Publicidade

Posts com a Tag Filmes de terror

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Filmes, Notícias | 21:59

Sequência de “O Chamado” muda de nome no Brasil e ganha dois vídeos inéditos

Compartilhe: Twitter
Samara volta a aterrorizar em O Chamado 3

Samara volta a aterrorizar em O Chamado 3

Com estreia prevista para o dia 2 de fevereiro, “Chamados” muda o título para “O Chamado 3” e ganha dois trailers inéditos. Nas novas cenas que acabam de ser divulgadas pela Paramount Pictures, podemos ver o retorno de Samara após 12 anos do lançamento do último filme da franquia – “O Chamado 2” (2005).

Na trama, a jovem Julia (Matilda Lutz) fica intrigada quando seu namorado, Holt (Ales Roe), começa a explorar uma história envolvendo uma amaldiçoada fita de vídeo, que faz a pessoa que a assiste morrer em sete dias. Ela se sacrifica para salvar a vida dele e acaba fazendo uma descoberta terrível: há um “filme dentro do filme” que ninguém jamais viu antes.

A produção é dirigida por por F. Javier Gutiérrez de “A Casa dos Mortos”.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 12 de agosto de 2016 Filmes, Notícias | 08:30

Featurette de “Quando as Luzes se Apagam” destaca como medo do escuro move a trama

Compartilhe: Twitter
Foto: divulgação

Foto: divulgação

James Wan, o homem por trás de produções como “Jogos Mortais” e “Invocação do Mal”, apresenta um novo conto macabro de terror. “Quando as Luzes se Apagam”, que estreia nos cinemas brasileiros em 18 de agosto, conta a história de uma entidade que se abriga no escuro.

Teresa Palmer vive Rebecca, que depois que seu irmão começa a dormir na escola por passar a noite em claro, se vê impelida a confrontar a mãe, com quem tem uma relação para lá de conflituosa. Há algo na casa dela que ganha vida na escuridão e é justamente esse enfrentamento que Rebecca queria evitar.

No vídeo abaixo, Wan, que é produtor do filme, o elenco e o diretor David F. Sandberg comentam sobre o filme e explicam como o mote do medo do escuro, um temor universal – principalmente na infância -, serve à trama de “Quando as Luzes se Apagam”.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 3 de junho de 2016 Bastidores, Curiosidades, Filmes | 17:08

Ideia era restabelecer credibilidade dos filmes de terror, diz diretor de “Invocação do Mal 2”

Compartilhe: Twitter
Foto: divulgação

Foto: divulgação

Surpreendente sucesso de público e crítica de 2013, “Invocação do Mal” resiste como o grande acontecimento do gênero terror na década. Depois do filme derivado, “Annabelle”, lançado em 2014, é a vez da sequência, “Invocação do Mal 2”, chegar aos cinemas. Novamente dirigido por James Wan (“Jogos Mortais”), a produção traz para a tela outro caso real dos arquivos dos renomados demonologistas Ed e Lorraine Warren.

Reprisando seus papéis, a atriz indicada ao Oscar Vera Farmiga (de “Amor Sem Escalas” e da série de TV “Bates Motel”) e Patrick Wilson (da série de filmes “Sobrenatural”), protagonizam como Lorraine e Ed Warren, que em uma de suas investigações sobrenaturais mais aterrorizantes, viajam até o norte de Londres para ajudar uma mãe solteira com quatro filhos em uma casa assombrada por espíritos malignos.

Neste vídeo exclusivo da coluna, é possível conferir detalhes dos bastidores da produção.

Para incrementar a expectativa pelo filme, que chega aos cinemas na próxima quinta-feira (9), a Warner vai exibir em 28 salas do País, “Invocação do Mal” e “Annabelle” na véspera da estreia,  dia 8 de junho.

