Publicidade

Arquivo da Categoria Notícias

sexta-feira, 11 de julho de 2014 Filmes, Notícias | 06:00

“Amantes eternos” encerra reinado dos vampiros na cultura pop

Compartilhe: Twitter
Filme de vampiro que é filme de arte, mas não necessariamente nesta ordem... (Foto: divulgação)

Filme de vampiro que é filme de arte, mas não necessariamente nesta ordem… (Foto: divulgação)

Desde o início da década, em pleno frisson provocado pela saga “Crepúsculo”, os vampiros reinaram na cultura pop em geral e no cinema em particular. Mas nos últimos dois anos esse reinado vem dando sinais de esgotamento. Filmes como “Abraham Lincoln: caçador de vampiros” (2012) e “Academia de vampiros – o beijo das sombras” (2014), na modéstia das bilheterias combinada à pobreza narrativa, são reveladores dessa fadiga dos vampiros conforme a década se aproxima de sua metade.

Cabe ao festejado Jim Jarmusch, diretor da cena indie americana, encerrar com chave de ouro essa fase vampírica no cinema que deve muito, em todos os sentidos possíveis e imagináveis, à fase anterior: protagonizada por belos filmes como “Drácula da Bram Stoker” (1992) e “Entrevista com o vampiro” (1994).

Em “Amantes eternos”, tradução honrosa, mas ainda acanhada do esplendido título original “Only lovers left alive” (algo como “Somente os amantes permanecem vivos”), Jarmuch reveste seus vampiros, vividos por Tom Hiddleston (o Loki de “Thor” e “Os vingadores”) e Tilda Swinton (vencedora do Oscar por “Conduta de risco”) de angústia existencial e tesão pela arte e conhecimento humanos. Adão e Eva, nomes nada acidentais, vivem há séculos e estão desencantados com o rumo da raça humana. Jarmusch usa a liberdade proposta por um filme de vampiro com tal vocação para pensar sobre conflitos essencialmente humanos. Tudo regado à arte, música e um humor perverso devidamente afiado.

O filme deve estrear nos cinemas brasileiros em 21 de agosto. Confira o trailer legendado abaixo.

 

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 10 de julho de 2014 Curiosidades, Fotografia | 05:00

Olhando por trás das cortinas da magia do cinema: o antes e o depois dos efeitos especiais

Compartilhe: Twitter

Os efeitos especiais mudaram muito ao longo dos anos e ajudaram a transformar o cinema naquilo que nós reconhecemos como cinema hoje. Do mais caro blockbuster ao filme independente, os efeitos especiais são essenciais à feitura e à narrativa de um filme. Sejam eles simples ou sofisticados. Como curiosidade, o Cineclube apresenta algumas imagens que comparam cenas de filmes pré-finalizadas (sem os efeitos especiais) e como elas foram exibidas no cinema. Fica bem claro, mesmo para os mais resistentes, que a importância dos efeitos especiais no cinema vai muito além da diversão.

"As aventuras de Pi"

“As aventuras de Pi”

"Distrito 9" (2009)

“Distrito 9” (2009)

"Gravidade"

“Gravidade”

"Planeta dos macacos: a origem"

“Planeta dos macacos: a origem”

"Alice no País das maravilhas"

“Alice no País das maravilhas”

"Amanhecer - parte 1"

“Amanhecer – parte 1”

"Batman -  o cavaleiro das trevas"

“Batman – o cavaleiro das trevas”

"Os vingadores"

“Os vingadores”

"Oz- mágico e poderoso"

“Oz- mágico e poderoso”

"O Hobbit"

“O Hobbit”

"O Grande Gatsby"

“O Grande Gatsby”

"O grande Gatsby"

“O grande Gatsby”

"Godzilla"

“Godzilla”

'O lobo de Wall Street"

‘O lobo de Wall Street”

Fontes: bussinessinsider.com, loombok.com e Hollywood Reporter

 

 

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 9 de julho de 2014 Atores, Curiosidades, Notícias | 21:28

Sherlock Holmes é mais um ícone na carreira de Ian Mckellen

Compartilhe: Twitter

Dá para dizer que, aos 75 anos de idade, Ian Mckellen é o cara. O britânico só atingiu o estrelato depois dos sessenta anos, mas antes disso já era um baita ator que mesclava os aplausos dos palcos londrinos com a efemeridade dos papeis secundários no cinema americano. Foi o trabalho com Bill Condon, que já o havia dirigido no teatro, em “Deuses e monstros” (1998), que lhe valeu indicação ao Oscar de melhor ator, que mudou o status das coisas. Mckellen passou a receber convites prazerosos e figuras icônicas da cultura pop, como vilão Magneto e o mago Gandalf, entraram em sua vida.

