Publicidade

Posts com a Tag Star Wars

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017 Bastidores, Filmes, Notícias | 12:38

Elenco de spin-off de “Star Wars” sobre jovem Han Solo posa para foto

Compartilhe: Twitter

As filmagens do spin-off de “Star Wars” sobre um jovem Han Solo já começaram nos estúdios Pinewood, em Londres. Ainda sem título oficial, o longa dirigido por Phil Lord e Christopher Miller (“Uma Aventura Lego”), deve chegar aos cinemas em 25 de maio de 2018.

O elenco fomado por Alden Ehrenreich como Han Solo, Woody Harrelson, Emilia Clarke, Donald Glover como Lando Calrissian, Thandie Newton, e Phoebe Waller-Bridge, com Joonas Suotamo como Chewbacca, posou para uma foto que pode ser conferida abaixo.

Han solo

O filme vai explorar as aventura da dupla antes dos eventos de “Star Wars: Uma Nova Esperança”, incluindo os seus encontros anteriores com aquele outro desonesto de uma galáxia muito, muito distante, Lando Calrissian. “Ver pessoas com tamanha inspiração do mundo todo, com vozes tão singulares, unirem-se com o propósito único de fazer arte, não é nada menos do que um milagre”, disseram Lord e Miller. “Não conseguimos pensar em nada engraçado para falar, por que nos sentimos realmente tocados, e realmente com muita sorte”.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 27 de dezembro de 2016 Atrizes, Bastidores | 17:45

Morte de Carrie Fisher não afeta “Episódio VIII”, mas deve alterar rumos da série principal de “Star Wars”

Compartilhe: Twitter

Produtores se apressaram em afirmar que morte da atriz não prejudica o próximo filme da série principal, mas mas no longo prazo “Star Wars” deve ter mudanças

Carrie Fisher e Harrison Ford em cena de "O Império Contra-ataca"

Carrie Fisher e Harrison Ford em cena de “O Império Contra-ataca”

A morte de Carrie Fisher, mais uma peça cruel desse caprichoso ano de 2016, deve impactar os planos da Disney para a continuidade da série principal de “Star Wars” no cinema. Não no curto prazo, já que o Episódio VIII, ainda sem título oficial, mas com lançamento agendado para 15 de dezembro de 2017, já está em pós-produção.  Produtores associados ao filme confirmaram esse dado a diversos veículos americanos como TMZ, Variety e The Hollywood Reporter.

Leia mais: Colegas de “Star Wars” homenageiam Carrie Fisher: “Ela era a luz mais brilhante”

No médio e longo prazo, no entanto, é inegável que Disney e LucasFilm vão precisar ajustar o curso da trama. O caminho sugerido por “O Despertar da Força” (2015) mostrava que Leia, personagem de Carrie Fisher, seria figura central de oposição à Primeira Ordem. Mais: a nova trilogia dava sinais de que iria capitalizar em cima dos irmãos Skywalker, os utilizando como muleta no caso dos novos personagens não pegarem.

Leia mais: Carrie Fisher deixa legado de uma grandeza que prescinde de prêmios

Não se sabe exatamente como o filme dirigido por Rian Johnson deixa o estado das coisas, mas não é absurdo supor que a Disney considere eventuais refilmagens para reorganizar a estrutura narrativa da série, agora sem um de seus principais vértices. Vale lembrar que a relação de Leia com Kylo Ren (Adam Driver) tinha tudo para ser um dos principais clímaces da nova trilogia.

É certamente prematuro especular sobre o futuro de “Star Wars” neste momento, mas é seguro afirmar que a morte de Carrie Fisher impacta os planos da Disney para o futuro da saga. Nada que não possa ser reestruturado. A Disney optaria por elencar uma nova atriz para interpretar a personagem, matar Leia assim como fez com Han Solo ou tomar outra providência narrativa menos radical? O tempo dirá, mas certamente se detecta um desequilíbrio na força.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016 Análises, Críticas, Filmes | 16:06

“Rogue One” reequilibra a força de “Star Wars” no cinema com imaginação e ousadia

Compartilhe: Twitter

Filme que expande o universo “Star Wars” no cinema é um deleite para os fãs e uma realização corajosa que engrandece a safra de blockbusters de 2016

Cena do filme Rogue One, que estreia nesta quinta-feira (15) nos cinemas brasileiros Foto: divulgação

Cena do filme Rogue One, que estreia nesta quinta-feira (15) nos cinemas brasileiros
Foto: divulgação

“Rogue One – Uma História Star Wars” é bom. Muito bom. A questão que se coloca agora é como vamos lidar com isso? Público e crítica estavam desconfiados. Até tinham razão para isso. A Disney, que comprara Pixar e Marvel e lhes concedera liberdade criativa, prometera fazer o mesmo com “Star Wars”, quando adquirira a LucasFilm. Mas aqui o buraco era mais embaixo. A franquia estava encerrada e, não somente seria retomada, como o plano consistia em expandir o universo criado por George Lucas.