O que anda sendo dito sobre o filme na imprensa americana:

“Wan tem um dom que a maioria dos diretores de terror hoje em dia não têm: um feeling sobre a sua audiência – seu ritmo e pulsão, de como manipular um momento e praticamente controla sua respiração.” Owen Gleiberman, Variety

“A continuação traz sólidos momentos de pavor, mas não tem nada comparado a cena de ‘esconder e bater palmas’ com a atriz Lili Taylor no primeiro filme” Chris Nashawaty, Entertainment Weekly

“Enquanto a história parece um pouco mais hollywoodiana e menos real, o drama da família continua no centro das suas preocupações e isso é bastante eficiente” Kyle Anderson, Nerdist

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 14 de março de 2016 Críticas, Filmes | 17:42

Com subtexto feminista, “A Bruxa” é um filme de terror que investe no incomum

Compartilhe: Twitter
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A estreia de Robert Eggers como diretor em “A Bruxa” (EUA, 2015) não poderia ser mais feliz. Seu filme descende diretamente de obras como “O bebê de Rosemary”, de Roman Polanski, e “O Iluminado”, de Stanley Kubrick, em que a atmosfera do medo importa mais do que a estetização do horror. Não espere por sustos em “A Bruxa”, o terror engendrado pela esperta narrativa do filme, esmerada em contos de fadas macabros, é de outra ordem.

A sugestão é a mãe de todos os horrores na trama que acompanha a rotina de uma família, composta pelo pai, mãe e mais cinco filhos que, exilados de uma pequena vila nos Estados Unidos colonizados pela Inglaterra, vão morar às margens dessa civilização em construção, em uma floresta.

O pai (Ralph Ineson) faz o tipo fervoroso, homem plenamente devotado a sua fé e “A Bruxa” deixa logo claro que esse extremismo detonou o banimento da família do convívio social. Tentando estabelecer uma fazenda às margens dessa vasta e imponente floresta, a família se flagra imersa em uma teia de inexplicáveis e cada vez mais aterrorizantes acontecimentos.

À primeira vista, trata-se de uma crescente e intrincada provação dessa fé até então inquestionável, mas conforme a trama avança percebe-se a sofisticação da narrativa de Eggers. Está ali uma valorosa vertente feminista, sobre como mulheres que não se encaixavam nos ditames sociais da época eram apressadamente rotuladas como bruxas – algo que acontece com a filha mais velha, a adorável Thomasin (Anya Taylor Joy). Há, também, a robustez de um drama familiar. Há o desejo inominável entre os irmãos, o ressentimento da mãe que vê marido e filho sequestrados pela juventude da filha mais velha e todo o subtexto religioso. Nesse aspecto, o viés de fábula do filme acaba por reforçar todas essas camadas, tornando “A Bruxa” uma experiência muito mais sintomática do que observacional. O medo é proveniente daquilo que se toma por verdade.

É um filme econômico em suas elaborações, não necessariamente no que tem a dizer. Justamente por isso, a cena final, que assume uma realidade que a narrativa até então mantinha no campo da possibilidade, adquire uma forte conotação.  Não havia alternativa para aquela personagem a não ser aquele caminho. Neste momento, “A Bruxa” se resolve tanto como filme de terror, expondo o real horror das circunstâncias da personagem, como veiculo feminista.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 7 de agosto de 2015 Filmes, Listas | 18:45

Próximos meses reúnem bons lançamentos de terror nos cinemas

Compartilhe: Twitter

Quem gosta de filmes de gênero pode comemorar e guardar algum dinheiro porque os próximos meses reservam boas opções ao fã do cinema de horror. Do aclamado indie “Corrente do mal” à nova aposta do diretor de “O sexto sentido” no gênero, passando por duas produções de Eli Roth e pela incursão do elogiado Guillermo Del Toro no filão das casas mal assombradas. O Cineclube preparou uma listinha com o melhor do terror a aportar nas salas nacionais ainda em 2015.

“Bata antes de entrar” (EUA 2015), de Eli Roth 

Knock 3

Estreia em 17/09

Keanu Reeves faz um homem casado que, com a mulher e os filhos fora, recebe duas jovens desconhecidas que fogem da chuva. Eles se insinuam para ele e eles acabam fazendo sexo. O terror acontece quando elas resolvem se divertir depois e torturam o pobre coitado. Roth volta a brincar com o sadismo e ecoa o clássico “Atração fatal” sob uma nova perspectiva. “De certa forma é meu filme mais comportado, onde me permito adentrar outros gêneros”, disse em entrevista ao site Collider.

