ida”

“Mr. Turner”

“O abutre”

Edição

“Birdman”

“Garota exemplar”

“Boyhood”

“Whiplash”

“O jogo da imitação”

Autor: Tags: ,

terça-feira, 13 de janeiro de 2015 Bastidores, Curiosidades | 16:39

Cassino reúne DiCaprio, De Niro e Scorsese e coloca a cinefilia em transe

Compartilhe: Twitter
Foto: divulgação

Foto: divulgação

Um cassino. Um dos maiores cineastas da história e dois dos maiores atores de suas gerações. Martin Scorsese, Robert De Niro e Leonardo DiCaprio pela primeira vez juntos em um mesmo projeto. É uma sacada de gênio do magnata James Packer, dono de uma rede de cassinos e resorts,  de brincar com um dos grandes desejos da cinefilia: ver esses monstros sagrados do cinema juntos.  Um  curta-metragem orçado em U$ 70 milhões será lançado na inauguração de um novo cassino nas Filipinas, marcado para o primeiro trimestre de 2015. O curta-metragem conta ainda com a presença de Brad Pitt. É especulado que cada ator recebeu um cachê na casa dos U$ 15 milhões pela empreitada. Não à toa, Brad Pitt adiou a lua de mel pelo compromisso de dois dias nas Filipinas.

Assista abaixo ao primeiro comercial deste curta-metragem com potencial de fazer cinéfilos no mundo inteiro babarem.

Autor: Tags: , , ,

domingo, 11 de janeiro de 2015 Bastidores, Curiosidades, Filmes | 16:17

Matt Bomer vai viver o ator Montgmorey Clift em telefilme da HBO

Compartilhe: Twitter
Montgmorey Clift em foto de divulgação

Montgmorey Clift em foto de divulgação

Um filme sobre a vida de Montgmorey Clift deveria provocar uma guerra em Hollywood para saber quem e que estúdios produziriam a obra sobre um dos mais arrebatadores, breves e conturbados astros da era de ouro do cinema americano. Contudo, não é o que se vê com o projeto sobre a obra do ator que morreu tragicamente aos 45 anos, em decorrência de um ataque cardíaco.

A HBO acaba de acolher o projeto que foi descartado pelos principais estúdios de cinema. Não é a primeira vez que a HBO dá abrigo a um projeto maldito. “Minha vida com Liberace”, que debutou no festival de Cannes em 2012, foi descartado por todos os estúdios até que o diretor Steven Soderbergh conseguiu o aval da HBO para rodar a biografia do excêntrico e homossexual cantor. A homossexualidade, aliás, volta ao foco com as negativas em produzir “Monty Clift”, como o projeto está sendo chamado nesta etapa preliminar. Montgmorey Clift era homossexual. Mas escondeu sua sexualidade por muito tempo por imposição de estúdios e pela forte incompreensão da época. Elizabeth Taylor, notadamente uma das mulheres mais lindas do século XX, apaixonou-se por ele enquanto filmavam “Um lugar ao sol” (1951), mas tornou-se grande amiga do ator assim que descobriu sua homossexualidade.

Matt Bomer, (da série “White Collar”), que assumiu sua homossexualidade em 2012, está escalado para protagonizar o filme. É uma escalação interessante no contexto narrativo e metafórico, mas que pode ter contribuído para a retaliação ao projeto por parte de muitos estúdios. Desde que assumiu-se gay, Bomer vem sendo boicotado em muitos estúdios e só tem conseguido protagonizar filmes de destaque na cena independente, como“Magic Mike”, do mesmo Soderberg de “Minha vida com Liberace”, ou na mesma HBO, como “The normal heart”, pelo qual chegou a ser indicado a prêmios.

A HBO repassou o roteiro, originalmente escrito por Christopher Lovick, para o brasileiro Mauricio Zacharias, de “O amor é estranho”, reescrever. Ira Sachs, diretor deste mesmo filme, está cotado para assumir a direção.

