Publicidade

Posts com a Tag notícias

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016 Filmes, Notícias | 12:35

“Decisão de Risco” e “Estado de Liberdade” são destaques entre os lançamentos em Blu-Ray em janeiro

Compartilhe: Twitter

Cinéfilos e colecionadores já podem se preparar para gastar as sobras do 13º com boas opções de filmes que chegam ao sell-thru em janeiro de 2017. “Ben-Hur” e “Sete Homens e um Destino” chegam às lojas em Blu-Ray e DVD em 11 de janeiro. Mesmo dia do lançamento de “Decisão de Risco”, ótimo thriller de Gavin Hood estrelado por Helen Mirren. A produção oferta, ainda, uma das últimas aparições de Alan Rickman– morto em janeiro de 2016 – no cinema.

Leia mais: Pacifista, novo “Ben-Hur” sobrevive às comparações com o clássico de 1959

Helen Mirren em cena do filme "Decisão de Risco"

Helen Mirren em cena do filme “Decisão de Risco”

O encontro de três perigosos terroristas em Nairobi, no Quênia, faz com que uma elaborada operação seja coordenada diretamente da Inglaterra. É lá que a coronel Katherine Powell (Mirren) e o general Frank Benson (Rickman), acompanham os movimentos dos alvos. Inicialmente a operação seria para capturá-los, mas a descoberta de dois homens-bomba faz com que o objetivo mude para eliminá-los a qualquer custo.

“Porta dos Fundos – Contrato Vitalício”, que fracassou nos cinemas, talvez encontre seu público no mercado de home vídeo. A produção também chega às lojas em 11 de janeiro, mas apenas em DVD. Estrelado por Matthew McConaughey, “Estado de Liberdade” será disponibilizado apenas para locação.  No filme, o ator interpreta o fazendeiro Newton Knight que forma um grupo de rebeldes contra a Confederação durante a guerra civil americana. Ele é contrário à escravidão, mas também à reforma política. Assim, reunindo pobres fazendeiros, o pequeno condado de Jones (Mississippi), rompe com o grupo majoritário e forma um pequeno estado livre. Ao longo dos anos, Knight combate a influência racista do Ku Klux Klan e forma a primeira comunidade interracial do Sul, casando-se com a ex-escrava Rachel (Gugu Mbatha-Raw, da série Black Mirror). O filme será disponibilizado a partir de 18 de janeiro.

Cena do filme "Roteiro de Casamento"

Cena do filme “Roteiro de Casamento”

Duas boas opções para quem aprecia o cinema latino americano são o argentino “Roteiro de Casamento” e o brasileiro “O Shaolin do Sertão”. O primeiro é uma comédia estrelada por Valeria Bertuccelli. Ela faz uma atriz iniciante namorada de um diretor de cinema com o qual está trabalhando, acaba se apaixonando por outro homem. No entanto, o maior problema é que sua nova paixão não é uma pessoa real: é o personagem protagonista do filme, interpretado pela estrela da produção Fabián (Adrián Suar). O segundo é uma feliz mescla de ação e comédia cearense.  Aluiso Li (Edmilson Filho) é um aspirante a lutador que sonha e batalha por manter viva a paixão pelas lutas no Ceará dos anos 80. Espere por muitas referências ao cinema e a região.

Ambos os filmes chegam às lojas em 11 de janeiro.

Autor: Tags:

terça-feira, 20 de dezembro de 2016 Filmes, Notícias | 11:29

“Vazante”, de Daniela Thomas, estreia no Festival de Berlim

Compartilhe: Twitter

Primeiro filme solo da codiretora de “Linha de Passe” e “Terra Estrangeira” foi selecionado para uma das mais disputadas mostras paralelas do festival alemão

Cena do filme Vazante Foto: Inti Briones

Cena do filme Vazante
Foto: Inti Briones

“Vazante”, primeiro filme solo de Daniela Thomas, que codirigiu “Linha de Passe” (Palma de Ouro de Melhor Atriz em Cannes 2008) e “Terra Estrangeira” ao lado de Walter Salles, terá sua estreia mundial no próximo Festival Internacional de Cinema de Berlim, realizado entre 09 e 19 de fevereiro 2017; como parte da In Focus: Reclaiming Black History, sessão especial criada na mostra Panorama com três filmes (“I Am Not Your Negro” e “The Wound” também serão exibidos). Daniela também assina o roteiro do longa-metragem junto ao produtor Beto Amaral.  A distribuição no Brasil será feita pela Europa Filmes com estreia prevista para 2017.