“Garota sombria caminha pela noite” ( EUA 2014), de Ana Lily Amirpour

Garota caminha

Estreia em 17/09

Coisas estranhas acontecem em Bad City. Uma cidade fantasma iraniana, lar de prostitutas, viciados, cafetões e outras almas sórdidas. Um reduto de depravação e falta de esperança, onde uma vampira solitária persegue os habitantes mais repugnantes. Mas quando um garoto conhece uma garota, uma história de amor incomum começa a florescer…

A produção independente americana, rodada em preto e branco, foi uma das sensações de 2014 no circuito de festivais e surpreendentemente garantiu um lançamento comercial no Brasil. Cortesia da Imovision que cada vez mais se torna protagonista nos lançamentos vocacionados à arte.

“A possessão do mal” (EUA, 2014), de David Jung

Estreia em 24 /09

Estreia em 24 /09

Outra produção independente do ano passado que se beneficia do gosto do espectador brasileiro pelo terror para garantir um lançamento no circuito de cinemas do país. Michael King não acredita em qualquer tipo de crença ou religião. Em face de certos problemas familiares, ele resolve fazer um documentário investigando a existência de forças sobrenaturais. Por que as pessoas invocam demônios e não anjos?

 

“A visita” (EUA 2015), de M. Night Shyamalan

Estreia em 15/10

Estreia em 15/10

Dois irmãos são enviados pela mãe à casa dos avós e o que parecia uma corriqueira visita familiar, acaba se transformando em jornada gradativa de horror e histeria. O filme promete ser o retorno de M. Night Shyamalan à boa forma. Desprezado por estúdios, ele rodou a fita de maneira independente e acertou a distribuição com a Universal. Ainda que de volta ao baixo orçamento e livre de imposições de estúdios, não se pode descartar a chance de um novo abacaxi do cineasta indiano. “Fim dos tempos” (2008) também tinha um trailer promissor.

“A colina escarlate” (EUA, 2015), de Guillermo Del Toro

Estreia em 26/11

Estreia em 26/11

Apaixonada pelo misterioso Sir Thomas Sharpe, a escritora Edith Cushing  muda-se para sua sombria mansão no alto de uma colina. Habitada também por sua fria cunhada Lucille Sharpe, a casa tem uma história macabra e a forte presença de seres de outro mundo não demora a abalar a sanidade de Edith. O filme tem no elenco Mia Wasikowska, Jessica Chastain, Tom Hiddleston e Charlie Hunnam. Trata-se do projeto mais audacioso e lapidado do elogiado Guillermo Del Toro, regressando ao gênero depois dos bem-sucedidos “A espinha do Diabo” e “O labirinto do fauno”.

“Exorcistas do Vaticano” (EUA,2015), de Mark Neveldine 

Estreia em 20/08

Estreia em 20/08

Michael Peña faz um jovem padre destacado para investigar o caso de uma jovem aparentemente possuída pelo demônio. O Vaticano logo percebe se tratar de um caso de possessão muito mais grave e problemático do que parecia a princípio. O elenco da produção conta ainda com Dougray Scott e Djimon Hounsou.

“Corrente do mal” (EUA,2014), de David Robert Mitchell

Estreia em 27/08

Estreia em 27/08

O Cineclube foi o primeiro a atentar para esse hit do cinema independente americano aqui no Brasil. “Corrente do mal” faz uma metáfora inteligente das doenças sexualmente transmissíveis ao fazer com que a única maneira de se desfazer de uma maldição seja por meio do ato sexual. Uma entidade que jamais corre, só anda, no intuito de matar sua vítima e pode assumir variadas formas. Divertido, original e reverente aos filmes seminais do gênero, “Corrente do mal” é o caviar do horror no cinema em 2015.

“Canibais” (EUA,2015), de Eli Roth

Estreia em 25/09

Estreia em 25/09

Um grupo de ativistas americanos decidem ir até a Amazônia para tentar proteger uma tribo que está desaparecendo. Durante o percurso, o avião sofre problemas e eles caem no meio da selva.  Eles são resgatados e feitos reféns pela tribo que desejavam salvar. E você não vai acreditar no que a tribo deseja fazer com eles…

Segundo filme de Roth a ser lançado em 2015, “Canibais” foi rodado em 2013, parcialmente no Brasil, mas a fita teve problemas de finalização e distribuição, o que acabou adiando a estreia.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 24 de julho de 2015 Filmes, Notícias | 15:58

Confira o primeiro trailer de “Condado macabro”, promissor filme de terror nacional

Compartilhe: Twitter

Há quem reclame, com certa razão, da predominância de comédias brasileiras nas salas exibidoras do país. Mas o cinema brasileiro é muito mais diverso e multifacetado do que o circuito comercial faz crer. Muita coisa boa ou não é lançada comercialmente ou fica restrita ao chamado circuito de arte no eixo Rio/SP. Basta um rápido olhar à filmografia do ator Irandhir Santos para confirmar que há muita coisa boa sendo produzida no Brasil além de comédias rasgadas.

