Publicidade

Arquivo da Categoria Sem categoria

domingo, 18 de junho de 2017 Sem categoria | 14:45

Desgovernado, “A Múmia” erra em tudo que pode e inicia mal o Dark Universe

Compartilhe: Twitter

Filme que dá o pontapé inicial no universo compartilhado de monstros da Universal coloca Tom Cruise como o escolhido de uma múmia milenar para receber o Deus da Morte e, apesar do plot, é ruim

the

Depois de tentar reerguer sua marca de monstros com “O Lobisomen” (2010), de Joe Johnston, e “Drácula: A História Nunca Contada” (2014), de Gary Shore, a Universal dá o pontapé inicial no que chama de Dark Universe, um universo compartilhado entre seus monstros – inspirado pelo bem sucedido modelo da Marvel – com “A Múmia” (2017). O filme de Alex Kurtzman (roteirista da nova trilogia “Star Trek” e de alguns filmes da série “Transformers”) e estrelado por Tom Cruise é uma salada muito mal azeitada.

Leia também: “A Múmia” dá pontapé no Dark Universe, universo compartilhado de monstros

A aposta da Universal de contar com astros na confecção deste universo, à primeira vista, parece acertada. Mas no alcance de “A Múmia”, acaba se provando inadequada já que a produção se assevera como mais uma aventura de Tom Cruise – e uma anêmica e pouco convincente.

Leia também: Vaca em crise existencial é triunfo do hermético “Animal Político”

O primeiro equívoco talvez seja o foco em Nick Morton (Cruise), um mercenário contratado do exército americano que tenta saquear tesouros no Iraque entre uma missão e outra, e não na múmia que ascende o interesse do público no bom prólogo que explica seu passado como uma princesa egípcia deliberadamente excluída da História. O segundo equívoco, e este muito mais grave, é o conflituoso desenvolvimento narrativo. Kurtzman não é nenhum Guillermo Del Toro ou M. Night Shyamalan e, portanto, não tem propriedade o suficiente para tecer uma trama que alie humor, terror e senso de aventura.

Tom Cruise em cena de "A Múmia": Não missão impossível, mas é como se fosse...

Tom Cruise em cena de “A Múmia”: Não missão impossível, mas é como se fosse…

“A Múmia” afasta qualquer resquício de horror, ainda que não admita isso, em favor de uma aventura que mira em “Indiana Jones” e acerta em “Pluto Nash”. É caótico na apresentação dos fatos – tudo em nome de easter eggs para o futuro do já trôpego universo de monstros -, tem cenas de ação pouco empolgantes, a despeito dos bons efeitos especiais e piadas que beiram o constrangimento – como a que Tom Cruise faz no fraco clímax do filme.

Leia também: “Mulher-Maravilha” é acerto da Warner em Hollywood, no cinema e na vida

Esse talvez seja o pior filme estrelado pelo astro, que parece cada vez mais fissurado em emplacar franquias, nos últimos 30 anos. É um dado nada desprezível. Ainda que não seja uma refilmagem oficial do filme de 1999 estrelado por Brendan Fraser, este “A Múmia”, que guarda, sim, similaridades com o filme de Stephen Sommers, se apequena na comparação. Em meio a bagunça criativa que o viabilizou, “A Múmia” se fia como um mau presságio para o Dark Universe.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 10 de junho de 2016 Sem categoria | 16:30

Boas opções de filmes para assistir nos cinemas e em casa

Compartilhe: Twitter

Mês da diversidade sexual com bons filmes

Em homenagem ao Dia Internacional do Orgulho LGBT, comemorado no dia 28 de junho, o canal Max prepara uma programação exclusiva. Os filmes “Gerontofilia”,” Ludwig Segundo”, “O Casamento Gay em Julgamento”, “Irmãos Desastre”,” Café da Manhã em Plutão”, “ O Amor É Estranho” e “Tom na Fazenda” prometem agradar aos mais diferentes gostos. São sete histórias carregadas de romance, drama e comédia.

Mais informações podem ser conferidas no site do canal (WWW.hbomax.tv)

Para Sempre Alice estreia na HBO

O filme que rendeu um merecido e adiado Oscar a Julianne Moore, “Para Sempre Alice”, finalmente estreia na TV por assinatura. O premiado drama estreia na HBO no sábado (25). Confira a crítica do Cineclube aqui.