Profissionalmente, McKellen só se beneficiou dessa exposição. Um dos pioneiros em assumir sua homossexualidade em Hollywood, o britânico consegue amealhar admiração em qualquer frente que se observe. Agora, mais um personagem icônico marcará a carreira de Sir Ian Mckellen.  Ele dará vida à criação de Arthur Conan Doyle como um Sherlock Holmes aposentado. O trabalho marcará a retomada da colaboração com Bill Condon. “A slight trick of the mind” ainda não tem previsão de estreia, mas a primeira foto está aí para aguçar a curiosidade dos fãs do personagem e de McKellen.

A trama revela um Sherlock Holmes aposentado que é assombrado por um caso não resolvido no passado. Ele lembra apenas de fragmentos: o confronto com um marido nervoso e uma ligação secreta com sua bela e instável esposa. Longe de sua melhor forma e sem o apoio de Watson, Holmes enfrenta o caso mais difícil da sua vida.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Autor: Tags: ,

terça-feira, 8 de julho de 2014 Análises, Curiosidades | 07:00

Qual o melhor cinema entre os semifinalistas da Copa do Mundo?

Compartilhe: Twitter

Brasil, Alemanha, Argentina e Holanda estão nas semifinais da competição esportiva mais importante do planeta, a Copa do Mundo. São países de muita tradição no futebol, o que implica na assunção de que qualquer prognóstico sobre o campeão do torneio pode ser mera precipitação. Em matéria de cinema, no entanto, o equilíbrio é menos acintoso.
A Alemanha sedia um dos mais prestigiados festivais de cinema do mundo. O festival de Berlim é o segundo em antiguidade, só perde para Veneza, com 64 anos de existência. A Alemanha está intimamente ligada à gestação do cinema como conhecemos hoje. O expressionismo alemão é, ainda, um dos mais destacados momentos históricos do cinema. A influência artística, no entanto, não para aí. A vocação para refletir a política surge cristalina no cinema alemão. Os anos de Hitler, do comunismo e a queda do muro de Berlim, que possibilitou uma abertura ainda mais radical do cinema produzido naquele país, se relacionam com o fazer cinematográfico alemão.
O cinema alemão ostenta alguns dos cineastas mais importantes da história do cinema como Fritz Lang e F. W Murnau. Em sua contemporaneidade, revelou cineastas das mais diversas estirpes como Wolfgan Petersen, Roland Emmerich, Florian Henckel Von Donnersmarck, Marc Forster, Werner Herzog, Marcus Nispel, Tom Tykwer, Wim Wenders e Oliver Hirschbiegel. Do terror à sátira política, o cinema alemão se desdobra pelos mais variados gêneros. Entre os semifinalistas da Copa, é o país que conseguiu emplacar mais diretores no cinema americano. Filmes como “Troia” (2004), “O turista” (2011), “2012” (2009) e “007 – Quantun of solace” foram realizados por diretores alemães. A penetração em Hollywood se verifica, ainda, com o brilho de atores alemães como Michael Fassbender, Daniel Brühl e Bruce Willis. Um dos maiores astros de ação do cinema americano é, na verdade, germânico.

O Brasil, neste segmento, vem em segundo. Fernando Meirelles, Bruno Barreto, Walter Salles, José Padilha, Heitor Dhalia e Vicente Amorim são diretores brasucas que experimentaram o cinema americano com diferentes graus de sucesso. Rodrigo Santoro, Wagner Moura, Alice Braga e sua tia, Sônia Braga, são exemplos de atores brasileiros a triunfar no cinema estadunidense.