“Condado macabro”, primeiro longa de Marcos Britto e André de Campos Mello na direção de longa-metragens, é um filme de terror cheio de referências a clássicos oitentistas do gênero premiado no último Fantaspoa (Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre) e que teve seu primeiro trailer divulgado.

Fotos: divulgação

Fotos: divulgação

Condado 2

O filme ainda não tem lançamento comercial definido, mas integra a programação do 10º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo que acontece entre os dias 30 de julho e 5 de agosto.

Na trama, um grupo de jovens vai passar o feriado em um imóvel alugado em uma cidade interiorana e acaba virando alvo de um grupo sádico. O rosto mais reconhecível do elenco é do ator Leonardo Miggiorin, de novelas como “Insensato coração” e “Viver a vida”. Mais sobre o filme em breve no Cineclube.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 12 de junho de 2015 Filmes, Notícias | 22:46

Terror “Final girl” promete ser o “Pânico” da nova geração

Compartilhe: Twitter

Final girl 2“Pânico”, assinado pelo cineasta Wes Craven e pelo roteirista Kevin Williamson, era antes de qualquer coisa uma homenagem ao cinema. Era, também, uma inteligente sátira a este universo tão peculiar que é o gênero terror – que Craven ajudou a definir entre os anos 70 e 80.

Com a cara dos anos 90, “Pânico” virou uma bem sucedida franquia que invadiu o novo milênio e depois de um (bom) quarto filme – lançado em 2011 – virou série de TV (o show estreia no final deste mês na MTV americana).

Tyler Shields não é nenhum Wes Craven. Na verdade, nem mesmo é cineasta. O renomado fotógrafo de celebridades debuta como diretor de cinema com “Final girl”, uma fita de terror que já no título extravasa toda a sua pretensão pop. Final girl, no português “a última garota”, é o termo usado para descrever a última garota que resta nos filmes de terror; o que não quer dizer necessariamente que sobreviva no final das contas. O trailer, que pode ser conferido abaixo, tem uma vibe tarantinesca que serve bem ao propósito irônico do filme. Uma sátira, como tão bem defende Tarantino, pode ser agonizante ao mesmo tempo em que é engraçada.

No filme, a pequena miss sunshine (já não tão pequena assim) Abigail Breslin é Veronica. Uma garota que entra na mira de quatro garotos que formam um grupo satânico e planejam persegui-la e matá-la em um ritual. Eles só não esperavam que ela tivesse recebido o treinamento para ser a tal da final girl. Wes Bentley  (“Beleza americana”) surge como o mentor da menina.  Referências pop e um visual bacanão devem marcar a estreia de Shields na direção. O portfólio do cara como fotógrafo vale a visita e pode ser conferido aqui.

“Final girl” terá lançamento em cinemas selecionados e no on demand nos EUA em 14 de agosto. Não há informações sobre o lançamento nos cinemas brasileiros, mas por ser tratar de uma produção modesta deve ir direto para lançamento em home/vídeo. Salvo um sucesso estrondoso na terra do tio Sam.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 28 de abril de 2015 Diretores, Filmes, Notícias | 22:28

Primeiro trailer de “A visita” gera expectativa por novo trabalho de M. Night Shyamalan

Compartilhe: Twitter
Divulgação

Divulgação

Não é segredo que a carreira de M. Night Shyamalan, o cineasta que já foi apontado como o “novo Spielberg”, está por um fio. Em 2015, no entanto, o indiano prepara uma virada e tanto. Se dará certo ou não, estamos próximos de saber.

Em maio, estreia mundialmente sua primeira produção para a televisão. “Wayward pines” está sendo vendida como uma “Twin peaks” moderna. A minissérie em dez episódios é aguardada como uma das maiores sensações do ano.

Leia também: A última cartada de M. Night Shyamalan 

Em setembro, o cineasta lança o filme “A visita”, produção totalmente independente filmada em uma de suas residências, e que marca seu retorno ao gênero terror.