Matt Bomer (Foto: reprodução/NY Times)

Matt Bomer
(Foto: reprodução/NY Times)

A resistência a “Monty Clift” parece toda ela remeter aos componentes homossexuais da obra. Sachs, por exemplo, é gay e costuma fazer filmes sobre este universo. Para efeitos de comparação, basta pegar “Birdman”, um dos grandes filmes da temporada e que deve ser um dos destaques da proxima edição do Oscar. O filme de Alejandro González Iñarritu versa sobre um ator caído em desgraça que busca se reinventar na Broadway. Esse ator, que no passado interpretou um super-herói, é vivido por Michael Keaton. Ator caído em desgraça depois de viver o Batman no cinema. A metalinguagem parece apropriada em “Birdman”, mas pesada demais em “Monty Clift”. É agradecer pela HBO subsidiar sua grife em produções polêmicas e autorais. A expectativa pelo projeto é a melhor possível. A vida e carreira de Montgmorey Clift merecem um filme e merecem um filme feito com gana e tesão por quem gosta de cinema.

Autor: Tags: , , , ,

Curiosidades, Listas | 05:00

Dez GIFs para ir entrando no clima do Globo de Ouro 2015

Compartilhe: Twitter

O Globo de Ouro é uma festa e a internet se prepara para comemorar. Neste espírito, o Cineclube destaca dez GIFs de outros carnavais, ou melhor, de outras edições do evento, para aquecermos as turbinas.

Gibson

 

Porque Mel Gibson é Mel Gibson e dispensa introduções…

clooney

Esse chamego não pode acontecer neste ano, não é mesmo Clooney?

jlaw

E esse ano não vai ter J.Law fingindo surpresa pela vitória… mas vai ter J.Law

J. Law 2

 

Mais uma da J.Law para ela ganhar por aqui… Mas Meryl Streep tem neste ano, viu? Só para avisar…

Cumber

 

Sim Cumberbitches, estamos falando com vocês…

Leo

 

Leonardo DiCaprio não perde este ano! Ops…

emma

 

Ainda não Emma

touristno

 

Quem realmente pode culpar Depp?

Seth

 

Seth, o sincero, e Kate e sua cara “duvido que ele consiga!”

Tina

 

É hoje à noite pessoal!

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 6 de janeiro de 2015 Curiosidades, Fotografia | 20:12

Os melhores atores de 2014 em ensaio artístico na W

Compartilhe: Twitter

Todo ano a revista W, prestigiada publicação cultural americana, em sua edição de fevereiro, mês em que tradicionalmente é realizada a cerimônia do Oscar, realiza um badalado ensaio fotográfico com os atores e atrizes que se destacaram no ano, muitos deles na corrida pelo Oscar. As fotos da W são um dos pontos altos da temporada de premiações do cinema pelo caráter folclórico e imaginativo que adquiriram com o tempo, mas principalmente porque são uma forma mais sutil de fazer campanha por prêmios.

O Cineclube separou algumas das fotos mais interessantes da edição que chega às bancas americanas no próximo mês.

A atriz Emma Stone, coadjuvante em "Birdman"

A atriz Emma Stone, coadjuvante em “Birdman”

Bradley Cooper, elogiado por "Sniper americano"

Bradley Cooper, elogiado por “Sniper americano”

O sempre ótimo J.K Simmons, coadjuvante no bem cotado "Whiplash: em busca da perfeição"

O sempre ótimo J.K Simmons, coadjuvante no bem cotado “Whiplash: em busca da perfeição”

Jessica Chastain, lembrada pelos filmes "Interestelar" e "Um ano mais violento"

Jessica Chastain, lembrada pelos filmes “Interestelar” e “Um ano mais violento”

Ethan Hawke, reverenciado pelo trabalho em "Boyhood"

Ethan Hawke, reverenciado pelo trabalho em “Boyhood”

Jack O´ Connell, protagonista de "Invencível"

Jack O´ Connell, protagonista de “Invencível”

Keira Knightley, em busca do ouro por "O jogo da imitação"

Keira Knightley, em busca do ouro por “O jogo da imitação”

Michael Keaton voltou aos holofotes por "Birdman"

Michael Keaton voltou aos holofotes por “Birdman”

Miles Teller, a força motora de "Whiplash: em busca da perfeição"

Miles Teller, a força motora de “Whiplash: em busca da perfeição”

Reese Whiterspoon, que deve voltar ao Oscar com "Livre"

Reese Whiterspoon, que deve voltar ao Oscar com “Livre”

Scarlett Johansson, destacada por "Sob a pele"

Scarlett Johansson, destacada por “Sob a pele”

Steve Carrel, em alta pelo trabalho em "Foxcatcher"