Leia mais: “Rogue One” reequilibra a força de Star Wars no cinema com força e imaginação

“É emocionante que o meu primeiro filme solo, ‘Vazante’, seja selecionado para a mostra Panorama do Festival de Berlim. A Berlinale é talvez o festival que mais impacto tenha tido no cinema brasileiro das últimas décadas, premiando ‘Central do Brasil’, Fernanda Montenegro, ‘Tropa de Elite’ e ‘Que Horas Ela Volta’. É uma honra e um privilégio voltar aos grandes festivais de cinema que me deram tanta felicidade, como o de Cannes, em 2008, quando recebi a Palma de Ouro para Sandra Corvelloni, por sua linda Cleuza de ‘Linha de Passe’. Fico muito orgulhosa de ter Sandra mais uma vez brilhando em um filme meu. Meu coração está acelerado”, comenta Daniela.

Leia mais: Qual o melhor filme para Hollywood reagir à ascensão da era Trump no Oscar?

O filme se passa em 1821, no interior do Brasil, nas serras pedregosas das Minas Gerais, depois da economia local, que era baseada na extração de diamantes, ter entrado em colapso. O ator português Adriano Carvalho vive Antonio, um patriarca do século XIX, que ao voltar de uma longa viagem conduzindo uma tropa de escravos descobre que sua mulher morreu em trabalho de parto. A estreante Luana Nastas é Beatriz, menina que lhe é dada em casamento. Na ausência do marido, Beatriz fica sozinha com os escravos. Solidão, incomunicabilidade e preconceito levam a uma espiral de violência.

“O filme quer falar de algumas das nossas maiores cicatrizes: a escravidão, o casamento forçado de meninas, a mestiçagem que é fruto do assédio e da exploração sexual das negras e as hierarquias de poder que pervertem até as relações entre os oprimidos. O filme fala também, por outro lado, da eterna possibilidade de redenção e de subversão dessas estruturas tão rígidas”, explica a diretora, que contou com um vasto repertório de informação trazido pela historiadora Mary del Priore.

Leia mais: Primeiro trailer de “Blade Runner 2049” é divulgado

“Vazante” teve como locação principal a fazenda Ribeirão, uma mansão do século XVIII a uma hora de estrada de terra da cidade histórica do Serro, em Minas Gerais. Para o filme, o ator Toumani Kouyaté abriu as portas da comunidade de seus conterrâneos da África subsaariana refugiados em São Paulo, e Rodrigo Siqueira, diretor do documentário “Terra Deu Terra Come”, indicou os caminhos para uma dezena de comunidades quilombolas da região Diamantina, de onde foi arregimentado o elenco da senzala

 

Autor: Tags: , , , , ,

sábado, 17 de dezembro de 2016 Bastidores, Filmes | 18:51

Julia Rezende termina de filmar “Como é Cruel Viver Assim”

Compartilhe: Twitter

A diretora Julia Rezende (“Meu Passado Me Condena”, “Ponte Aérea” e “Um Namorado Para Minha Mulher”) acabou de rodar, no Rio de Janeiro, seu quinto filme. “Como É Cruel Viver Assim” conta a história de quatro fracassados em uma narrativa ácida que mistura drama, humor e melancolia. As filmagens do longa, que tem roteiro de Fernando Ceylão, foram realizadas durante cinco semanas, em locações como Nilópolis, Marechal Hermes, Méier e um terreno abandonado no Recreio.