Leia mais: Trágico, “Rogue One” é o melhor “Star Wars” desde “O Império Contra-Ataca”

O episódio VII chegou no ano passado arrasando quarteirões. O filme de J.J Abrams, no entanto, navegava em águas calmas. Havia grande ansiedade, e consequentemente considerável cota de condescendência à espera de “O Despertar da Força”. O filme é bom, mas não carrega um traço sequer da ousadia que sobeja em “Rogue One”. Espelhando o clássico “Uma Nova Esperança”, o filme falava ao coração dos fãs saudosos no mesmo compasso que pregava para todos aqueles desejosos de conversão.

Leia Mais: “Star Wars: O Despertar da Força” incorpora padrão Disney a “Star Wars”

Rogue posterCom o “Rogue One” a coisa é diferente. Pela primeira vez na série estamos mesmo em uma guerra. Gareth Edwards, que fez um filme do Godzilla todo ele a partir do ponto de vista das pessoas afetadas pela besta gigante, grava cenas de guerrilha urbana na lua de Jedha, flagra espiões em ação, conspirações em trâmite e observa as maquinações inerentes aos diferentes lados de um conflito armado. A guerra que toma conta da galáxia pode ser apalpada em um filme que busca a atmosfera de “Uma Nova Esperança”, até pela ligação umbilical que tem com o episódio IV, mas que não se faz refém dela.

Visualmente exuberante, como todo “Star Wars” deve ser, essa primeira antologia se beneficia enormemente do roteiro esperto e enxuto de Tony Gilroy (“O Advogado do Diabo”) e Chris Weitz (“American Pie”) , que cria em cima de uma história conhecida e dá espaço para personagens carismáticos – como o robô K-2SO, o excelente alívio cômico da fita – brilharem. A coragem e a imaginação, no entanto, não resumem a eficácia narrativa dessa primeira antologia do universo Star Wars. O filme de Edwards faz muitas deferências aos fãs e revisita, a sua maneira, temas frequentes como a relação entre pais e filhos. É interessante observar como Jyn (Felicity Jones) vive uma orfandade mesmo tendo dois pais. Mais interessante é perceber como isso impacta na sua visão de “não ter o luxo de ter opiniões políticas”. É “Star Wars” sendo sutil no desenho dos personagens.

Peter Crushing, ninguém menos que Grand Moff Tarkin, responsável pela Estrela da Morte no filme de 1977, morto em 1994, “ressuscita” diante de nossos olhos em um trabalho de CGI que desafia os limites da lógica e imaginação. É “Star Wars” derrubando o nosso queixo.

Leia mais: Painel de “Rogue One” se beneficia de culto a “Star Wars” e gera frenesi na CCXP 2016

Darth Vader, talvez o mais icônico entre todos os vilões da cultura pop, também surge para enriquecer o filme. Ele está aqui apenas para deixar a experiência mais potente, intensa, transcendental… É “Star Wars” olhando para o futuro sem esquecer-se de seu passado.

Darth Vader é uma das boas surpresas de Rogue One Foto: divulgação

Darth Vader é uma das boas surpresas de Rogue One
Foto: divulgação

O que torna “Rogue One” um blockbuster especial tanto no contexto de “Star Wars”, mas também na temporada de 2016, é sua maturidade narrativa, seu compromisso com a verossimilhança, mesmo que estejamos falando de uma guerra espacial. Apesar do desfecho compreensível e justificadamente trágico, o filme reequilibra a força, da série, e dos blockbusters. É “Star Wars” mostrando como se faz!

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015 Críticas, Filmes | 14:38

“O Despertar da Força” incorpora padrão Disney a “Star Wars”

Compartilhe: Twitter
Foto: divulgação

Foto: divulgação

Sob muitos aspectos “Star Wars: O Despertar da Força” (EUA 2015) é o filme que os fãs da saga criada por George Lucas merecem. É um entretenimento vistoso em sua capacidade de abraçar a nostalgia com beats de outros filmes da série, em especial de “Star Wars: Uma Nova Esperança” (1977), e de reorganizar os arranjos para a expansão da franquia, agora sob o jugo da Disney.