O maior mito fashion devassado

Foto: divulgação

Foto: divulgação

O documentário “Kate Moss”, dirigido por Peter Tarshis em 1990, retrata a trajetória de vida e a carreira da supermodel inglesa Kate Moss, que teve seu rosto associado com as grandes grifes como Gucci, Calvin Klein, Cavalli, Dolce & Gabbana, Louis Vitton e YSL. Ela foi capa de grandes revistas de moda e beleza, além de ditar as principais tendências da moda. A produção mostra a inglesa aos 30 anos, já como mãe e segunda modelo mais bem paga da indústria da moda.

Bio Arte 1

Dia 12/6 às 21h

Fim de semana de romance

Para capitalizar em cima do fim de semana do dia dos namorados, a Warner Bros. Pictures programou pré-estreias pagas de “Como Eu Era Antes de Você”, em cinemas de todo o país, entre hoje e o dia 12 de junho. O longa, baseado no best-seller de Jojo Moyes, leva para as telonas uma história de amor que promete emocionar a todos.

Louisa “Lou” Clark (Emilia Clarke) vive em uma pitoresca cidade de campo inglesa. Sem direção certa em sua vida, a criativa e peculiar garota de 26 anos vai de um emprego a outro para tentar ajudar sua família com as despesas. Seu jeito alegre, no entanto, é colocado à prova quando enfrenta o novo desafio de sua carreira.

Ao aceitar um trabalho no “castelo” da cidade, ela se torna cuidadora e acompanhante de Will Traynor (Sam Claflin), um banqueiro jovem e rico que se tornou cadeirante após um acidente ocorrido dois anos antes, mudando seu mundo dramaticamente em um piscar de olhos. Não mais uma alma aventureira, mas o agora cínico Will, está prestes a desistir. Isso até Lou ficar determinada a mostrar a ele que a vida vale ser vivida. Embarcando juntos em uma série de aventuras, Lou e Will irão obter mais do que esperavam e encontrarão suas vidas — e corações — mudando de um jeito que não poderiam ter imaginado.

Mais romance no fim de semana com comédia indie

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Já está em cartaz nos cinemas de São Paulo, Santos, Barueri, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Porto Alegre,Belo Horizonte, Fortaleza, Brasilia, Salvador, Recife e João Pessoa a comédia “Casamento de Verdade”, que traz a outrora estrela em ascensão Katherine Heigl de volta à tela grande. A produção acompanha a relação dela com a personagem de Alexis Bledel e de como a decisão das duas de trocar votos e alianças afeta a família delas.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 24 de setembro de 2015 Curiosidades, Filmes, Sem categoria | 19:24

Diretora de “Um senhor estagiário” usou o Pinterest como ferramenta para conceber visual do filme

Compartilhe: Twitter
Uma das imagens promocionais do filme, que no original se chama "The intern", postadas no Twitter: trabalho intenso de divulgação nas redes sociais

Uma das imagens promocionais do filme, que no original se chama “The intern”, postadas no Twitter: trabalho intenso de divulgação nas redes sociais

Nancy Meyers é, sob muitos aspectos, a mulher mais bem sucedida no ofício de dirigir filmes. Ok, ela não foi a primeira mulher a vencer o Oscar, foi Kathryn Bigelow por “Guerra ao terror” (2009). Mas Meyers goza de uma liberdade única para fazer os filmes que bem entende no sistema de estúdios, um fenômeno ainda raro em uma Hollywood predominantemente machista. Meyers, que debutou na direção após uma bem-sucedida carreira como roteirista e produtora, com “Operação cupido” (1998), rapidamente se configurou em uma cineasta do feminino assinando produções como “Do que as mulheres gostam” (2000), “Alguém tem que ceder” (2003), “O amor não tira férias” (2006) e “Simplesmente complicado” (2009).

“Um senhor estagiário” (2015), embora pareça se concentrar na figura do septuagenário personagem de Robert De Niro, que volta ao mercado de trabalho como estagiário de uma empresa de moda, na verdade, é sobre a personagem de Anne Hathaway que precisa administrar o sucesso de seu blog que deu vazão a uma bem sucedida empresa.  O filme estreia nos cinemas brasileiros neste fim de semana.