Os protagonistas do quinto filme de Julia Rezende

Os protagonistas do quinto filme de Julia Rezende

Os protagonistas, interpretados por Marcelo Valle, Fabiula Nascimento, Silvio Guindane e Debora Lamm, decidem fazer algo importante e  armam um plano absurdo: sequestrar um milionário. Mas não têm nenhuma experiência com crimes nem noção do que essa operação pode envolver. O elenco também conta com Paulo Miklos, Otávio Augusto e Milhem Cortaz, que fazem um trio de bandidos, além de uma participação especial de Marcius Melhem, no papel de um farmacêutico.

O filme será distribuído pela H2O Films e Universal e tem lançamento previsto para o segundo semestre de 2017.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016 Filmes, Notícias | 16:31

Rede Telecine exibe o festejado “Aquarius” em janeiro

Compartilhe: Twitter
Sonia Braga em cena de "Aquarius" (Foto: divulgação)

Sonia Braga em cena de “Aquarius”
(Foto: divulgação)

“Aquarius”, filme brasileiro de maior repercussão neste ano, chega à rede Telecine no dia 16 de janeiro. O longa-metragem, dirigido por Kleber Mendonça Filho e estrelado por Sonia Braga, vai ao ar no Telecine Premium, às 22h, e também poderá ser visto no Telecine Play a partir de então. Exibida no Festival de Cannes neste ano, onde concorreu à Palma de Ouro, a produção estreou no Brasil em setembro e vem sendo apresentada – com sucesso de crítica – em outros festivais ao redor do mundo.

Leia mais:  Intenso e sensorial, “Aquarius” é muito mais do que metáfora política
Jornalista aposentada, viúva e mãe de três adultos, Clara (Sonia Braga) sofre com o assédio da construtora que deseja levantar um empreendimento de luxo no lugar do prédio onde ela criou os filhos e viveu os melhores anos de sua vida. Por ser a única moradora do edifício a se recusar a vender seu imóvel, ela é ameaçada de toda forma.

Autor: Tags: , ,

sábado, 26 de novembro de 2016 Filmes, Notícias | 17:39

“É um filme que faz você refletir sobre as pessoas em sua vida”, diz Tom Ford sobre “Animais Noturnos”

Compartilhe: Twitter
Tom Ford orienta a atriz Amy Adams no set de "Animais Noturnos"

Tom Ford orienta a atriz Amy Adams no set de “Animais Noturnos”

O novo e aguardadíssimo filme de Tom Ford, “Animais Noturnos”, será uma das últimas estreias de 2016 nos cinemas brasileiros. Previsto para o dia 29 de dezembro, o vencedor do Leão de Prata – o grande prêmio do júri – no último festival de Veneza, apresenta uma história de suspense relacionada a um casal separado há 20 anos.

Susan (Amy Adams) é uma negociante de arte de Los Angeles que vive uma vida privilegiada, mas incompleta, ao lado do atual marido, Hutton Morrow (Armie Hammer). Em um final de semana em que Hutton deve partir para uma de suas frequentes viagens de negócios, ela recebe um pacote inesperado: um livro escrito pelo ex, Edward (Jake Gyllenhaal), e dedicado a ela. Uma publicação violenta e desoladora que remete Susan a um passado ao qual ela, talvez, preferisse sufocar.

No vídeo abaixo, o diretor e roteirista Tom Ford e os protagonistas Jake Gyllenhall e Amy Adams falam sobre o que julgam ser o tema do filme. “Eu gostaria que as pessoas deixassem esse filme pensando nas escolhas de vida que fizeram em relação às pessoas, pensando na importância das pessoas em suas vidas”, observa Ford.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 22 de novembro de 2016 Filmes, Notícias | 17:39

“Jackie”, estrelado por Natalie Portman, ganha novas imagens e data de estreia

Compartilhe: Twitter

Vencedora do Oscar em 2011 pelo filme “Cisne Negro”, atriz israelense volta à corrida pela estatueta dourada ao interpretar a mais icônica das primeira-damas dos Estados Unidos