Steve Carrel, em alta pelo trabalho em “Foxcatcher”

Sienna Miller, coadjuvante em "Sniper americano"

Sienna Miller, coadjuvante em “Sniper americano”

Amy Adams está novamente na corrida com "Grandes olhos"

Amy Adams está novamente na corrida com “Grandes olhos”

Ralph Fiennes, celebrado pelo papel em "O Grande hotel Budapeste"

Ralph Fiennes, celebrado pelo papel em “O Grande hotel Budapeste”

Tommy Lee Jones, lembrado por "The homesman"

Tommy Lee Jones, lembrado por “The homesman”

Uma das capas da revista com Benedict Cumberbatch e Keira Knightley

Uma das capas da revista com Benedict Cumberbatch e Keira Knightley

Fotos: reprodução/W/Just Jared

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014 Atores, Curiosidades, Listas | 05:26

Retrospectiva 2014 – As melhores atuações masculinas do ano

Compartilhe: Twitter

Jonah Hill (“O lobo de Wall Street”)

Atores - Jonah

Os olhos esbugalhados, a ansiedade extrapolada como quem está à beira de um infarto e o humor perverso de Donnie Azoff, o braço direito do lobo de Wall Street, são alguns dos cacoetes geniais bancados por Jonah Hill, ator que quando quer mata a cobra e mostra o pau (literalmente, no caso aqui). Hill recebeu sua segunda indicação ao Oscar em três anos pelo papel. Coisa que muito ator mais valorizado não tem para botar no currículo. Não é pouca coisa.

Michael Fassbender (“12 anos de escravidão”)

Atores  - Michael

Esse alemão de ascendência irlandesa é um ponto fora da curva. Astro tardio, combina carisma e talento em escalas sempre surpreendentes. Como a encarnação do mal no filme de Steve McQueen, ele tergiversa a humanidade do senhor de escravos que interpreta ao sublinhar o desespero de um homem apaixonado por sua escrava e sem saber o que fazer com o sentimento que nutre por um “objeto”.

Leonardo DiCaprio (“O lobo de Wall Sreet”)

Atores - leo

Voraz, dínamo sexual, zombeteiro, esperto, chocante e, acima de tudo isso, nauseante. Este é Leonardo Dicaprio, à imagem e semelhança do biografado nesta obra-prima moderna de Martin Scorsese que é “O lobo de Wall Street” (alguma dúvida de que o filme figurará na lista de melhores do ano da coluna?). DiCaprio atinge as notas mais altas de uma carreira cheia de grandes arranjos ao compor um homem alucinado e banhado na cobiça exacerbada de um conceito de vida que tem seus ciclos. E ele quer estar no topo de todos eles.

Joaquin Phoenix (“Ela”/ “Era uma vez em Nova York”)

Joaquin 3

Phoenix é daqueles atores que nos faz levantar os braços para os céus e agradecer a Deus, orixás ou qualquer energia e presença que deva ser agradecida por tamanho talento. Praticamente todo filme que estrela entra na lista de melhores do ano e suas atuações, bem, suas atuações são sempre revigoradas, cheias de vida, detalhes e profundamente conectadas com a verdade buscada pelo roteiro. É assim em “Ela”, misto de romance e ficção científica imaginado por Spike Jonze, e em “Era uma vez em Nova York”, saga desromantizada do sonho americano alçada por James Gray – com quem Phoenix habitualmente colabora. Trabalhos em diferentes tons e compassos, mas dotados da mesma obstinação e fervura.

Jake Gyllenhaal (“O abutre”/”O homem duplicado”)

Jake 3

Jake Gyllenhaal rejeitou a alcunha de astro para viver o cinema. Essa experiência tem sido recompensadora para ele e para o público. Em 2014, o ator estrelou dois dos filmes mais instigantes, desafiadores e reflexivos da temporada. Gyllenhaal vai se revelando ator de muitos recursos e gana. Se perdeu peso e mergulhou na sociopatia de seu personagem em “O abutre”, em “O homem duplicado” foi fundo no jogo de espelhos proposto pela obra de Saramago. Um ator sem medo de tatear o desconhecido.

