Publicidade

Posts com a Tag Christian Bale

sexta-feira, 13 de novembro de 2015 Bastidores, Filmes, Notícias | 19:04

Confira vídeo com bastidores do estrelado “A Grande Aposta”

Compartilhe: Twitter

A grande apostaChristian Bale, Steve Carell, Brad Pitt e Ryan Gosling contra os grandes conglomerados financeiros. Posto de maneira vulgar, este é o mote de “A Grande Aposta”, que a Paramount lança nos cinemas brasileiros em 14 de janeiro de 2016. Dirigido por Adam McKay, o filme é uma adaptação de “A jogada do século: The Big Short”, de Michael Lewis, mesmo autor das obras que deram origem aos filmes “Um Sonho Possível” e “Moneyball – o  Homem que Mudou o Jogo”.

“A Grande Aposta” conta a trajetória de quatro homens fora do mercado financeiro que perceberam de antemão o que os grandes bancos, a mídia e o governo não conseguiram prever: a crise econômica que abateu os Estados Unidos em 2008. Eles então fizeram uma série de investimentos para lucrar com a ruína do sistema. Uma história tão extraordinária que merecia a atenção de Hollywood. Trata-se de uma das apostas do estúdio para o próximo Oscar.

Confira o featture legendado abaixo:

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015 Críticas, Filmes | 15:42

Ridley Scott coloca Moisés entre Deus e a esquizofrenia em “Êxodo: Deuses e reis”

Compartilhe: Twitter

Não se engane. “Êxodo: Deuses e reis” não é um filme religioso no sentido clássico do termo, mas um filme político. Diferentemente do que Darren Aronofsky fez com “Noé”, Ridley Scott não reinterpreta a passagem bíblica do personagem, mas lhe afere uma conotação política exacerbada. Daí incorre ilações sobre o período retratado por “Êxodo” e paralelos com o longevo e controverso conflito entre Israel e Palestina.

Não só. Scott evita o espetáculo religioso, mas não o espetáculo visual, e se esmera na ciência, no limite do factível, para explicar desde as sete pragas que assolaram o Egito até à abertura do Mar vermelho. Nessa opção não está a negativa de Deus, mas o privilégio da fé, do que trata, afinal, a bíblia de maneira geral, e a passagem abordada em “Êxodo”, em particular. Ao situar o Moisés vivido com a habitual intensidade por Christian Bale entre a esquizofrenia e Deus, Scott favorece a interpretação de quem toma contato com seu filme. E acusa logo na cena inicial, em que uma profeta fala do desfecho de uma batalha para o faraó, que seu filme privilegiará a interpretação em detrimento da assertividade religiosa.

Essa é uma das indiscutíveis riquezas do filme. Sua recusa em assumir-se como uma fantasia hollywoodiana e se resolver como um registro histórico com DNA de trama política. Nesse contexto, Moisés pode ser percebido tanto como um terrorista que se rebela contra o império após seu exílio, como o tão aguardado guia para a libertação dos hebreus.

Um Moisés adornado pela ambiguidade do roteiro escrito pelo ateu Steven Zaillian (Foto: divulgação)

Um Moisés adornado pela ambiguidade do roteiro escrito pelo ateu Steven Zaillian
(Foto: divulgação)

Em muito por isso, Scott dedica considerável atenção ao período em que Moisés se encontra entre os egípcios. A fundamentação de suas motivações, políticas e emocionais, importam tanto para Scott como a suntuosidade dos grandes cenários apresentados em “Êxodo”.

Outro acerto é a caracterização de Deus como uma criança, aos olhos sempre questionadores de Moisés. Para quem tem a mínima afinidade com a bíblia, não se trata de uma ousadia, já que é notório na escritura sagrada que o Todo-Poderoso pode assumir a feição de uma criança. A opção reforça a qualidade da pesquisa de Scott e acusa sua sensibilidade na abordagem da história de Moisés para o público do século XXI.

Não se trata de um filme que tem como objetivo pregar para convertidos, mas de colocar presente e passado em discussão. Não à toa, já rumando para Canaã, Moisés expõe uma angústia a Josué (Aaron Paul): “Estamos unidos porque temos a fuga em comum. Mas como será quando todos se assentarem?” O Moisés de Ridley Scott externa a preocupação que hoje é um dos eixos centrais do conflito entre israelenses e palestinos. Os rótulos de terrorista e império foram recodificados.

Autor: Tags: , , ,