Natalie Portman em cena de Jackie

Natalie Portman em cena de Jackie

Filme que promete ser um dos hits da temporada de premiações no cinema, que se avizinha, “Jackie” ganhou novas imagens nesta terça-feira (22) que são divulgadas com exclusividade pelo Cineclube. Assim como a confirmação de que o filme, que será distribuído no Brasil pela Diamond Films, estreia nas salas do País em 9 de fevereiro, em plena expectativa pela entrega dos prêmios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

Leia mais: Verhoeven revela desejos ocultos com sofisticação e assombro no sensacional “Elle”

Imagem do filme Jackie

Imagem do filme Jackie

Nesta terça-feira (22), o filme recebeu quatro indicações ao Independent Spirit Awards, prêmio que reconhece o que de melhor é produzido na cena independente do cinema norte-americano. “Jackie” foi lembrado nas categorias de filme, direção, atriz e edição.

Trata-se de uma cinebiografia de Jacqueline Kennedy Onassis, mas o recorte proposto pelo filme do chileno Pablo Larrain é muito específico. Acompanha Jackie, como era carinhosamente chamada por público e mídia, após o assassinato de John Kennedy Jr. A atriz falou a respeito da composição da histórica personagem na premiere do filme, realizada em Los Angeles na última semana, e na mesa redonda promovida pela publicação The Hollywood Reporter com algumas das atrizes cotadas a prêmios nessa safra 2016/2017. “Foi um imenso desafio”, admitiu Portman. “Os aspectos mais superficiais – como o jeito que ela se movimenta, o gestual e o jeito de falar –  eram questões de prática e habilidade, mas como ela se sentia era algo que demandava imaginação”.

Leia mais: São Paulo recebe festival de documentários que pensa passado e futuro do gênero

A atriz, que pesquisou intensamente para o papel, confessou ter se surpreendido com o engajamento de Jacquie nos assuntos da Casa Branca. “eu sempre a percebi como inteligente e esperta, mas quando você ouve as transcrições de suas entrevistas após o assassinato, quando ela tentava definir o legado de seu marido e tentando criar uma história oral de sua presidência, você percebe o quanto ela estava inteirada daquela rotina”.

Vencedor do prêmio de melhor roteiro no último festival de Veneza, “Jackie” não é o único filme de Larrain no ano. O cineasta ainda conta com “Neruda”, que integrou a seleção de Cannes em maio, como representante do Chile na corrida pelo Oscar. A história do passado pode render muitos louros à história que está por vir tanto para Larrain como para Portman.

 

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 5 de outubro de 2016 Filmes, Notícias | 20:36

James Schamus, diretor de “Indignação”, vem ao Festival do Rio para promover o filme

Compartilhe: Twitter
O diretor James Schamus no set de "Indignação" ao lado do ator James Schamus (Foto: divulgação)

O diretor James Schamus no set de “Indignação” ao lado do ator James Schamus
(Foto: divulgação)

No dia 14 de outubro, James Schamus estará no Festival do Rio para a sessão de gala de seu primeiro longa como diretor, o elogiado “Indignação”. O diretor vem ao Festival à convite de Rodrigo Teixeira, produtor do filme.

Com extenso currículo, James Schamus foi co-fundador e CEO do estúdio Focus Features por 13 anos, é colaborador de longa data de Ang Lee, tendo trabalhado com ele no roteiro e na produção de filmes como “O Tigre E O Dragão” e “O Segredo de Brokeback Mountain”, além de ser professor titular na Columbia University.

O longa teve sua estreia no Festival de Sundance deste ano. Baseado no livro de Philip Roth, “Indignação” se passa em 1951, quando Marcus Messner (Logan Lerman), um brilhante estudante judeu de classe média viaja para Ohio, onde conseguiu uma bolsa de estudos em uma conservadora universidade, o que evitou que fosse convocado para a Guerra da Coreia. Quando Marcus chega em Ohio, sua crescente paixão pela bela Olivia Hutton (Sarah Gadon), e seu conflito com o diretor da universidade, colocam Marcus e seu bem traçado plano de vida em teste.