Jesuíta Barbosa (“Praia do futuro”)

Atores - Jesuíta

Jesuíta Barbosa é um poço de talento e um ímã tão poderoso que o gigante Wagner Moura parece um acessório de cena em “Praia do futuro”. Esse dom natural é temperado com uma expressividade corporal e sentimental que poucos atores, brasileiros ou estrangeiros, dispõem. Barbosa tem pouco tempo em cena no filme, mas a lembrança de sua passagem é das mais perenes.

Matthew McConaughey (“Clube de Compras Dallas”/ “O lobo de Wall Street”)

Fotos: divulgação

Fotos: divulgação

É até chato falar da reinvenção de Mathhew McConaughey e blá, blá, blá. Mas o signo de McConaughey paira sobre 2014. Na TV, o assombro que foi sua participação em “True Detective”. O Oscar, justíssimo, por “Clube de Compras Dallas” dispensa defesas sobre sua figuração nesta lista. Mas se você quer medir um grande ator o desafie a superar a participação de cinco minutos de Matthew McConaughey em “O lobo de Wall Street”. É de dar desarranjo em muito ator discípulo do método de Lee Strasberg.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

domingo, 21 de dezembro de 2014 Curiosidades, Listas | 06:08

Retrospectiva 2014 – As dez personalidades do ano no mundo do cinema

Compartilhe: Twitter

O ano de 2014 foi movimentado para muitos astros, estrelas e personalidades do cinema. Prêmios, casamentos, escândalos e filmes. Teve de tudo em 2014! O Cineclube passou o pente fino e apresenta as dez personalidades que mais se destacaram no ano que se despede.

 

10 – Amy Pascal

Amy Pascal em foto tirada antes de falar mal de Angelina Jolie Foto: Getty

Amy Pascal em foto tirada antes de falar mal de Angelina Jolie
Foto: Getty

Não é todo dia que uma chefe de estúdio, no caso a única mulher a presidir um estúdio de cinema, figura em uma lista como essa. Mas Amy Pascal, conhecida por ser uma prospectora de talentos tão sagaz quanto executiva impiedosa, se viu no epicentro do escândalo já chamado de sonygate. Nos documentos e e-mails vazados por hackers norte-coreanos como retaliação à Sony por produzir o filme “A entrevista”, Pascal fala mal de Leonardo DiCaprio, Denzel Washington, Angelina Jolie, entre outros. Além de fazer piadas de teor racista envolvendo o presidente Obama.

9 – George Clooney

Um 2014 sem filmes para Clooney e mesmo assim histórico Foto: divulgação/Nespresso

Um 2014 sem filmes para Clooney e mesmo assim histórico
Foto: divulgação/Nespresso

Ele não estrelou nenhum filme em 2014. Mas o casamento de George Clooney, até então incensado como o solteiro mais cobiçado do planeta, foi um evento ímpar. O cerimonial durou cinco dias, contou com a presença de diversas personalidades e mobilizou a imprensa mundial. Um novo comercial do Nespresso e intervenções frequentes pela paz no Sudão do Sul também estiveram entre os destaques de Clooney que encerrou as gravações de “Tomorroland” este ano e anunciou que fará um filme sobre o escândalo das escutas bancadas pelo finado tabloide News of the World.  Mas quem se importa? Afinal de contas, 2014 marcou o fim da solteirice de seu maior ícone.

 

8 – Christopher Nolan

Nolan observa o horizonte: tempos difíceis para o cineasta de mais liberdade em Hollywood se aproximam Foto: Getty

Nolan observa o horizonte: tempos difíceis para o cineasta de mais liberdade em Hollywood se aproximam
Foto: Getty

Ele talvez seja o diretor que mais provoca polarização e no ano em que lançou um de seus mais ambiciosos projetos, a ficção científica “Interestelar”, essa divisão ficou bem clara. Nolan não repetiu o sucesso de crítica ou mesmo a bilheteria que se habituou a produzir, mas continuou sendo um dos mais significativos ases do mundo do entretenimento, como bem definiu a revista Time em reportagem de capa que fez com o cineasta britânico.

 

7 – Matthew McConaughey

Um ano alright alright alright para o ator que parece não saber mais fazer filme ruim. Ops! Alguém pensou em "Interestelar"?  Foto: Getty

Um ano alright alright alright para o ator que parece não saber mais fazer filme ruim. Ops! Alguém pensou em “Interestelar”?
Foto: Getty

Ele ganhou o Oscar e todos os outros prêmios possíveis e imagináveis por sua atuação em “Clube de compras Dallas”. Bastaria para McConaughey se credenciar a esta lista, mas o ator ainda esteve em outros dois filmes muito comentados no ano. “O lobo de Wall Street” e “Interestelar”. Não era possível ignorar.