J.J Abrams é um diretor hábil em repaginar sucessos. Não à toa, revitalizou outra franquia sci-fi (“Star Trek”) e era bastante óbvio para quem quer que acompanhe sua carreira que seria exitoso em sua incursão pelo universo de “Star Wars”.

O grande mérito de “O Despertar da Força”, no entanto, está nos novos personagens. Tudo bem que Rey (Daisy Ridley) nada mais é do que a reengenharia de Luke Skywalker (Mark Hamill), mas a personagem tem fôlego e o fato de uma mulher ser a protagonista da nova trilogia estabelece um novo e bem-vindo paradigma para a série e para a ficção científica como um todo.  Passa por aí, também, as figuras de Finn (John Boyega) e Poe Dameron (Oscar Isaac), este último uma reimaginação de Han Solo (Harrison Ford), personagem da trilogia original com mais espaço no novo filme.

Finn é o mais oxigenado dos novos personagens, ainda que seja o vilão Kylo Ren – defendido com a habitual competência por Adam Driver – o mais cativante. O conflito do personagem entre a luz e a escuridão e seu confesso desejo pelo segundo invertem a expectativa natural em relação ao tema. Além do mais, ele precisa lidar com a sombra de Darth  Vader. Intra e extra-diegeticamente.

As relações entre os personagens obedecem toda a estruturação clássica da série, algo que pode ser creditado ao fato de Lawrence Kasdan, que assinou “O Império Contra-ataca” (1980) e “O Retorno de Jedi” (1983), ser o responsável pelo roteiro. Todo o DNA de “Star Wars” está lá. O filme funciona muitíssimo bem para quem é fã e funciona ainda melhor para quem toma contato com este universo pela primeira vez.

Neste primeiro momento, é factível dizer que “Star Wars” se beneficia desse padrão Disney, mas essa leitura tende a se diversificar com a chegada dos novos filmes e, também, com o olhar histórico sobre este filme.

O hype é imenso e com um bom filme nos cinemas é difícil opor-se de alguma forma a “O Despertar da Força”. Mas não estamos diante de um grande filme. Para além da boa vontade generalizada, há escolhas discutíveis – nas frentes narrativa e estética – e pequenas falhas concentradas no roteiro principalmente que não escapam a olhos mais atentos.

De qualquer forma, é um recomeço e tanto para uma franquia que ajudou a definir o conceito de cinema enquanto indústria. Em pleno vapor, a reengenharia de “Star Wars” foca no seguro e mesmo aquelas que parecem escolhas ousadas – e o filme tem sua porção delas – são movimentos bem calculados em uma margem para lá de segura. A Disney sabe o que está fazendo. Antes de ser um filme, “O Despertar da Força” é um grande produto.

Autor: Tags: , , ,

sábado, 15 de agosto de 2015 Notícias | 17:27

Disney revela novidades do universo Star Wars na D23

Compartilhe: Twitter

À medida que se aproxima o lançamento do ultra-aguardado “Star Wars: o despertar da força”, a Disney intensifica a divulgação de notícias sobre o universo em expansão da saga. Na feira D23 que acontece neste fim de semana nos EUA, o painel de Star Wars foi um dos mais concorridos e, naturalmente, alguns dos boatos que rondaram a internet nos últimos dias foram confirmados. O primeiro deles é de que a direção do Episódio IX ficará sob competência de Colin Trevorrow, diretor do filme mais visto de 2015, “Jurassic World – o mundo dos dinossauros”. O episódio VIII, para quem não lembra, já tem Rian Johnson (“Looper”), confirmado na direção.

Mas não foi só. O elenco do primeiro spin-off de Star Wars, “Rogue one”, foi confirmado. Bem como a primeira imagem oficial da produção, que estreia em dezembro de 2016, divulgada.

O elenco de "Star Wars Rogue One" em destaque

O elenco de “Star Wars Rogue One” em destaque

Além de Felicity Jones, o prelúdio de “Uma nova esperança”, conta com Mads MikkelsenForest Whitaker, Alan TudykDonnie Yen e Ben Mendelsohn. A direção é de Gareth Edwards, da mais recente versão de “Godzilla”.

A Disney divulgou, ainda, um cartaz de “O despertar da força” feito especialmente para a convenção por Drew Struzan, colaborador habitual da LucasFilm e responsável por cartazes clássicos de “Star Wars” e “Indiana Jones”.