O filme estreia no Brasil no dia 3 de novembro, com distribuição da Sony Pictures e produção da RT Features.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 27 de setembro de 2016 Bastidores, Filmes, Notícias | 19:59

Distribuidora americana fará campanha por “Aquarius” e Sonia Braga no Oscar

Compartilhe: Twitter

Empresa que vai lançar a produção nos Estados Unidos vê boas chances da produção emplacar em categorias nobres do Oscar e aposta em Sonia Braga como embaixadora de “Aquarius” no país

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Apesar de ter sido preterido por “Pequeno Segredo” na disputa para ficar com a vaga de representante do Brasil na briga por uma indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro, as chances de “Aquarius” ainda não acabaram. Pelo menos, essa é a ideia da Vitagraph Films, empresa encarregada de distribuir o filme nos EUA e que já anunciou que irá se engajar na promoção da obra com vistas ao prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. A estratégia da distribuidora será focar em Sonia Braga, que já tem alguma notoriedade nos EUA.

Crítica: Intenso e sensorial, “Aquarius” é muito mais do que metáfora política 

A expectativa é de que “Aquarius”, que saiu muito elogiado de Cannes, consiga algumas indicações em categorias nobres como roteiro e direção. É uma meta ousada. Historicamente, a Vitagraph Films não costuma emplacar produções no Oscar e, no caso particular de Sonia Braga, a disputa pela vaga entre as atrizes promete ser acirradíssima. A francesa Isabelle Huppert, queridinha dos críticos americanos, é ampla favorita à informal vaga de candidata cult pelo francês “Elle”, assinado pelo holandês Paul Verhoeven (“Robocop”) e candidato oficial da França a uma vaga no Oscar.

“Aquarius” será lançado em 14 de outubro nos cinemas americanos e a Vitagraph estabelece como estratégia um trabalho intenso junto à Associação dos Correspondentes Estrangeiros de Hollywood, que outorga os prêmios Globo de Ouro, como uma alternativa de bombar as chances do filme no Oscar. A conferir.

Polêmica

Um das produções brasileiras mais elogiadas dos últimos tempos, “Aquarius” saiu elogiado do Festival de Cannes, e rapidamente se tornou o favorito para representar o Brasil no Oscar. Mas foi preterido em nome de “Pequeno Segredo”, de David Schurmann, depois de um processo polêmico, envolvendo um dos integrantes da comissão de seleção, o comentarista de cinema Marcos Petrucelli, que havia feito críticas nas redes sociais ao protesto da equipe do filme contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff em Cannes.

Ato contínuo, diretores de outros concorrentes à vaga, como Gabriel Mascaro, de “Boi Neon”, e Anna Muylaert, de “Mãe Só Há uma”, retiraram suas candidaturas em solidariedade a “Aquarius”, e em protesto contra a parcialidade e contra como o que identificaram como tentativa de sabotar o filme.

O diretor Kleber Mendonça Filho foi categórico ao afirmar que a eliminação do filme decorreu de retaliação política. David Schurmann, por seu turno, criticou o que chamou de “Fla-Flu” na área cultural do País, mas evitou atritos com o diretor de “Aquarius”. Disse em entrevista à Glamurama publicada no último fim de semana: “nosso filme tem mais cara de Oscar”. A conferir!

Autor: Tags: ,

segunda-feira, 26 de setembro de 2016 Curiosidades, Filmes, Notícias | 19:26

50 filmes independentes ganham 50% de desconto no NOW em outubro

Compartilhe: Twitter

Um cardápio bem variado de filmes independentes vai estar disponível para os assinantes da Net com acesso ao NOW durante o mês de outubro. Serão 50 filmes com preços entre R$ 2,45 e R$ 4,95. Tem produções vencedoras do Oscar e filmes que integraram a programação de festivais como Berlim e Cannes. Muitos nem sequer foram exibidos nos cinemas brasileiros.