 

6 – Scarlett Johansson

Johanson elevou o girl power a outro patamar em 2014 e isso não tem nada a ver com o fato de devorar homens em "Sob a pele" Foto: reprodução/SodaStream

Johanson elevou o girl power a outro patamar em 2014 e isso não tem nada a ver com o fato de devorar homens em “Sob a pele”
Foto: reprodução/SodaStream

Nenhuma atriz foi tão onipresente em 2014 como Scarlett Johansson. Depois de ser ver envolvida em uma inusitada intriga envolvendo Israel e uma marca de refrigerantes, a atriz apareceu em um blockbuster hollywoodiano (“Capitão América – o soldado invernal”), em uma ficção científica casca grossa (“Sob a pele”) e assumiu sua vocação de heroína em “Lucy”, o filme totalmente original mais rentável de 2014. Virou mamãe também. E se casou. Ufa! Ah, e pela primeira vez na carreira, Scarlett Johansson fez um nu frontal no cinema. Mas não foi por isso que ela entrou na lista, ok?

 

5- Richard Linklater

Richard Linklater pensando o cinema fora de sua caixinha habitual Foto: reprodução/L.A Times

Richard Linklater pensando o cinema fora de sua caixinha habitual
Foto: reprodução/L.A Times

Vanguardista por vocação, o cineasta foi além do que os entusiastas de seu cinema criam possível em 2014. Bem, na verdade, em 2014 ele apenas lançou um dos projetos mais ambiciosos da história do cinema. “Boyhood – da infância à juventude” não é apenas um dos filmes mais belos e significativos do ano, é um novo paradigma cinematográfico.

 

4- Angelina Jolie 

Angelina Jolie brilhando em todas as frentes possíveis em 2014 Foto: reprodução/The Hollywood Reporter

Angelina Jolie brilhando em todas as frentes possíveis em 2014
Foto: reprodução/The Hollywood Reporter

Angelina Jolie recebeu quase U$ 30 milhões para estrelar “Malévola”. Mas seu carisma incomparável garantiu à produção da Disney uma bilheteria de mais de U$ 800 milhões internacionalmente. Mais do que qualquer super-herói arrecadou no ano. Não obstante, Angelina ainda lança seu segundo filme como diretora no apagar das luzes de 2014. O nome do filme? “Invencível”. Mas sem trocadilhos espertos, por favor!

 

3 – Shailene Woodley

Shailene já provoca apreensão nos fãs de Jennifer Lawrence. Por que será?  Foto: reprodução/ Gloss

Shailene já provoca apreensão nos fãs de Jennifer Lawrence. Por que será?
Foto: reprodução/ Gloss

No futuro, talvez, 2014 seja lembrado como o ano em que Shailene Woodley se apoderou da cultura pop. A atriz esteve à frente do elenco de dois hits do ano. As adaptações de best-sellers infanto-juvenis “A culpa é das estrelas” e “Divergente”. Não obstante, ainda estrelou a produção independente “Pássaro branco na nevasca” e tem gente que já fala em indicação ao Oscar. Te cuida J. Law!

 

2 – Michael Keaton

Keaton com seu look "Oscar vem ni mim": ressurgido das cinzas hollywoodianas Foto: divulgação

Keaton com seu look “Oscar vem ni mim”: ressurgido das cinzas hollywoodianas
Foto: divulgação

Esse certamente estará no Oscar de 2015. Se marcará presença na nossa lista do ano que vem, porém, é uma incógnita. Mas se julgarmos pelo 2014 de Keaton, as chances estão em seu favor. O ator retirou-se do ostracismo e colhe elogios pelo filme “Birdman”, mas já sinalizava essa ressureição com a sátira de Steve Jobs que tirou da cartola no “Robocop” assinado por José Padilha. Em “Need for Speed – o filme” salvou a fita do marasmo e mostrou que ainda tem muita lenha para queimar em Hollywood.