O filme está programado para estrear nos cinemas brasileiros em 29 de outubro. Nos EUA, chega antes, em setembro.

A trama gira em torno de dois irmãos que vão passar férias na fazenda de seus avós e, assim que descobrem que o casal de idosos está envolvido em algo assustador, percebem que as chances de voltar para a casa são menores a cada momento que passa. O trailer valoriza a sugestão em detrimento da exposição, algo que se preservado no longa-metragem pode significar o retorno à boa forma de Shyamalan. É possível conferir o trailer legendado do filme abaixo e difícil não pensar no climão de “O sexto sentido”.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 31 de outubro de 2014 Filmes, Listas | 05:00

Cinco filmes para curtir um Halloween sangrento e assustador

Compartilhe: Twitter

O Cineclube preparou uma lista que conjuga do mais trash ao mais sofisticado filme de terror para que o leitor possa curtir o fim de semana de Halloween com estilo. Em comum, os cinco filmes dessa lista têm o fato de serem pouco conhecidos do grande público e serem altamente compensadores para quem se predispuser a assisti-los.

“Fantasmas (EUA, 1998)”

Fantasmas

Pense em Ben Affleck antes de “Gênio indomável”. Lançado no mesmo ano do filme que alçou o hoje incontestável astro ao estrelato, “Fantasmas” traz o ator (bem canastrão) como o xerife de uma cidadezinha assombrada por eventos misteriosos. Corpos começam a aparecer de maneira misteriosa à medida que a cidade vai sendo esvaziada. Um jornalista desacreditado (papel do grande Peter o´Toole) crê que uma força maligna adormecida há séculos despertou e tem planos nefastos para a humanidade.

“Wolf Creek – viagem ao inferno (Austrália, 2005)”

Wolf Creek

Duas mochileiras inglesas e um jovem australiano vão visitar a segunda maior cratera do mundo, localizada no Parque Nacional de Wolf Creek. Na volta para casa, o carro apresenta problemas, eles recebem ajuda de um caminhoneiro local que, aos poucos, vai se revelando um facínora para lá de cruel. Essa pequena joia do cinema de terror teve sua sequência lançada neste ano. Mais barulhenta e mais sangrenta, mas não tão impactante quanto esse verdadeiramente assustador filme dirigido por Greg McLean.

“Água negra” (EUA, 2005)

Água negra 3

A estreia do cineasta brasileiro Walter Salles no cinema americano suscitou algum interesse à época, mas acabou desprestigiada por se tratar de um filme de terror anticlimático; que investe no destempero emocional, na carga psicológica em detrimento do susto fácil. Merece ser redescoberto. Jennifer Connelly faz uma mulher recém-separada que se muda para um apartamento com sua filha enquanto tenta vingar no novo emprego e manter a custódia da menina. O litígio com o marido, no entanto, é apenas um dos problemas dela. O apartamento começa a apresentar um estranho vazamento e sua filha se mostra cada vez mais perturbada. Salles investe em um terror psicológico notadamente inspirado em Stanley Kubrick e Roman Polanski. O filme é um remake de uma fita japonesa mais assustadora, mas menos interessante.

 

“A casa do Diabo” (EUA, 2009)

A casa do Diabo

Uma estudante que faz bico como babá descobre, em uma noite de total eclipse lunar, que seus empregadores desejam usá-la em um ritual satânico. Essa fita causou alguma comoção na cena independente quando lançada em 2009. Não estreou comercialmente no Brasil, mas pode ser conferida no catálogo da Netflix americana.

Com forte influência do cinema de horror dos anos 80, Ti West faz um filme inventivo, extremo e surpreendentemente inteligente para os padrões vigentes no gênero.

“Cabana do inferno” (EUA, 2002)

Fotos: divulgação

Fotos: divulgação

O filme que revelou o talento de Eli Roth para o gore! Merece a revisão, principalmente em um ano em que o Halloween acontece à sombra do ebola. Grupo de cinco amigos decide passar o fim de semana em uma cabana retirada. Planejando uma boa farra, eles acabam encontrando um habitante local com uma estranha doença que parece comer a pele da pessoa. Um dos colegas acaba infectado e gera grande paranoia no grupo. Um filme tenso, apavorante e bem nojento.

Autor: Tags: , , , , , ,