Entre os destaques podemos citar o drama iraniano “Táxi Teerã” (2015), de Jafar Panahi, vencedor do Urso de Ouro de Berlim, em 2015. No filme, o diretor cruza as movimentadas ruas da capital conversando com passageiros. Humor e drama se misturam nas discussões sobre a política, os costumes locais e a liberdade de expressão. Outro longa imperdível é “Pasoline” (2014), de Abel Ferrara, com Willem Dafoe, Riccardo Scamarcio e Maria de Medeiros. A produção retrata os últimos dias de vida do polêmico diretor italiano Pier Paolo Pasolini, vivido por Dafoe. Indicado na categoria Melhor Atriz no Oscar 2016, o filme “45 anos” (2015), de Andrew Haigh, conta a história de um casal que planeja a festa de comemoração de seus 45 anos de casamento quando recebe uma notícia que poderá mudar o curso de suas vidas para sempre.

Cena de "Táxi Teerã"

Cena de “Táxi Teerã”

Outra produção muito recomendável que concorreu ao Oscar é o colombiano “O Abraço da Serpente” (2015), de Ciro Guerra, que mostra o último sobrevivente de uma tribo na Amazônia colombiana que trabalha com dois exploradores ao longo de 40 anos em busca de uma rara planta medicinal. Também concorrente a melhor filme estrangeiro, o francês “Cinco Graças” (2016), de Deniz Gamze, relata a história de cinco irmãs que lutam pela sua liberdade e tentam resistir ao seu destino. Com três indicações ao Oscar, entre elas de Melhor Atriz e Melhor Filme, “Brooklin” (2015), de John Crowley fala sobre uma jovem irlandesa que tem seu coração dividido entre o país de origem e os EUA, para onde se mudou em busca dos seus sonhos.

Confira a lista de filmes que são atração em outubro no NOW:

“O Preço da Fama” (2014), de Xavier Beauvois

“Táxi Teerã” (2015), de Jafar Panahi

“Picasso e o Roubo da Monalisa” (2012), de Fernando Colomo

“Pasolini” (2014), de Abel Ferrara

“45 anos” (2015), de Andrew Haigh

“Retorno a Ítaca” (2014), de Laurent Cantet

“Club Sandwich” (2013), de Fernando Eimbcke

“O Capital Humano” (2013), de Paolo Virzi

“Garota Sombria Caminha Pela Noite” (2014), de Ana Lily Amirpour

“Três Lembranças da Minha Juventude” (2015), de Arnaud Desplechin

“As Memórias de Marnie” (2014), de Hiromasa Yonebayashi

“Pecados Antigos, Longas Sombras” (2014), de Alberto Rodriguez

“Numa escola de Havana” (2014), de Ernesto Daranas

“Party Girl” (2014), de Marie Amachoukeli, Claire Burger e Samuel Theis

“Amor, drogas e Nova York” (2014), de Ben Safdie e Joshua Safdie

“Dois Amigos” (2015), de Louis Garrel

“Labirinto de Mentiras” (2014), de Giulio Ricciarelli

“Victoria” (2015), de Sebastian Schipper
“O Cheiro da Gente” (2014), de Larry Clark
“White God” (2014), de Kornél Mundruczó
“Suite Francesa” (2014), de Saul Dibb
“Verão da Lata” (2014), de Tocha Alves e Haná Vaisman
“Uma Nova Amiga” (2014), de François Ozon
“O abraço da serpente” (2015), de Ciro Guerra
“Sabor da Vida” (2015), de Naomi Kawase
“Cinco Graças” (2016), de Deniz Gamze
“Astrágalo” (2015), de Brigitte Sy
“A Marcha” (2013), de  Nabil Ben Yadir

Premiado na mostra Um Certo Olhar em Cannes, o filme "Ovelha Negra" é um dos destaques do cardápio de filmes indies do Now

Premiado na mostra Um Certo Olhar em Cannes, o filme “Ovelha Negra” é um dos destaques do cardápio de filmes indies do Now