"A vida dos outros", uma poderosa reflexão sobre a Alemanha comunista, venceu o Oscar de produção estrangeira em 2007

“A vida dos outros”, uma poderosa reflexão sobre a Alemanha comunista, venceu o Oscar de produção estrangeira em 2007

"A fita é branca", do franco alemão Michael Haneke, venceu a Palma de Ouro em Cannes e foi dos filmes mais prestigiados da década passada

“A fita branca”, do franco alemão Michael Haneke, venceu a Palma de Ouro em Cannes e foi dos filmes mais prestigiados da década passada

A Argentina é cult em nossos cinemas e goza de algum prestígio na Europa. Nas duas últimas edições do Festival de Cannes, o maior e mais comentado festival de cinema do mundo, emplacou o maior número de produções nas mostras competitivas e paralelas. O cinema argentino já tem dois Oscars, enquanto nós ainda buscamos o primeiro. Os alemães também têm dois Oscars, mas são 12 indicações face as cinco do país de Maradona.
O cinema argentino ostenta ainda uma característica que somente agora o cinema brasileiro parece comportar. A capacidade de fazer entretenimento adulto com inteligência. Filmes que são ao mesmo tempo pensantes e que reúnam potencial comercial.

A comédia de humor negro argentina "Relatos salvajes" foi o único filme latino americano na disputa pela Palma de Ouro em Cannes 2014

A comédia de humor negro argentina “Relatos salvajes” foi o único filme latino americano
na disputa pela Palma de Ouro em Cannes 2014

O brasileiro "O som ao redor" iniciou sua bem sucedida carreira em festivais na Holanda: atenção ao cinema brasileiro

O brasileiro “O som ao redor” iniciou sua bem sucedida carreira em festivais na Holanda:
atenção ao cinema brasileiro

"A espiã" (2006) é o último filme holandês que conseguiu internacionalizar-se

“A espiã” (2006) foi o último filme holandês que conseguiu internacionalizar-se

Nesse jogo de empurra, a Holanda apresenta a cinematografia mais tímida. Ainda que já tenha um Oscar; conquistado justamente sobre o Brasil em 1996 com “A excêntrica família de Antônia” prevalecendo sobre “ O quatrilho”. O cinema holandês apresenta uma ou outra perola de tempos em tempos e conta com personalidades como o cineasta Paul Verhoeven (“Instinto selvagem” e “Robocop”). O principal festival de cinema realizado no país é um dos mais entusiastas do cinema brasileiro. A cinematografia nacional, ano após ano, é destaque no festival de Roterdã.
Foi lá que o cinema pernambucano, principal força a mover a produção cinematográfica brasileira atual, foi notado primeiramente. Antes mesmo de brilhar em festivais nacionais como os realizados no Rio de Janeiro, Brasília e Gramado.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 7 de julho de 2014 Filmes, Notícias | 22:30

Contagem regressiva para o novo filme de David Fincher

Compartilhe: Twitter

David Fincher é o diretor mais cerebral do cinema americano. Não por acaso, sua fama como cineasta está relacionada aos filmes de suspense. Ainda que ele tenha feito poucos. “Seven” (1996), “Vidas em jogo” (1997), “O quarto do pânico” (2002) e “Zodíaco” (2007”) são alguns dos que se encaixam no perfil. Seu filme seguinte a “Os homens que não amavam as mulheres” (2011), a versão americana do best-seller sueco, é justamente outro filme baseado em um livro policial, no caso “Garota exemplar”, de Gillian Flynn.

Na trama, acompanhamos a investigação do desaparecimento e morte de uma mulher (Rosamund Pike) e a elevação da suspeita de seu marido (Ben Affleck) ser o criminoso.

O filme tem estreia marcada para o dia 2 de outubro nos cinemas brasileiros. Abaixo é possível conferir não só o mais recente trailer da produção, como os cartazes que destacam evidências do crime, ao invés de enfileirar o elenco do filme.