1 – Lars Von Trier

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Não se falava em outra coisa no início do ano que não a bendita ninfomaníaca de Lars Von Trier. Dividido em dois tomos, o corte do diretor foi exibido no Brasil em outubro na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. “Ninfomaníaca” é tudo o que se pode esperar de Von Trier. Provocador, contraditório, hermético e anticlimático. O dinamarquês, que havia prometido jamais conceder outra entrevista após o fatídico episódio envolvendo Hitler em Cannes, disse a uma jornal dinamarquês que receia não mais fazer filmes no futuro. Von Trier está preocupado com o impacto que a sobriedade pode ter sobre sua verve criativa. O cineasta que revelou ser viciado em drogas lícitas e ilícitas filosofou: “Nenhuma expressão criativa com valor artístico foi criada por ex-adictos”. O paradoxo de Von Trier o eleva ao primeiro posto desta lista.

Autor: Tags: , , , , , ,

sábado, 20 de dezembro de 2014 Análises, Bastidores, Curiosidades | 05:27

Coreia do Norte e Hollywood: um caso de desamor

Compartilhe: Twitter
O King Jong-Un, vivvido pelo ator Randall Park, de "A entrevista": filme que enseja o clímax de uma relação de desdém que já se intensificava

O King Jong-Un, vivido pelo ator Randall Park, de “A entrevista”: filme que enseja o clímax de uma relação de desdém que já se intensificava

Reza a lenda que King Jong-Un, o líder supremo e excêntrico da Coreia do Norte tão em voga atualmente, herdou de seu pai, King Jong-il, o gosto pelo cinema. Além da amizade com o ex-astro do basquete Dennis Rodman, ele seria fã de Keanu Reeves e um tremendo Bondmaníaco. Seu pai ainda ocupava o poder quando o 007 de Pierce Brosnan enfrentou um lunático norte-coreano que desejava dominar o mundo em “007 – Um novo dia para morrer” (2002), aquele em que Madonna canta a música tema e dá aulas de esgrima.

O filho pode não ter o senso de humor do pai ou mesmo a tolerância à sátira, mas já era o supremo mandatário do País quando Hollywood acertou outro petardo contra o status quo norte-coreano. O diretor Antoine Fuqua (“Dia de treinamento” e “O protetor”) lançou em abril de 2013, em plena tensão na península coreana que movimentou a geopolítica da região e pôs o mundo em alerta com as ameaças de King Jong-Un em lançar mísseis contra Japão, Coreia do Sul e EUA, o filme “Invasão a Casa Branca”, que ficou inexplicavelmente sem a crase. Na trama, Gerard Butler faz um agente do serviço secreto que move mundos e fundos para resgatar o presidente dos EUA (Aaron Eckhart) feito refém de terroristas norte-coreanos que invadiram em questão de minutos, de maneira cinematográfica, o maior símbolo do poder ocidental.

Como curiosidade, um dos terroristas do filme é vivido pelo mesmo Rick Yune que faz um dos vilões de “Um novo dia para morrer”. Talvez King Jong-Um não tenha se incomodado tanto com “Invasão a Casa Branca”, porque embora os coreanos sejam derrotados, em nenhum outro filme hollywoodiano terroristas tinham ido tão longe na destruição do símbolo máximo do poder ianque. “Independence Day” (1996), por razões óbvias, não conta.

Especulações à parte, a Coreia do Norte vinha superando a Rússia – desde a eclosão da Guerra Fria a tradicional nação vilã nos filmes hollywoodianos – no antagonismo geopolítico do cinemão.

Leia mais: “É loucura deixar a Coreia do Norte ditar o conteúdo”, diz Clooney

O primeiro indício dessa tendência estava em “Salt”, (2010), fita de ação estrelada por Angelina Jolie, em que ela faz uma agente da CIA acusada de ser uma espiã russa. O detalhe? O filme começa com Jolie sendo torturada em uma prisão norte-coreana.