Para a concepção visual do filme, Meyers criou boards no Pinterest, rede social de compartilhamento de imagens. A diretora salpicou em seu perfil diversas referências para os figurinos dos personagens e os cenários do filme. É uma experiência interessante para o expectador observar esse processo de criação que costuma passar ao largo da análise pós-fílmica.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014 Análises, Filmes, Sem categoria | 05:00

As surpresas e esnobadas do SAG e o que esperar das indicações ao 72º Globo de Ouro hoje

Compartilhe: Twitter

Nesta quarta-feira, o sindicato dos atores revelou sua lista de indicados ao prêmio que distingue os melhores do cinema e da televisão em 2014 no crivo do colegiado. O SAG alcança sua 21ª edição como um valioso termômetro do que a corrida pelo Oscar, ao menos nas categorias de atuação, deve consagrar. Você pode conferir a lista clicando aqui.

Como esperado, “Homem-pássaro” e “Boyhood” polarizam a atenção em um primeiro momento. Tem sido esta a tônica da temporada até aqui. O primeiro, lidera a disputa no SAG com quatro indicações (elenco, ator para Michael Keaton, ator coadjuvante para Edward Norton e atriz coadjuvante para Emma Stone). Não há surpresas aí. Já Naomi Watts, que também integra o elenco de “Homem-pássaro” foi lembrada pelo papel da prostituta russa da comédia “St. Vincent”. A nomeação de Watts não estava no radar de nenhum dos críticos e analistas da temporada de premiações e configura essencialmente o que chamamos de surpresa. Boa surpresa, no caso. A inclusão de “O grande hotel Budapeste” na categoria de melhor elenco é outra do tipo. O SAG não costuma digerir bem as esquisitices de Wes Anderson, mas parece estar amadurecendo enquanto colegiado e destacar o elenco de um dos filmes mais graciosos do ano é um claro sinal deste processo. Como curiosidade fica o registro de que “O grande hotel Budapeste” detém o elenco mais numeroso a já ter sido contemplado na categoria. Coincidentemente, um dos menos numerosos da história também foi destacado este ano. Trata-se de “A teoria de tudo”, cinebiografia de Stephen Hawking.

Leia também: Tempo é parâmetro absoluto para epifanias de “Boyhood”

Leia também: Depois dos festivais de Veneza e Toronto, como fica a corrida pelo Oscar 2015?

Edward Norton e Michael Keaton receberam indicações ao SAG por 'homem-pássaro"

Edward Norton e Michael Keaton receberam indicações ao SAG por “Homem-pássaro”

"Boyhood" é o filme mais premiado do ano até o momento e pode repetir a tendência no SAG

“Boyhood” é o filme mais premiado do ano até o momento e pode repetir a tendência no SAG

Jennifer Aniston por “Cake” e Jake Gyllenhaal por “O abutre” vitaminam suas candidaturas para o Oscar com a lembrança no SAG. Fora do rol das certezas, suas candidaturas se beneficiam tremendamente da exposição. Os dois devem voltar a ser lembrados pela Associação de correspondentes estrangeiros de Hollywood (HFPA) que anuncia os concorrentes ao Globo de Ouro 2015 nesta manhã.

Leia também: Jennifer Aniston mira no Oscar com “Cake”; veja o primeiro trailer do filme

As ausências de “Garota exemplar”, hit de estúdio com qualidade acima da média, e do musical “Caminhos da floresta”, a indicação de Meryl Streep pelo filme é mais em virtude do peso da atriz do que pelo filme em si, e de “Selma”, sobre a vida de Martin Luther King, certamente afetam negativamente as chances desses filmes na temporada, mas ainda é cedo para dá-las por reduzidas.

 Leia também: No cinema, “Garota exemplar” ganha mais relevo com a assinatura de David Fincher 

O que tem para hoje?

É preciso ter em mente que a condição de termômetro do Oscar há muito foi perdida pelo Globo de Ouro. O prêmio desenvolveu uma identidade própria e enquanto o Oscar tendeu para o lado do cinema independente, o Globo de Ouro optou por celebrar o cinemão. Exemplos recentes não faltam. Enquanto o Globo de ouro premiou “Avatar”, o Oscar distinguiu “Guerra ao terror”. No ano seguinte foi a vez de “A rede social” nos Globos e de “O discurso do rei” no Oscar.

Ademais, o Globo de ouro gosta de prestigiar as estrelas. Portanto, se você é um astro, tem mais chances de ser nomeado. É um reducionismo, é verdade. Mas há precedência.