Com fotografia soturna, reviravoltas surpreendentes e um Ben Affleck prometendo a grande atuação de sua carreira, “Garota exemplar” promete ser uma das sensações do fim do ano nos cinemas.

gone_girl_poster_04

gone_girl_poster_03

gone_girl_poster_02

gone_girl_poster_01

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 2 de julho de 2014 Filmes, Notícias | 20:05

Jennifer Aniston surge ainda mais tarada no 1º trailer de “Quero matar meu chefe 2”

Compartilhe: Twitter

Comédia de surpreendente sucesso de público em 2011, “Quero matar meu chefe” terá sua sequência lançada nos cinemas brasileiros em 4 de dezembro deste ano. Praticamente todo o elenco original está de volta, incluindo Jamie Foxx, Jennifer Aniston e Kevin Spacey. Dessa vez, os protagonistas vividos por Jason Bateman (“Uma ladra sem limites”), Charlie Day (“Círculo de fogo”) e Jason Sudeikis (“Família do bagulho”) resolvem abrir um negócio próprio. Apenas para entrar em atrito com um investidor canalha vivido por Chistoph Waltz. O plano da trupe, o título já entrega.  O trailer dá pistas de que o tom gozador e a pegada cínica e satírica permanecem em alta no novo filme.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 26 de junho de 2014 Curiosidades, Listas | 07:00

Os 100 melhores filmes de todos os tempos por gente de Hollywood

Compartilhe: Twitter

Todo mundo adora uma lista, inclusive gente de cinema. E listas sobre cinema são as mais prazerosas de se fazer e debater. Pois bem, todo mundo tem uma lista de melhores filmes de todos os tempos para chamar de sua. O The Hollywood Reporter, um dos veículos mais prestigiados e pontuais na cobertura do noticiário hollywoodiano, resolveu radicalizar. Fez uma extensa pesquisa com produtores, chefes de estúdios, vencedores do Oscar, atores, atrizes, diretores, compositores, fotógrafos e outros tantos profissionais ligados ao cinema americano para apurar quais, na média, compõem a lista dos 100 melhores filmes de todos os tempos no jugo de Hollywood.

A grande sacada da lista é que ela não difere fundamentalmente daquelas que críticos de cinema vez ou outra disparam pelos confins da internet. “O poderoso chefão” (1972), de Francis Ford Coppola, lidera a lista. Filmes recentes como “Batman- o cavaleiro das trevas” (2008), “A origem” e “O segredo de Brokeback Mountain” (2005) dividem a cena com clássicos indiscutíveis como “Psicose” (1960), “Taxi driver” (1976) e “A malvada” (1952).

Marlon Brando em "O poderoso chefão": escolha óbvia, natural e consentida  (Foto: divulgação)

Marlon Brando em “O poderoso chefão”: escolha óbvia, natural e consentida (Foto: divulgação)

Confira abaixo o Top 10  e clique aqui para ver, em inglês, a lista completa:

1 – “O poderoso chefão” (1972)

2 – “ O mágico de Oz” (1939)

3 – Cidadão Kane (1941)

4 – “Um sonho de liberdade” (1994)

5 – “Pulp Fiction – tempo de violência” (1994)

6 – “Casablanca” (1942)

7 – “O poderoso chefão – parte II” (1974)

8 – “E.T – o extraterrestre” (1982)

9 – “2001 – uma odisseia no espaço” (1968)

10 – “A lista de Schindler” (1993)

 

Tim Robbins e Morgan Freeman em "Um sonho de liberdade": um dos preferidos do público, também agrada em Hollywood

Tim Robbins e Morgan Freeman em “Um sonho de liberdade”: um dos preferidos do público, também agrada em Hollywood

Cinco curiosidades sobre a lista

1 – Christopher Nolan é o diretor com menos filmes em sua filmografia com mais filmes na lista; três no total

2 – “Up – altas aventuras” (2009), “Wall – E” (2008) e “Toy Story” (1995) são os representantes da Pixar na lista

3 – Há apenas três filmes não falados em língua inglesa na lista. O francês “O fabuloso destino de Amelie Poulain” (60º), “O labirinto do Fauno” (96º) e “Os sete samurais” (100º)

4 – São quatorze filmes do gênero de ficção científica no ranking

5 – Steven Spielberg e Francis Ford Coppola são os únicos cineastas com dois filmes no TOP 10

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 17 de junho de 2014 Curiosidades, Filmes, Notícias | 22:41

Novo trailer de “Os mercenários 3” entrega: diversão é tudo que importa…

Compartilhe: Twitter
Banner do filme reúne todo o elenco da terceira aventura

Banner do filme reúne todo o elenco da terceira aventura

Ok! Bruce Willis não retorna, mas o elenco que Sylvester Stallone reuniu para essa terceira aventura desses heróis improváveis que atendem sob o nome de mercenários passa longe de qualquer decepção. Entram na turma Harrison Ford, Wesley Snipes, Antonio Banderas, Kellan Lutz, Ronda Rousey (ela mesma, a campeã do UFC), e ninguém menos do que Mel Gibson para colocar o vilão de Jean-Claude Van Damme em perspectiva desfavorável.

