Publicidade

Posts com a Tag Missão impossível – nação secreta

quinta-feira, 13 de agosto de 2015 Análises, Atores, Bastidores | 16:08

Tom Cruise e suas missões impossíveis

Compartilhe: Twitter
Tom Cruise sofre muito em "Nação secreta", uma metaforização valiosa de seu pathos atual em Hollywood (Fotos: divulgação)

Tom Cruise sofre muito em “Nação secreta”, uma metaforização valiosa de seu pathos atual em Hollywood
(Fotos: divulgação)

Tom Cruise está de volta aos cinemas brasileiros neste fim de semana com “Missão impossível  – Nação secreta”, quinto filme do agente Ethan Hunt – interpretado com total devoção pelo astro, hoje com 53 anos.

Não é nenhum segredo que Cruise investe pesado no cinema de ação como alternativa para se manter relevante em uma era de blockbusters dominados por super-heróis e adaptações de literatura infanto-juvenil, mas “Missão impossível” é, para todos os efeitos, o porto-seguro do astro. A franquia é tão rentável que, mesmo depois da Paramount romper o contrato de exclusividade que mantinha com o ator em 2006, a parceria foi mantida para dar sequência à série. O quarto filme custou para ser produzido e “Protocolo fantasma” foi lançado no Natal de 2011 e amealhou a melhor bilheteria da série – US$ 694 milhões mundialmente.

O sucesso fez com que Paramount e Cruise se sentissem mais confortáveis com a reaproximação e o astro tentou emplacar outra franquia de ação com o estúdio. Embora “Jack Reacher – o último tiro” não tenha rendido o esperado, já teve sua sequência confirmada. E é o diretor deste filme, com quem Cruise já havia trabalhado em “Operação Valquíria” (2008), quem comanda o quinto “Missão impossível” que, apesar de ter enfrentado problemas de bastidores (a Paramount não teria aprovado a 1ª versão do filme e teria exigido mudanças), agradou a crítica e vem fazendo uma bilheteria respeitável (já soma quase US$ 300 milhões mundialmente).

Manter-se atraente para um público que não se deixa influenciar por astros e estrelas para ir ao cinema não é uma tarefa simples. O Tom Cruise desta segunda década do século XXI é um ator desacostumado a fazer qualquer outra coisa fora do escopo da ação. Apenas a comédia musical “Rock of ages: o filme” (2012) destoa em uma filmografia que mescla ficções científicas cascudas como “Oblivion” (2013) e “No limite do amanhã” (2014) com a franquia “Missão impossível”, cujo sexto volume está agendado para entrar em produção no próximo ano.

Além de lançar em média um filme por ano, dando tempo de investir pesado na promoção e cuidar de todos os aspectos relacionados à produção – Cruise foi um dos precursores da figura do ator/produtor – ele busca no passado alguma luz para o futuro. Depois de tanto tarbalhar nos bastidores por uma sequência de “Top gun – ases indomáveis” (1986), um dos primeiros sucessos de sua carreira, Cruise viu o sinal verde ser emitido para a produção. A relação com a Paramount, ainda que sem um contrato de exclusividade, volta a dominar a agenda de Cruise que deve passar os próximos três anos rodando filmes para o estúdio.

Cruise bate um papo com o diretor Christopher McQuarrie e a atriz Rebecca Ferguson no set do filme

Cruise bate um papo com o diretor Christopher McQuarrie e a atriz Rebecca Ferguson no set do filme

Voltar às boas com a Paramount foi a primeira missão impossível realizada por Cruise. “Nação secreta” lhe devolveu ao topo das bilheterias americanas – posição que manteve no segundo final de semana graças ao fracasso de “Quarteto fantástico”. Agora é esperar que a reengenharia de carreira funcione e, em algum momento, seja possível deixar “Missão impossível” para trás.

Autor: Tags: , ,