Rick Yune, o maior terrorista norte-coreano de Hollywood, encara Aaron Eckhart em "Invasão a Casa Branca"

Rick Yune, o maior terrorista norte-coreano de Hollywood, encara Aaron Eckhart em “Invasão a Casa Branca”

Halle Berry se une ao James Bond de Pierce Brosnan para impedir seguir o rastro de Rick Yune no filme de 2002

Halle Berry se une ao James Bond de Pierce Brosnan para seguir o rastro de Rick Yune no filme de 2002

A mira na Coreia à espera da recíproca

Um filme obscuro de 1984 com Charlie Sheen e Patrick Swayze sobre um grupo de estudantes que é a última resistência à invasão soviética em solo americano ganhou uma refilmagem em 2011. A ideia era trocar os russos pelos chineses. Com o filme pronto, o estúdio MGM percebeu que a Coreia do Norte, pelo exotismo e pelo mistério, daria um antagonista melhor e deu mais U$ 1 milhão para o diretor Dan Bradley redublar os vilões, mudar uns símbolos aqui e ali e fazer com que chineses virassem norte-coreanos. O filme estreou em 2013, um ano após “Os vingadores” e se beneficiou de Chris Hemsworth, que quando rodou o filme era um ilustre desconhecido, ser um astro famoso por viver o herói Thor.

Outro blockbuster hollywoodiano elegeu a Coreia do Norte como alvo. Em “G.I Joe: Retaliação”, um farsante que se passa pelo presidente dos EUA diz que bombardeará a Coreia do Norte “15 vezes seguidas só para ter certeza”. Trata-se de uma piada, de gosto duvidoso, mas uma piada. Piada esta que o filme “A entrevista” eleva à décima potência. O filme, cujo roteiro foi escrito a partir de uma ideia de Seth Rogen e Evan Goldberg (eles escreveram perolas da cultura pop como “Superbad – é hoje” e “Segurando as pontas”), mostra dois jornalistas despirocados que recebem da CIA a missão de assassinar King Jong-Un.

A Coreia do Norte já havia condenado o filme, mas negado com veemência qualquer participação nos cyber ataques contra o estúdio Sony. O FBI confirmou nesta sexta-feira (19) que o governo da Coreia do Norte teve papel central nas ofensivas contra a Sony.

Leia mais: Obama diz que Sony “cometeu um erro” ao cancelar estreia de “A entrevista”

Veja também: FBI diz que Coreia do Norte está por trás de ataque de hackers contra a Sony

Ainda é incerto o desfecho deste imbróglio que rapidamente se transformou em um vexatório episódio de cerceamento à liberdade de expressão e caminha para se assumir como o incidente diplomático que desde os primeiros ataques hackers estava destinado a ser. A Sony, naturalmente, estuda estratégias de capitalizar com toda a repercussão que “A entrevista” vem recebendo. O lançamento em plataforma digital, como foi aventado aqui neste Cineclube minutos depois da confirmação de que “A entrevista” não seria lançado nos cinemas americanos, ganha força como alternativa para o estúdio e para a restituição de algumas bases da liberdade de expressão. Após a fala de Obama, do posicionamento do FBI e de toda a agitação diplomática que deve se suceder, mesmo um lançamento em cinema não pode ser descartado.

Seth Rogen, que também dirige o filme, orienta James Franco e sua versão de King Jong-Um

Seth Rogen, que também dirige o filme, orienta James Franco e sua versão de King Jong-Un

O pai de King Jong-Um era o grande vilão da sátira "Team America": ele não achou ruim... (Fotos: divulgação)

O pai de King Jong-Un era o grande vilão da sátira “Team America”: ele não achou ruim…
(Fotos: divulgação)

A reação de Hollywood como um todo tem sido de espanto, incredulidade e receio pelo que a decisão da Sony pode representar nas esferas artística, comercial e democrática. O Sonygate, como já vem sendo carinhosamente chamado todo esse imbróglio, certamente já é mais interessante do que qualquer filme hollywoodiano da temporada.

De qualquer forma, vale o registro de que em 2004 os criadores de “South Park”, Trey Parker e Matt Stone, lançaram “Team America: detonando o mundo”, filme em que uma equipe tática formada por policiais americanos tenta salvar o mundo de uma violenta conspiração terrorista liderada por King Jong-il. George Clooney, Matt Damon e Ethan Hawke foram algumas das estrelas entre o time de dubladores das marionetes.

Eram outros tempos. Talvez King Jong-Un seja mais ambicioso que seu pai. Rejeitou qualquer traço de humor, superou os russos do lado de cá das telas e resolveu medir forças de verdade com Hollywood. Por enquanto, para infortúnio de quem se atém a valores democráticos e gosta de cinema, ele está ganhando.

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6
  7. Última