A história, como sempre, é o que menos interessa. O que importa é a diversão. Piadinhas internas, tiros, explosões e tudo que o cinema de ação dos anos 80 produzido em plenos anos 2000 tem a oferecer. O novíssimo trailer, liberado nesta terça-feira (17), confirma que em time que está ganhando, certas mudanças vão bem sim senhor…

 

Autor: Tags: ,

Notícias | 07:00

“O Pai da noiva” ganhará nova sequência e, dessa vez, com casamento gay

Compartilhe: Twitter
Foto: divulgação

Foto: divulgação

Uma das comédias mais bem sucedidas dos anos 90 terá um novo ato. Disney e Warner negociam os direitos do terceiro filme da franquia que será novamente estrelado por Steve Martin. O primeiro, de 1991, foi um inesperado sucesso de público e crítica ao mostrar um pai de família de classe média americana precisando se acostumar com a ideia de que sua filha iria se casar e que outro homem seria o homem de sua vida. A sequência, de 1995, brincava com a ideia de que sua filha, naquele momento, seria mãe e que sua autonomia precisaria ser respeitada.

Agora, em pleno 2014, o roteirista e diretor Charles Shyer (“Alfie – o sedutor”), que dirigiu os dois primeiros filmes, teve a ideia de retomar a franquia com nova perspectiva. Seria  a vez do filho mais novo, Matty, que nos dois primeiros filmes foi interpretado por Kieran Culkin ( o irmão mais novo e talentoso de Macaulay),  de se casar. Só que o casamento em questão é um casamento homossexual. George (Steve Martin) pira com a ideia e suas tendências conservadoras geram um grande conflito familiar. A ideia dos produtores é reunir todo o elenco original. O que inclui, além de Martin e Culkin, Diane Keaton e Kimberly Williams-Paisley.

Tanto Steve Martin quanto Diane Keaton precisam fazer as pazes com o sucesso. Coincidências à parte, seus últimos hits de público foram  filmes dirigidos por Nancy Meyers, antiga parceira de Shyer e roteirista dos dois primeiros “O pai da noiva”. “Simplesmente complicado” (2009), no caso de Martin, e “Alguém tem que ceder” (2004), no caso de Keaton.

Está mais do que na hora de reunir toda família.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 16 de junho de 2014 Atores, Notícias | 23:02

Denzel Washington reverencia Robert De Niro em novo filme

Compartilhe: Twitter
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Pense em um filme que conjuga influências tão diversas como “Taxi driver” (1976) e a trilogia do Batman de Christopher Nolan e que adicione a esta improvável fórmula Denzel Washington em sua melhor encarnação “atire primeiro e pergunte depois”. É mais ou menos este o mote de “O protetor” que reúne o astro e seu diretor em “Dia de treinamento”, Antoine Fuqua, pela primeira vez desde que o filme lhe valeu o Oscar de melhor ator em 2002.

O elenco conta ainda com Chloe Grace-Moretz, vivendo uma jovem prostituta (personagem claramente inspirada na de Jodie Foster em “Taxi driver”), Melissa Leo (“O vencedor”) e Bill Pullman (“Independence Day”). Na trama, Washington faz um ex-militar que forjou sua morte para tentar levar uma vida calma em Boston, mas ele não resiste às injustiças do mundo a sua volta e acaba tomando a justiça pelas próprias mãos.

“O protetor” é o único filme de Denzel Washington previsto para 2014. Se entregar o que o trailer promete, já está bom demais. O filme tem lançamento programado para 2 de outubro nos cinemas brasileiros.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 10
  3. 20
  4. 28
  5. 29
  6. 30
  7. 31
  8. 32
  9. Última