Não obstante, a empresa anunciou que construirá dois parques temáticos de “Star Wars” nos EUA. Um em Orlando, na Flórida, e outro em Anaheim, na Califórnia, sede da D23.

O pôster especial feito por Drew Struzan para "O despertar da força"

O pôster especial feito por Drew Struzan para “O despertar da força”

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 9 de julho de 2015 Atores, Curiosidades, Listas | 09:00

Quem pode ser o jovem Han Solo no cinema?

Compartilhe: Twitter

A Disney anunciou que o personagem imortalizado por Harrison Ford na trilogia clássica de “Star Wars” terá um filme para chamar de seu. Uma prequela, também conhecida como filme de origem, está a caminho e Solo será vivido por um ator mais jovem. Mas quem? A Disney anunciou que Christopher Miller e Phil Lord, do filme “Uma aventura Lego”, vão dirigir a produção programada para estrear em 2018. O processo de casting do jovem Han Solo está em pleno vapor e o Cineclube apresenta quem é que está na disputa.

Taron Egerton

Egerton

O jovem ator inglês seria um dos favoritos dos produtores. Egerton chamou atenção no início do ano ao estrelar o divertido “Kingsman – serviço secreto”. No filme de Matthew Vaughn, o ator provou levar jeito para ação sem descuidar do humor. Predicados indispensáveis para assumir o papel de Harrison Ford.

 

Evan Peters

Evan peters

Aos 28 anos, este americano de Missouri é apontado por parcela da crítica como um “jovem Johnny Depp”. Peters, cujo trabalho mais expressivo reside na série “American Horror Story” alia talento e carisma em uma proporção que justifica a comparação entusiasmada. Assumir o papel de Han Solo poderia testar a teoria na prática.

 

Dylan O` Brien

O brien

O jovem ator de “Maze Runner” e “Teen Wolf” já foi cotado para ser o novo Homem- Aranha e agora aparece na bolsa de apostas para viver a versão jovem de Han Solo. À Frente de uma franquia com apelo jovem, o segundo “Maze Runner” estreia no fim do ano, O` Brien poderia ser uma escolha mais segura do estúdio.

 

Garrett Hedlund

Fotos: divulgação e Details

Fotos: divulgação e Details

O americano de 30 anos é o mais viril e atlético dos candidatos aventados. De certa forma, sua persona encontra respaldo na figura de Han Solo e isso pode contar a seu favor. O ator também já estrelou um grande blockbuster da Disney, “Tron – o legado” (2010), e manda bem na hora de dramatizar como atestam suas participações em “Na estrada” (2012) e “Invencível” (2014).

Autor: Tags: , , , , , , ,

terça-feira, 2 de dezembro de 2014 Curiosidades, Fotografia | 19:26

Fãs fazem cartazes de “Star Wars: o despertar da força” com jeitão de arte oficial

Compartilhe: Twitter

Para uns “Star Wars” é uma religião. Para outros, uma febre. Alguns acham pura perda de tempo. Mas é difícil ficar indiferente à saga. Prova disso é que com menos de uma semana de lançado, o primeiro teaser de “O despertar da força” já caminha para ser o vídeo promocional de cinema mais assistido da história do YouTube. Não é pouca coisa. Outro indício deste culto maior que a vida a “Star Wars” são alguns cartazes feitos por fãs a partir do teaser que começaram a pipocar na internet. A qualidade do material, que pode ser conferido abaixo, assombra e se não fosse a consciência de que se tratam de artes não oficiais, poderíamos muito bem tê-las como material de divulgação da produção.

Força - 1

Força - 2

Força - 3

Força - 4

Força - 5

Força - 6

Força - 7

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 6 de novembro de 2014 Notícias | 20:15

Episódio VII de “Star Wars” ganha título oficial

Compartilhe: Twitter

As filmagens já acabaram e para apimentar a ansiedade dos fãs, Disney e LucasFilm devem começar a soltar pílulas sobre o filme, dirigido por J.J Abrams, que tem estreia marcada para o dia 18 de dezembro de 2015. O nome oficial é “Star Wars: The force awakens”. Algo como “O despertar da força”, em tradução livre. A escolha por este nome em detrimento do tradicional numeral no episódio ajuda a consolidar a nova percepção da Disney para a saga com filmes mais diversificados sobre o universo criado por George Lucas.

Foto: reprodução/Twitter

Foto: reprodução/Twitter

Autor: Tags: , ,