“Homem-pássaro” e “Boyhood”, o primeiro na divisão de comédias e o segundo entre os dramas, devem repetir a polarização reiterada hoje. Mas há mais pelo que esperar da lista que será divulgado logo mais. O Cineclube lista cinco tendências que são (praticamente) certas entre as estrelas e filmes que serão anunciados mais tarde.

Keira Knightley e Mark Ruffalo em cena de "Mesmo se nada der certo": os dois devem ficar muito felizes nesta manhã de quinta-feira (Fotos: divulgação)

Keira Knightley e Mark Ruffalo em cena de “Mesmo se nada der certo”: os dois devem ficar muito felizes nesta manhã de quinta-feira
(Fotos: divulgação)

1 – Angelina Jolie será indicada a melhor direção por ‘Invencível”

O filme tem dividido opiniões, mas parece consensual que chegará ao Oscar. A  HFPA fará sua parte em bombar a candidatura de Jolie para o Oscar. De quebra, ela pode receber uma indicação como atriz em comédia pelo bem-sucedido “Malévola”.

 Leia também: Angelina Jolie anuncia novo projeto na direção e sinaliza reposicionamento de carreira

2 – Keira Knightley, Mark Ruffalo e Benedict Cumberbatch podem esperar menções duplas

Os dois primeiros serão lembrados pelo filme “Mesmo se nada der certo”. Knightley também será indicada por “O jogo da imitação”. Filme que deve render nomeação para seu parceiro de cena, Benedict Cumberbatch. O Sherlock em pessoa também será lembrado pelo personagem da série da BBC. Já Ruffalo pode receber até três indicações. Pelo filme “Foxcatcher” e pelo filme feito para a TV “The normal heat”. É provável, porém, que a HFPA não o destaque por “Foxcatcher” para abrir espaço para seu parceiro de cena, e mais astro, Channing Tatum.

 Leia também: Mark Ruffalo e Keira Knightley reverenciam poder transformador da música em “Mesmo se nada der certo”

3 –Clint Eastwood e Bradley Cooper, sim senhor!

Clint é daqueles darlings da associação e deve ser lembrado como diretor por “Sniper americano”, mesmo que o filme falhe em ficar entre os finalistas em drama. Já Cooper, astro em franca e contínua ascensão, deve ficar com uma das cinco vagas de melhor ator dramático pelo mesmo filme. O que representará sua terceira indicação consecutiva ao prêmio ( foi indicado nos anos anteriores por “O lado bom da vida” e “Trapaça”).

4 – Meryl Streep receberá sua 28ª indicação ao Globo de ouro e quarta consecutiva por “Caminhos da floresta”

É o caso da atriz que legitima uma premiação ou um prêmio. É quase que uma contingência indicar Meryl Streep a qualquer prêmio que se preze

5 – “Garota exemplar” se recupera

O filme e sua atriz principal, Rosamund Pike, devem ser indicados. Mas há a possibilidade do diretor David Fincher, do roteiro de Gillian Flynn e da trilha sonora de Trent Reznor e Atticus Ross serem indicados. O que colocaria o filme entre os cabeças, ainda que com chances reduzidas de vitória. Como a corrida no caso de “Garota exemplar” é de recuperação, é mais do que suficiente.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

terça-feira, 4 de novembro de 2014 Notícias, Sem categoria | 17:47

Novo filme do diretor de “Drive” será terror sobre a obsessão pela beleza

Compartilhe: Twitter

“Um dia eu acordei e percebi que estava rodeado e dominado por mulheres. Estranhamente, surgiu em mim uma vontade imensa e súbita de fazer um filme de terror sobre a obsessão e o potencial viciante da beleza”. A frase é de Nicolas Winding Refn, prestigiado diretor dinamarquês de “Drive” e “Só Deus perdoa”, que anunciou que seu novo filme será uma obra de terror, protagonizada por uma mulher, que trata justamente da enlouquecedora busca pela beleza a qualquer custo. O filme será rodado em Los Angeles no início de 2015, mas a protagonista ainda não foi escolhida. O lançamento será em 2016 e como manda o figurino depois da celebração por “Drive”, The neon demon” deve ser lançado em algum festival internacional de cinema. O slogan mexe com a libido cinéfila: “Os perversos morrem jovens”.

The neon demon

Autor: Tags: ,