“A ovelha negra” (2015), de Grímur Hákonarson

“Mia Madre” (2015), de Nanni Moretti

“Fique Comigo” (2015), de Samuel Benchetrit

“Tudo Vai Ficar Bem” (2015), de Wim Wenders

“Conspiração e Poder” (2015), de James Vanderbilt

“Brooklin” (2015), de John Crowley

“A Linguagem do Coração” (2014), de Jean-Pierre Améris
“História da Minha Morte” (2013), de Albert Serra

“Tangerine” (2015), de Sean Baker

“Desajustados” (2015), de Dagur Kári

“Paulina” (2015), de Santiago Mitre

“Fogo no Mar” (2016), de Gianfranco Rosi

“Body” (2015), de Gianfranco Rosi e Malgorzata Szumowska

“Para o Outro Lado” (2015), de Kiyoshi Kurosawa

“O Novíssimo Testamento” (2015), de Jaco Van Dormael

“Eu Sou Ingrid Bergman” (2015), de Stig Bjorkman

“O Que Eu Fiz Para Merecer Isso?” (2014), de Patrice Leconte

“É o Amor” (2015), de Paul Vecchialii

“A Assassina” (2015), de Hsiao-Hsien Hou

“O Senso de Humor” (2015), de Maryline Canto

“Um Dia Perfeito” (2015), de Fernando León de Aranoa

“Um Brinde à Vida” (2014), de Jean-Jacques Zilbermann

Autor: Tags:

sexta-feira, 23 de setembro de 2016 Curiosidades, Diretores, Notícias | 12:00

Fase mais obscura de David Cronenberg ganha retrospectiva em São Paulo

Compartilhe: Twitter
Cena do filme "Videodrome: A síndrome do vídeo" (Foto: divulgação)

Cena do filme “Videodrome: A síndrome do vídeo”
(Foto: divulgação)

As deformações que surgem em nós mesmos, resultado de mutações silenciosas e radicais provocadas pela ciência moderna e que transformam nosso corpo e mente. Esse é o tipo de horror – bizarro e obscuro – dos filmes do diretor canadense David Cronenberg selecionados para o ciclo Cronenberg Século XX que a Sala Drive-In do Caixa Belas Artes em São Paulo exibe, a partir desta sexta-feira (23) até o dia 5 de outubro.

Em duas semanas de mostra, serão exibidas dez produções de 1975 a 1991, a fase mais obscura de Cronenberg, que carrega a fama de “cineasta do bizarro”: “A Mosca”, “Videodrome – A síndrome do vídeo”, “Scanners – Sua mente pode destruir”, “Enraivecida na fúria do sexo”, “Gêmeos – Mórbida Semelhança”, “Os filhos do medo”, “A hora da zona morta”, “Calafrios”, “Escuderia do poder” e “Mistérios e Paixões”.

Para quem teve um primeiro contato com o cineasta canadense por meio de sua mais recente e verborrágica fase, em que se destacam filmes como “Cosmópolis” e “Um método Perigoso”, trata-se de uma excelente oportunidade para descobrir a visceralidade e o poder metafórico de um dos cineastas mais criativos do cinema em todos os tempos.

“Selecionamos os filmes mais antigos de David Cronenberg para que o espectador possa conhecer melhor a obra deste cineasta. Em seus primeiros trabalhos, Cronenberg usa de personagens e situações bastante excêntricas para questionar as hipocrisias da sociedade burguesa”, contextualiza André Sturm, diretor de programação do Caixa Belas Artes.

A programação completa pode ser conferida no site do Caixa Belas Artes.

Jeremy Irons em dose dupla no filme "Gêmeos – Mórbida semelhança", destaque deste sábado no Caixa Belas Artes (Foto: divulgação)

Jeremy Irons em dose dupla no filme “Gêmeos – Mórbida semelhança”, destaque deste sábado no Caixa Belas Artes
(Foto: divulgação)

Autor: Tags: ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. Última